7 dicas de marketing digital para o e-commerce vender mais

Rock Content

7 minutos de leitura

O marketing digital pode diminuir o volume de carrinhos abandonados nos e-commerces utilizando a qualificação de leads e interação de qualidade com seu público. Conheça as dicas que levam ao sucesso de vendas online.

No mundo do e-commerce, tudo pode ser explicado pela performance do carrinho. Se ele tem ficado cheio e suas vendas são concluídas, é sinal de sucesso total na estratégia. Mas, se o número de abandonos está alto, um alerta doloroso certamente ecoa na cabeça de seu gestor.

Segundo a E-commerce Trends 2018, 97% dos consumidores já encheram carrinhos virtuais, mas, por motivos diversos, não concluíram a compra.

Se o volume de abandonos de carrinho também está alto no seu negócio, é hora de revisitar o planejamento e realinhar as ações de marketing digital.

Neste post reunimos algumas dicas de marketing digital indispensáveis, mas fomos um pouco além com alguns elementos, para que elas saiam do básico. Era isso que você estava à procura para seu e-commerce, certo? Então, leia o post até o final!

1. Produza conteúdos de qualidade para seus leads

Uma das estratégias de marketing digital mais eficientes é a produção de conteúdo.

Para isso, é fundamental criar um blog e realizar a produção de conteúdo otimizado para seus visitantes e potenciais clientes.

Isso significa fazer um planejamento de postagens baseado na jornada que o cliente realiza em seu processo decisório de compra.

Tal fluxo, ou melhor, funil de vendas, iniciará com um grande volume de conteúdos que despertam o interesse dos visitantes, passará por postagens que ajudarão o agora lead a fazer suas ponderações, e, por fim, aqueles que darão orientações finais para a decisão da compra.

São os conteúdos de qualidade, por exemplo, que atraem o público de forma orgânica para o blog, e posteriormente, para o e-commerce. Isso acontece pois os mecanismos de buscas valorizam informações que sejam mais completas e relevantes para seus usuários.

Em outras palavras, um bom conteúdo é importante para cativar os visitantes do blog e também atender os requisitos para ter tais postagens nas primeiras posições das páginas de pesquisas dos buscadores, como o Google..

Assim, é preciso estabelecer um calendário de publicações, criar uma persona — representação semi-fictícia dos potenciais clientes, e, então, considerando essas e outras informações que podem ajudar no processo de decisão de compra, fazer postagens regulares.

Precisando gerar leads? Confira nosso material Geração de leads: Guia dos seus primeiros passo!

2. Invista em CRO

Se o objetivo é melhorar as vendas online, não dá para deixar o Conversion Rate Optimization (CRO) de fora, afinal de contas, ele torna a venda mais eficiente e, por consequência, garante que seu volume possa ser consideravelmente aumentado.

Para que tudo isso aconteça, seus princípios são amplamente fundamentados na análise de indicadores e no comportamento dos clientes. Algumas etapas essenciais do processo são:

  • coletar informações em todas as etapas do processo, da criação da estratégia, passando por sua análises em testes, até suas melhorias e acompanhamento dos resultados;
  • buscar oportunidades dentro dos dados e ações, ou seja, buscar melhorias e exercer a criatividade para sair do óbvio nas estratégias de marketing;
  • promover as otimizações que os números apontem ser mais convenientes;
  • acompanhar os resultados e repetir o ciclo.

Em resumo, o CRO deve ser feito pensando em maneiras de promover uma experiência de uso do e-commerce otimizada, que favoreça a compra e não crie empecilhos para que ela transcorra de maneira natural e agradável.

3. Crie uma estratégia de SEO matadora

Essa é a estratégia em que o e-commerce mira na satisfação dos algoritmos dos mecanismos de buscas, mas acerta em cheio no que os usuários e leads precisam.

Isso acontece porque, cada vez mais, buscadores como o Google privilegiam a experiência do usuário, valorizando conteúdos, sites e blogs que atendam às necessidades e dúvidas dos clientes.

Com isso em mente, o SEO deve ser aplicado na estrutura da loja virtual, e, claro, nos conteúdos produzidos para os blog.

SEO estrutural

Algumas configurações na estrutura do blog e e-commerce também são consideradas pelos algoritmos do Google. Portanto, garantir que estejam bem formatadas é essencial.

Entre algumas delas, estão:

  • URL amigável e resumida;
  • palavra-chave na URL;
  • título e meta description com palavras-chave específicas da página. Em um e-commerce com diversos departamentos, cada um deles terá sua descrição personalizada;
  • velocidade do carregamento das páginas;
  • responsividade para dispositivos como desktop, mobile e tablets, por exemplo;
  • design da página considerando a experiência do visitante.

SEO para conteúdo

No caso dos conteúdos para o blog, informações ricas e relevantes são a prioridade. Elas podem ser otimizadas com uma boa construção de links internos, boa escaneabilidade, a partir da organização em intertítulos, uso adequado da palavra-chave e call-to-actions bem elaborados para que os leads avancem na jornada de compra.

4. Aposte na criação de uma newsletter

Um dos principais objetivos da newsletter é fortalecer o relacionamento, mas para que a estratégia tenha sucesso, é imprescindível personalizar seu conteúdo para o público-alvo.

Com isso, ela pode manter um público fiel ao e-commerce, promover seus produtos por meio dos conteúdos do blog e muito mais.

Para ter sucesso com essa ferramenta, além da segmentação da base de leads que assinaram o serviço, também é importante evitar spam e fazer testes constantes para engajar cada vez mais e alcançar bons resultados.

5. Tenha um certificado de segurança

O terceiro maior motivo para que a compra online não seja concluída é a falta de confiança na transação — mais precisamente, 33,3% dos consumidores se sentem assim. É o que também aponta a E-commerce Trends 2018 citada no início desse post.

Por isso, criar medidas e elementos que aumentem a segurança das compras online também é uma dica de marketing digital a ser adotada.

Para os leads, visualizar o cadeado no lado esquerdo do endereço do e-commerce é fundamental, mas, além da confiança dos compradores, tais medidas de segurança têm outros efeitos.

Operadoras de cartão de crédito, por exemplo, podem exigir o uso do Certificado Digital. Sem ele, um e-commerce poderá deixar de contar com uma das modalidades de pagamento mais importantes para seu negócio.

Além disso, proteção nunca é demais. Trazendo segurança para os dados dos clientes, o e-commerce também está garantindo sua boa imagem perante o mercado. Ou seja, existem muitos benefícios embutidos nessa ação.

6. Prepare seu e-commerce para o Black Friday com antecedência

A E-commerce Trends 2018 também consolidou uma informação que a maioria dos gestores de e-commerce já sabem: um dos critérios de decisão de compra de seus clientes é o preço mais barato em relação às lojas físicas — especialmente na Black Friday, isso é ainda mais importante para o público.

Por isso, é necessário preparar o e-commerce com antecedência para esse evento, tanto do ponto de vista das promoções que serão realizadas, como também no fortalecimento de sua capacidade para receber o aumento de visitas, por exemplo.

Com o blog ativo e publicações constantes, nos meses anteriores também é possível fomentar o interesse do público, e claro, é preciso entender que a Black Friday não deve ser um evento isolado, mas fazer parte de um todo.

7. Invista no Google Adwords

A estratégia de investimento no Google Adwords é conhecida e, também, eficiente. A dica está em otimizar as estratégias focando nas performances de investimentos.

Assim, um e-commerce pode investir na tradicional rede de pesquisas, em que ele patrocina a pesquisa de algumas palavras-chave, e a de displays, aqueles anúncios que aparecem em sites e blogs parceiros do Google.

Monitorando os investimentos e resultados de cada um, é possível otimizar a forma como a verba de Inbound Marketing será aplicada, trazendo, assim, melhores resultados.

Confira agora algumas boas práticas para otimizar a estratégia de Google Adwords.

Não use a página inicial do e-commerce para receber o direcionamento de link

Ao cadastrar uma campanha, seja na rede de pesquisas, seja na de display, é necessário fazer uma segmentação dos leads.

Dessa maneira, o conteúdo será apresentado para aqueles potenciais compradores que estejam dentro desse perfil e mais propícios a se interessarem pela oferta.

Porém, quando clicam no link e são levados para uma página generalista, é como se não achassem o que estavam procurando, o que faz com que a qualidade da estratégia seja prejudicada. A rejeição ao link crescerá, e, por consequência, seu resultado nas posições de pesquisa também.

Invista em anúncios otimizados para a versão mobile

O número de compras realizadas pelo celular está aumentando a cada ano. Segundo a pesquisa E-commerce Radar do primeiro semestre de 2018, o volume de aquisições cresceu de 11% em 2017 para 34% no ano seguinte.

Por isso, é muito importante utilizar a opção de anúncios mobile do Google Adwords, assim como ter páginas responsivas que receberão o fluxo de interessados a partir dos links patrocinados.

Aplique o geotargeting

A geolocalização pode ser uma ferramenta muito importante para e-commerces de nichos, afinal de contas, permite o refinamento dos anúncios e para quais usuários eles serão apresentados.

Se um e-commerce for especializado na festa de Parintins e em produtos licenciados para o evento mais famoso do Amazonas, por exemplo, pode centralizar suas ofertas na região onde a conversão de vendas será maior.

Isso não impedirá que ele venda para outras regiões do Brasil e até mesmo do mundo, mas no investimento de suas campanhas, garantirá a otimização das promoções.

Reforce suas redes sociais

Escolher em quais redes sociais estabelecer presença é um dos passos mais essenciais para o sucesso da estratégia, pois, dessa maneira, é possível canalizar a força de interação com clientes onde eles se concentram mais.

Além disso, é preciso aproveitar os novos recursos que são frequentemente lançados para valorizar os diferenciais do seu e-commerce.

Um deles, por exemplo, é a lista de melhores amigos do stories do Instagram. Com ele, um e-commerce de joias pode criar um grupo exclusivo de clientes e seguidores para divulgar os preços especiais de uma coleção, por exemplo.

Essa estratégia pode ter um bom resultado, afinal de contas, seu público costuma valorizar a exclusividade, não é verdade?

Com essas dicas, o e-commerce terá sua autoridade estabelecida e o relacionamento com seus clientes fortalecido. Sob o ponto de vista de marketing, são resultados importantíssimos. Mas ainda tem mais: com a adoção de tais dicas, a loja virtual também alcançará uma performance forte para qualificação de seus leads, aumento do volume de conversões, além da diminuição dos abandonos de carrinho, que no final das contas, é o termômetro da eficiência do e-commerce, certo?

Agora que falamos sobre marketing digital para e-commerce, queremos saber: está apostando em alguma novidade ou tendência do mercado para esse ano? Deixe seu comentário!

*Esse conteúdo foi produzido pela equipe da Rock Content.

Posts Relacionados