Empreendedorismo é um cenário perfeito para o roteiro de uma história em quadrinhos. Temos um ambiente hostil, vilões e heróis.

Sim, os heróis, nesse contexto eles estão por todos os lados! Pena que alguns heróis não sabem que possuem poderes incríveis!

E você, empreendedor ou futuro empreendedor, conhece o dom especial que tem? Veremos mais à frente como eu descobri os meus!

Quando decidi empreender, consultei algumas pessoas e li alguns livros para ajudar na mudança de vida (antes eu era empregada de uma empresa no ramo da construção civil).

Me falaram que empreender seria arriscado: Adeus segurança! Me falaram que as leis brasileiras não me ajudariam muito, me falaram que seria uma enorme responsabilidade.

Falaram também: o caminho X é melhor que o Y! Invista aqui e não ali! Foram tantos conselhos, agradeço por todos eles, mas hoje sei que não ouvi o principal.

Ninguém me falou quem seria a principal vilã dessa história: eu mesma!

Eu não sabia que seria tão difícil ser gestora de mim mesma e do meu negócio! Quando temos um empregador monitorando nossas atitudes não há espaço para a transgressão de regras. Monitorar o nosso dia a dia para ser mais produtivo é um desafio muito maior do que parece.

Agora, você consegue seguir à risca as suas próprias regras? Consegue ser o fiscal linha dura de si mesmo?

Pense naquele curso que você se matriculou e nunca foi. Pense naquela dieta que você estabeleceu e que não resistiu a um final de semana.

A vilã que eu falei tem um nome: autossabotagem.  A falta de disciplina e foco fizeram o meu negócio quase quebrar no ano passado.

Mas porque raios eu agia assim mesmo sabendo das terríveis consequências?!

Essa pergunta me tirou do buraco que eu mesma cavei, porém percebi que não poderia sair sozinha. Decidi buscar ajuda.

Pela primeira vez na nossa história aparecem os heróis. Não estou falando de mim, estou falando dos parceiros, amigos e família.

Falo da minha “Liga da Justiça” formada por pessoas incríveis e empreendedoras como eu.  No meu caso foram o meu Coach Vinícius Nunes e nosso grupo de estudos; pessoas ligadas à franqueadora Hubify by Elefante Verde (Caio Sigaki, Fabio Duran e Dann Silva) e a rede de franqueados.

Disse lá em cima que o nosso cenário é formado por um ambiente hostil.

É verdade, a hostilidade está representada na burocracia para abrir ou fechar uma empresa no Brasil, falta de leis de incentivo, ausência de cultura empreendedora e falta de reconhecimento do papel do pequeno empresário na economia.

A grande sacada é que o empreendedor é um bicho forte e, de forma determinada, ultrapassa todas essas barreiras.

E isso não é tudo, a principal característica do empreendedor é a generosidade! Foi justamente isso que me salvou e salvou o meu negócio.

Iniciei o mergulho no autoconhecimento. Por que ajo dessa forma? Como posso fazer diferente?

Conhecer e entender as minhas limitações foi o primeiro passo para superá-las! A luta é diária, constante e necessária. Hoje observo muito as minhas atitudes.

Ainda sofro quedas, mas utilizo-as como armas para o próximo confronto!

Os personagens dessa história foram baseados em outro relato que considero semelhante ao meu.

No início deste ano, em um grande evento da Hubify by Elefante Verde, tive o imenso prazer de conhecer os empreendedores Leandro e Léo Campos na palestra “Como nascem os heróis”.

Nessa oportunidade eles contaram suas trajetórias de perdas e conquistas. Contaram, também, como podemos virar o jogo quando assumimos a responsabilidade pelos nossos atos.

A palestra foi o ponto chave para a minha viagem ao autoconhecimento, pois percebi que tinha nascido dentro de mim uma heroína com poderes incríveis e, até então, desconhecidos!

Mais do que isso, analisei os elementos de uma história em quadrinhos: contextualização do cenário (cidade), apresentação do problema (surge o vilão e seu plano maligno para destruir a cidade), apresentação da solução (surge o herói com super poderes), batalha entre vilão e herói (cada um por seus objetivos), e vitória do herói sobre o vilão.

Repararam que o roteiro sempre obedece a esse formato independente da história? Eu reparei e isso foi libertador!

Assim, eu percebi que se quiser seguir em frente, esse roteiro acontecerá na minha trajetória inúmeras e inúmeras vezes, só que com novos traços.

Da mesma forma como aconteceu com Leandro e Léo Campos, devemos ficar atentos aos sinais.

O que eu quero dizer com isso? Talvez uma má notícia. O vilão dentro de você jamais morrerá, apenas voltará com novas caras. Talvez mais fraco. Talvez disfarçado. Serão novos desafios.

Todos os dias, ao acordar, o vilão estará lá, apenas esperando um deslize seu, esperando você sucumbir!

Por que eu sei que ele não vai morrer? Você é um herói e não existe herói sem vilão ou vilão sem herói. Um precisa do outro. Digo mais, a força do herói vem das batalhas – vencidas ou derrotadas!

Então, não deseje que o seu vilão morra. Não deseje o fim das batalhas. Deseje, apenas, que o seu herói seja mais forte do que tudo!

 

comprar-franquia-de-marketing-digital