O guia completo do Marketing Digital

Fabio Duran

Cofundador e CEO da Hubify. GDista, apaixonado por economia comportamental e vendas. Advogado formado pelo Mackenzie e pós-graduado em Administração de Empresas e Gestão de Projetos pela Universidade da Califórnia.

28 minutos de leitura

O marketing digital é um conjunto de ações que têm como objetivos a criação e o desenvolvimento de um melhor relacionamento entre a empresa e todas as pessoas que demonstram algum tipo de interesse pelo que ela comercializa.

O ambiente virtual é o templo do marketing digital e nele se encontram as principais ferramentas de interação entre as empresas que desejam comercializar seus produtos ou serviços e os potenciais clientes.

Ao longo da jornada de compra o visitante vai se transformando em consumidor e, em seguida cliente. O processo acontece graças às intervenções contínuas dessas ferramentas para guiar o pensamento e apresentar as soluções para as dores, desejos ou necessidades que geraram a busca.

Este é um guia completo de marketing digital para servir de fonte de consulta sempre que surgirem dúvidas sobre como e quando aplicar as estratégias para obter melhores resultados!

Aqui, você vai encontrar um guia completo sobre marketing digital abordando os seguintes tópicos:

  • O que é Marketing Digital
  • Qual a origem do Marketing Digital
  • Glossário do Marketing Digital
  • Marketing Digital x Marketing Offline
  • Vantagens do Marketing Digital
  • Estratégias do Marketing Digital
  • Inbound Marketing
  • Marketing de Conteúdo
  • Formatos de conteúdos
  • E-mail marketing
  • Automação de marketing
  • Mídia Paga
  • Business Intelligence
  • Marketing de Performance
  • Métricas do marketing digital
  • Métricas de receita e vendas
  • Métricas de e-mail marketing
  • Ferramentas do Marketing Digital
  • Ferramentas de SEO
  • Formas de aprender sobre Marketing Digital

O que é Marketing Digital

A definição de marketing digital é abrangente, pois agrega um conjunto de muitas ferramentas e soluções, mas pode ser sintetizada na união de marketing e comunicação em um ambiente virtual para interagir com os consumidores e assim potencializar a geração de novos negócios.

As ações objetivam criar e desenvolver melhor o relacionamento entre a empresa e todas as pessoas que demonstram algum tipo de interesse pelo que ela comercializa. Na web a aproximação é mais ágil e com boas chances de êxito.

Dentre todas as estratégias utilizadas para se comunicar com o público em geral, o marketing digital está à frente com ideias inovadoras, que alcançam mais rapidamente àqueles que demonstram uma intenção de compra.

É uma revolução que caminha a passos largos e colhe resultados positivos, estimulando o uso frequente de todas as ferramentas disponíveis. Com elas é possível personalizar as ações e aplicar conforme as etapas do funil de vendas, o que veremos ao longo desse artigo.

Segundo o relatório Social Media Trends 2019 apresentado pela Rock Content com base nas pesquisas realizadas, pelo menos 96,2% das empresas aderiram ao uso de alguma rede social depois de perceberem que a visibilidade online (70,5%) e a divulgação de conteúdos e outros materiais (66,1%) têm forte apelo junto aos consumidores.

Qual a origem do Marketing Digital

Para entender melhor a aplicabilidade do marketing digital, precisamos saber de onde ele vem e como se tornou uma estratégia tão potente — essa é na atualidade a solução mais eficiente e as pesquisas comprovam essa afirmação.

O marketing tradicional, precursor do digital, tinha como missão, determinar produtos e serviços que pudessem interessar grupos de consumidores, utilizando estratégias de vendas e comunicação para impulsionar um negócio e garantir a lucratividade.

Com o tempo e a chegada da era digital, as ferramentas convencionais já não eram suficientes para estabelecer uma conexão direta e eficiente com o público-alvo. A evolução aconteceu naturalmente e à medida que as empresas foram migrando para o ambiente online, surgiu junto o marketing digital.

A comunicação, que antes era realizada em via de mão única, passou a ter uma resposta de volta do cliente, permitindo à empresa compreender melhor se as ferramentas utilizadas surtiram o efeito desejado.

As técnicas de persuasão e abordagem ganharam novo formato, com uso das ferramentas conforme o retorno determinado pelo comportamento do cliente em relação ao que a empresa oferece.

Podemos entender a evolução do marketing observando suas fases e o quanto são a base de sustentação para o formatado que utilizamos nos dias atuais.

  • Marketing 1.0 — iniciada durante a Revolução industrial com objetivo único de vender produtos;
  • Marketing 2.0 — iniciada sob a orientação do consumidor, a internet já dava mostras de avanço e o maior objetivo era alcançar a satisfação e a retenção do cliente;
  • Marketing 3.0 — a tecnologia invadiu o mundo e a conexão direta com o cliente fez perceber a necessidade de humanizar o atendimento e dar atenção total às dores e anseios que ele demonstra;
  • Marketing 4.0 — nosso formato atual fortalece as estratégias do marketing digital, com maior entendimento de que o cliente tem pressa e caso a empresa não atenda com a agilidade ele espera, diversas outras estão à disposição na concorrência.

O consumidor continua comprando nas lojas físicas, mas o movimento nas lojas virtuais cresceu exponencialmente, principalmente pelo fato de muitos empreendedores utilizarem os dois canais para atender prontamente ao cliente.

Agora, o consumidor pode entrar no ambiente de uma loja, selecionar os produtos que deseja, efetuar o pagamento e fazer a retirada em uma loja física. Muitos aplicativos foram desenvolvidos para facilitar o acesso via smartphones e facilitar as compras a qualquer hora do dia ou da noite.

Tudo isso faz parte do movimento de migração do marketing tradicional para o marketing digital para se adequar à conectividade dos consumidores e atender totalmente às suas expectativas, oferecendo cada vez mais uma experiência diferenciada.

Glossário do Marketing Digital

Mesmo com tantas ferramentas, o marketing digital é simples e dinâmico, assim como suas aplicações, para facilitar o trabalho no dia a dia e fixar o significado sem causar maiores dificuldades.

Vamos conhecer as principais definições utilizadas pelos profissionais do time de marketing das empresas.

Público-alvo

Corresponde a um grupo de pessoas que se encaixam em determinadas características conforme os perfis, demográfico, socioeconômico e comportamental.

Dentro desses perfis é possível segmentar um pouco mais pelos aspectos comuns como estado civil, sexo, idade, gênero, região de moradia, hábitos de compras, interesses, profissão e formação.

Buyer Persona

Diferentemente do público-alvo que analisa perfil verdadeiros, a persona é um personagem semifictício que representa o consumidor ou cliente ideal para uma empresa.

Para definição de cada persona é preciso considerar as características demográficas — nome, idade, gênero, escolaridade — e comportamentais (gostos, preferências, desejos, necessidades, frustrações.

Funil de vendas

A representação dos diferentes estágios em que se encontra o potencial cliente no processo de venda. E formato de pirâmide invertida é dividido entre topo, meio e fundo do funil.

Os conteúdos devem ser produzidos para contemplar todos os estágios e assim alcançar maior número de visitantes dentro do site.

  • Topo de Funil – estágio em que a compra ainda é uma decisão distante do visitante;
  • Meio de Funil – estágio em que o visitante é um potencial cliente, mas ainda não se decidiu pela compra;
  • Fundo de Funil – estágio importante e definitivo em que o visitante pode se tornar cliente a qualquer momento, pois está pronto para efetuar a compra.

Leads

O visitante que entra no site da empresa, seja por curiosidade, indicação ou um anúncio e que permanece consumindo os conteúdos disponíveis é considerado um lead — potencial cliente que demonstrou interesse pela empresa e que em algum momento inseriu os dados, abrindo a possibilidade para conversão.

Landing Page

É a porta de entrada de um visitante para o site da empresa. A intenção da landing page no marketing digital é gerar leads e prospectar maior volume de vendas.

CRM

É a sigla de Customer Relationship Management ou Gerenciamento de relacionamento com clientes, na tradução. Todo o cadastro e histórico do cliente realizado dentro de uma solução CRM pode ser acessado e compartilhado entre todos os profissionais que atuam diretamente no atendimento e vendas., incluindo o pós-vendas.

SEO

Uma das principais ferramentas do marketing digital o SEO ou Search Engine Optimization se refere à otimização de buscadores como o Google, por exemplo. As boas práticas de SEO permitem melhor posicionamento das páginas de um site, quando alguém procura algo vinculado ao negócio.

CTA

Se a empresa deseja direcionar o pensamento do leitor, deve utilizar boas práticas de CTA — Call-to-action ou chamada para ação. É a CTA que incentiva o usuário a tomar algumas medidas, que pode ser baixar um material, se inscrever em um evento ou complementar a leitura por um novo link.

CMS

O CMS significa Content Management System, ou Sistema de Gestão de Conteúdos e sua função é criar, organizar, publicar ou até mesmo apagar conteúdos dentro do site da empresa.

Fluxo de Nutrição

Não basta apenas atrair a atenção de um visitante e desejar que ele se torne e um lead e potencial cliente no futuro. É preciso contemplá-lo com informações e conteúdos que despertem o interesse e permita que ele permaneça ou volte mais vezes no seu site.

É isso que faz o fluxo de nutrição, ou seja, utiliza a técnica de automação para enviar, sequencialmente, e-mails direcionado ao fundo do funil. Essa ação estreita o relacionamento e pode ajudar nessa conversão final.

Métricas

As métricas são ferramentas de mensuração de resultados. Todas as ações, investimentos, campanhas e o trabalho do time podem ser verificados pelas diversas métricas para saber o grau de efetividade —mais adiante veremos cada uma dessas métricas.

KPI’s

Para saber se as metas foram cumpridas é preciso mensurá-las é isso que fazem os indicadores ou KPIs. Eles acompanham todas as ações para garantir que as metas sejam cumpridas no prazo definido.

Benchmark

Benchmark é entendido no marketing digital como marca de referência para identificar aquelas empresas que são muito boas no que fazem e servem de exemplo para outras empresas do mesmo segmento.

CRO

Otimização da taxa de conversão que vem do inglês Conversion Rate Optimization é uma estratégica que tem como foco o aumento do percentual de conversões dentro do site.

Engajamento

Um termo muito utilizado dentro do marketing digital para demonstrar a interação entre os visitantes e os conteúdos publicados. Algumas ações de curtidas, comentários, respostas e acesso a outros links mostrar o nível de engajamento em relação a uma marca.

Palavra-chave

A palavra-chave é tão importante quanto a otimização de SEO, pois sem ela será difícil empenhar esforços para um bom ranqueamento. Uma ou mais palavras-chave funcionam como um resumo da ideia principal do conteúdo.

A busca na internet é facilitada quando a palavra-chave é utilizada corretamente e aparece no topo das páginas buscadas. As práticas de SEO se baseiam em palavras e elas devem ser elaboradas com critério.

Marketing Digital x Marketing Offline

Enquanto no marketing digital a prioridade é promover a marca digitalmente e tornar o usuário mais próximo e permitir que ele interaja, para estreitar a relação, no marketing tradicional, a abordagem é intrusiva e por vezes, inconveniente, controlando toda a oferta.

A principal diferença entre as duas formas de marketing está no método de compra antigo e na forma como o potencial cliente é tratado. Vejamos as principais características dessa diferença.

Características mais marcantes dessa diferença

Marketing Digital

  • maior alcance;
  • conteúdo disponível por tempo indefinido;
  • usuário acessará quando for de interesse;
  • ações dinâmicas;
  • a mão de obra é generalizada e em menor volume;
  • espaço para a informalidade e pessoalidade na interação com o usuário;
  • custo mais baixo;
  • diálogo mais eficiente;
  • todos os resultados são mensuráveis.

Marketing Offline

  • menor alcance;
  • campanhas longas, ativas por longo tempo;
  • ações cansativas;
  • perda de eficiência;
  • requer mão de obra especializada para cada tipo de ação;
  • a relação é distanciada e formal;
  • custo elevado;
  • não há muito diálogo;
  • dificuldades para mensurar resultados.

Vantagens do Marketing Digital

A transformação digital alterou o comportamento do consumidor, o que consequentemente refletiu nas empresas e em todas as suas ações. O lado bom é que todas as mudanças trouxeram benefícios e favoreceram os negócios.

Vejamos as vantagens mais contundentes.

Interatividade

Se antes a campanha era unilateral e distanciada, o marketing digital aumento a interatividade entre o consumidor e a marca. Por meios das redes sociais, blog do site ou qualquer canal disponível, a interação funciona de forma ágil e imediata.

Direcionamento

O acompanhamento dos estágios do funil e a comunicação com o público-alvo permitem melhor direcionamento, ou seja, é possível criar conteúdos exatamente para o tipo de perfil que a empresa deseja atrair.

Não só isso, como disponibilizar conteúdos variados, tanto para quem acabou de chegar no site e ainda não conhece a empresa, quanto para aqueles que ainda têm dúvidas, até chegar no potencial cliente que está prestes a fechar a compra.

Mais Oportunidade

O marketing digital trouxe muitos desafios para o mundo dos negócios, mas uma contrapartida de muitas oportunidades. O volume de acesso diários é intenso, aumentando a visibilidade das empresas que se empenham em apresentar soluções viáveis.

Análise e Mensuração

Poder mensurar resultados é outro benefício excelência do marketing digital. Com as ações monitoradas, a empresa saberá exatamente quais são as estratégias que dão resultado e também aquelas que estão fadadas ao insucesso.

Com os números em mãos, a tomada de decisão se torna uma aliada confiável dos gestores da empresa. É possível fazer intervenções de avanço ou recuo sem causar grandes traumas no negócio.

Menor Custo

O marketing digital não exige muito dinheiro para colocar as estratégias em andamento. Os custos são bem menores, se comparados aos gastos com impressão, mão de obra qualificada do marketing tradicional.

Maior Alcance

Como ferramenta global, o usuário não precisa sequer residir no mesmo país da empresa que estiver pesquisando. Isso quer dizer que o alcance é longo e o usuário poderá ser um cliente do Brasil ou da Alemanha e ter o mesmo tipo de atendimento.

Aumenta ROI

O ROI — retorno sobre o investimento tende a aumentar com o número de consumidores convertidos. Embora a concorrência seja grande, um trabalho diferenciado, com conteúdos relevantes vai potencializar as vendas e acarretar um reflexo positivo sobre o investimento.

Personalização

Quem não gosta de ser tratado pelo nome e receber uma atenção completamente diferenciada? É isso que o marketing digital consegue fazer quando o usuário interage com a empresa e se dispõe a informar os dados para receber conteúdo específico.

Desse ponto em diante o interesse dá lugar a uma relação direcionada às dores, desejos e necessidades que o lead apresenta em usa jornada de compras.

Melhor Conversão

A nutrição de lead ganha profundidade dentro do marketing digital, o que propicia melhor conversão. Isso se deve ao acompanhamento de todo o tráfego e comportamento do usuário.

A cada sinal que ele emite em suas ações é possível inserir uma ação que o convença a permanecer no site ou efetuar a compra dependendo do seu estágio no funil.

Estratégias do Marketing Digital

Muito se fala em estratégias de marketing digital, mas o que isso de fato quer dizer? Podemos dizer que todas as ações que se valem de ferramentas específicas com o objetivo de alcançar resultados e vantagem sobre a concorrência, formam a definição de estratégias.

No marketing digital cada estratégia deve ser pensada e calculada para causar impacto e convencer o usuário/consumidor que a empresa tem o melhor produto ou serviço do mercado.

Para isso, o uso de métodos e planos devem ser alinhados com as expectativas da empresa e do consumidor ao mesmo tempo. Há uma sincronia determinada pelo comportamento do consumidor, que servem de base para o trabalho do time de marketing. Vamos às principais estratégias!

Inbound Marketing

Também conhecido como marketing de entrada é uma estratégia que se baseia em pilares para dar andamento às ações. Esses pilares —atração, conversão, vendas e encantamento — tem como objetivo trazer o consumidor para perto de uma forma natural, sem que ele sinta qualquer obrigação em vincular à uma marca.

É muito importante que antes de iniciar as investidas do inbound marketing todos os envolvidos tenham o entendimento de que a meta é conquistar o consumidor e não comprá-lo.

Segundo a Hubspot, uma das empresas de maior referência em aplicação de inbound marketing do mundo, os custos podem ser reduzidos em cerca de 62% nas empresas que utilizam a estratégia em seu negócio.

A estratégia tem intenções bem definidas e direcionadas a um público que ainda não sabe que está diante do melhor negócio, por que essa deve ser a convicção da empresa que deseja vencer a concorrência e converter maior volume de vendas.

Como funciona a metodologia?

Atração de tráfego de visitantes

Seja pela busca orgânica via Google ou direcionada por uma mídia paga, toda primeira interação do usuário com a empresa começa a gerar tráfego dentro do site e estimular a geração de lead.

Conversão em leads

Depois desse processo os usuários começam a receber mais informações, de acordo com o interesse demonstrado, até se transformarem em leads e serem preparados para a conversão.

Transformação de leads em clientes

Já nutridos e demonstrando a intenção de compra, os leads continuam a ser nutridos e amparados até se decidirem pela compra efetiva.

Encantamento dos clientes

Perceba que são ações em cadeia que respeitam o tempo do lead, porém, sem deixar que ele se isole e demore a tomar a decisão. Depois que a compra acontece, é fundamental continuar nutrindo para que ele se torne naturalmente um promotor da marca.

Marketing de Conteúdo

O conteúdo relevante e direcionado à venda é uma daquelas estratégias infalíveis quando consegue alcançar um consumidor disposto a comprar. Não adianta produzir longos textos ou material repletos de informações se eles não se conectarem com o que a empresa quer dizer.

Qualquer tipo de conteúdo deve despertar o interesse e convidar o leitor a conhecer mais profundamente os produtos ou serviços da empresa. Os conteúdos devem ser didáticos e esclarecer as principais dúvidas do consumidor.

Bons conteúdos podem alcançar maior audiência e aumentar a visibilidade da empresa, assim como sua credibilidade no mercado. A autoridade demonstrada nos conteúdos fará com que o potencial cliente se sinta confiante em estabelecer negócios com uma empresa.

Formatos de conteúdos

Alguns formatos são interessantes e atraem a atenção de um público diversificado. A empresa pode optar por apenas um formato, mas o ideal é disponibilizar mais canais e deixar à escolha do usuário.

Importante dizer que é primordial manter os conteúdos atualizados e um alinhamento de ideias e objetivos em todos os canais utilizados. Há tipos variados de consumidores e certamente de preferências sobre a forma de consumir um conteúdo.

Blog posts

O blog é um excelente meio de gerar conteúdo, tráfego e leads. O usuário da atualidade é ávido por informação e muitos se perdem por horas navegando em blogs para encontrar as respostas que precisa.

Um blog dinâmico, que converse diretamente com o leitor, deve trazer conteúdos baseados nas pesquisas realizadas no site. Escrever sobre o que as pessoas querem ler, é um passo acertado e tende a gerar cada vez mais tráfego e leads interessados.

Outro fator que a empresa deve considerar, é que os conteúdos devem ser diversificados para não tornar a leitura enfadonha. Além da autoridade sobre o assunto, o leitor esperar encontrar informações mais completas.

Áudios

Muitos consumidores são auditivos e os podcast ganharam de vez o mercado. Com o uso de voz, os conteúdos que seriam produzidos para leitura, passam a um formato mais dinâmico que interage mais de perto com o usuário.

A mensagem transmitida tem uma boa receptividade e pode ser consumida em diversos lugares por dispositivos móveis ou fixos, o que é uma estratégia inteligente, já que dificilmente se encontra um consumidor sem smartphone.

Vídeos

Muitos usuários preferem assistir, a ouvir ou ler e, por isso, os vídeos têm cadeira cativa na lista de conteúdos preferenciais de muitos consumidores. O poder de conexão e interação potencializa a conversão, uma vez que gera um sentimento de pessoalidade e pertencimento em quem está assistindo.

E-books

Mais conhecido como e-book, o livro eletrônico disponibiliza conteúdos amplos e didáticos. Ele substitui um livro e não ocupa o espaço, senão de um HD ou cartão de memória. O baixo custo de produção de um e-book faz com que seja uma ferramenta muito útil e estratégica para a empresa.

Infográficos

A apresentação gráfica de informações é uma solução que os infográficos oferecem. Com uma abordagem dinâmica e autoexplicativa, são fáceis de compreender e ajudam na decisão sobre a performance de um produto, por exemplo.

White papers

Com o White papers a empresa pode divulgar cases de sucesso, dados, ações e lançamento de novos produtos. A leitura é mais simples que a de um e-book, por exemplo, e o assunto determina um tema específico.

Webinars

As conferências que são realizadas online, geralmente, trazem pessoas que são autoridade no conhecimento sobre um produto ou serviço. A comunicação é unilateral e tem como principal objetivo levar até o consumidor, informações confiáveis e tirar as principais dúvidas — via e-mail ou chat online — sobre o que a empresa comercializa.

SEO

SEO quer dizer Search Engine Optimization ou otimização para mecanismos de busca e refere-se ao processo que de otimização de busca em buscadores com o Google. É por meio das práticas de SEO que uma empresa será mais facilmente encontrada na internet.

Geralmente as palavras-chave são o principal chamariz de otimização, mas algumas expressões podem vincular a pesquisa à marca. Por exemplo, se um usuário procurar por “gestão de RH”, poderá buscar também “ferramentas de RH” e certamente, encontrará conteúdos relacionados.

Nas práticas de SEO existem dois tipos de estratégias:

SEO On-page

Funciona quando as otimizações da empresa são realizadas dentro do site, o seja, as palavras-chave ou expressões digitadas pelo usuário podem conduzir diretamente ao ambiente da sua empresa, considerando os interesses, dúvidas ou necessidades sugeridas.

É fundamental disponibilizar conteúdos interessantes e renovar a biblioteca de posts. Os conteúdos devem estar de acordo com a persona definida e o público-alvo que se deseja atingir.

SEO Off-page

Fortaleceu as estratégias internas do site? Será o momento de ampliar os horizontes e atuar virtualmente do lado de fora da empresa.  Recursos como mídias sociais, link building, bookmarking social são boas opções para o SEO Off-page.

Os conteúdos devem primar pela qualidade e relevância para que o Google entenda que vale a pena direcionar uma pesquisa ao site da sua empresa. Mantenha uma rotina contínua de ações para otimização e as oportunidades chegarão antes mesmo que a empresa imagina.

E-mail marketing

O e-mail marketing é utilizado quando o lead já deu mostras de que está disposto a comprar na sua empresa, mas ainda não tomou a decisão. Trata-se de uma ação mais direta e com ação agressiva.

Existem alguns procedimentos a serem seguidos para que o usuário não se sinta invadido e obrigado a qualquer ação.  O e-mail marketing é ramificado em tipos diferentes que vamos conhecer agora.

Nutrição

Os e-mails de nutrição são seriados e objetivam continuar nutrindo um lead que mostrou interesse por um assunto dentro do site ou blog da empresa. Eles funcionam como um auxilio e um direcionamento para o lead que intenciona realizar a compra.

Os conteúdos devem ser relevantes e totalmente voltados para o assunto de interesse do potencial cliente. A abordagem deve ser simplificada para não ser cansativa e o lead abandonar a leitura pela metade.

Educacionais

Se os leads forem engajados nos e-mails de nutrição e executarem a ação proposta em cada uma das mensagens, é possível perceber a receptividade em seu comportamento.

Ao enviar um e-mail educacional e informativo sobre ofertas ou lançamentos, é possível que ele se interesse rapidamente pelo que a empresa tem de bom a oferecer, já que ele considera e reconhece o valor dos conteúdos enviados anteriormente.

Outro ponto positivo do e-mail educacional é que ele é totalmente focado na solução de problemas e elucidação das dúvidas, ou seja, o consumidor percebendo que a intenção da empresa é priorizar soluções, pode se comportar mais disponível para receber conteúdos.

Newsletter

O objetivo da newsletter é criar uma lista com endereço dos consumidores que optaram por inserir seus dados no site para receber conteúdos relevantes. Mesmo que o consumidor não demonstre a intenção ou se decida pela compra, ele se manterá atento aos movimentos e oportunidades gerados pela empresa.

Automático

Com os e-mails automáticos a empresa pode gerar conteúdos para um fim específico. Nas campanhas automáticas o objetivo é canalizar a atenção do consumidor para uma oferta ou um convite de fidelização no site para receber descontos, por exemplo.

Promocional

O e-mail promocional é diferente do automático, pois não visa oferecer desconto e sim promover algo que seja interessante para o usuário alvo e pode ser gratuito ou não. Também pode ser um convite para participação em um evento da empresa.

Transacional

Quem comprar na empresa e informar os dados deve saber que receberá um contato, seja para informar que a mercadoria já seguiu para o destino ou para agradecer pela preferência.

É comum que, depois da mercadoria entregue no destino, seja realizada uma ação de pós-venda, com um e-mail de novo agradecimento e a pergunta ao cliente se ele está satisfeito com a aquisição, convidando, inclusive, a retornar sempre que necessário.

Automação de marketing

Pensando no comportamento do consumidor, na pressa que ele tem em obter respostas satisfatórias e na concorrência, percebemos que já há espaço para o trabalho manual, por isso, a automação de marketing é tão necessária.

O uso de softwares e outras tecnologias associadas, otimiza o tempo e o trabalho dos times envolvidos. O tempo investido em execuções manuais é mais bem empregado em criação de estratégias e soluções para atender com excelência.

Além desses benefícios, com a automação todas as ações e aplicações passam a considerar um padrão de interação com o público-alvo, o que acarreta uma relação de confiabilidade e segurança — elementos tão importantes para a fidelização.

São diversos conteúdos a serem produzidos, publicados e atualizados cotidianamente, utilizando não apenas o site e o blog, mas as redes sociais com maior possibilidade de aproximação com o público.

Da mesma forma que os usuários e consumidores devem ser nutridos para se envolverem cada vez mais com a marca, o time de venda, por exemplo, carece de informações completas e rápidas para não deixar que um lead decidido vá embora pela morosidade do atendimento.

E-book marketing digital

Logo, a automação tem papel fundamental nesse sentido, pois, proporciona maior agilidade no curso das informações internas — dados de comportamentos — que servem de base para diversas negociações.

Mídia Paga

A mídia paga é aquela utilizada para que os conteúdos sejam veiculados em ferramentas de grande impacto na internet como o Google Ads e o Facebook Ads, duas ferramentas focadas em desenvolver melhor o relacionamento entre o visitante e a empresa.

O objetivo é atrair o visitante por meio de conteúdo altamente relevante, conduzir o seu desejo e fomentar a decisão de compra.  O Google Adwords é uma plataforma de anúncios que pertence ao Google e sugere as palavras-chave conforme o interesse demonstrado pelo usuário.

Já o Facebook Ads dá acesso a postagens de diversos tipos de conteúdos. Com um diferencial estratégico — a empresa é quem escolhe o valor de investimento, ou seja, há uma flexibilidade de valor, onde o anunciante pode escolher o valor diário para custear o anúncio.

Business Intelligence

A tecnologia à serviço das estratégias de marketing, fornecendo dados importantes e confiáveis. Essa é uma das atribuições do BI — Business Intelligence, que possibilita que as tomadas de decisão aconteçam com base em número e não em achismo.

Com o Business Intelligence, a empresa tem a capacidade de analisar todos os dados com maior nível de precisão. São variadas metodologias empregadas para promover o resultado que a empresa espera.

Depois que os dados são coletados será o momento de compará-los e criar relatórios, gráficos ou qualquer tipo de material demonstrativo que possam ser analisados com clareza.

Os critérios são definidos de acordo com as metas e objetivos da empresa. O que o BI faz é compilar as informações extraídas dos dados e apresentar a estatística por trás dos resultados numéricos.

Tudo isso para oferecer segurança aos gestores e garantir que os objetivos da inteligência competitiva — processo de aprimoramento da informação para melhoria da tomada de decisão — sejam atingidos e os riscos, minimizados.

Marketing de Performance

Para conceituar marketing de performance é preciso manter o olhar fixado nos resultados. Depois que os dados são coletados, os relatórios gerados e as decisões tomadas será o momento de testar e avaliar o que foi ou não uma boa escolha.

Trabalhar o marketing de performance possibilita que, principalmente a ações realizadas por meio de mídias pagas, tiveram seu investimento retornado adequadamente — é a forma de saber se a empresa não está jogando dinheiro fora.

A performance pode ser medida não apenas pelo âmbito dos investimentos, mas considerar também aspectos como engajamento, tráfego orgânico, geração de leads, número de cliques, possibilitando muitas vezes, uma análise em tempo real para intervenções imediatas se for o caso.

No marketing de performance uma das ferramentas mais requisitadas é o Big Data — responsável por reunir um conjunto de técnicas aptas a lidar com um volume grande de informações.

A quantidade de informações gerada todos os dias em uma empresa que opera em ambiente virtual precisa de um filtro, pois nem sempre o aspecto quantitativo tem grande relevância.

É preciso separar e organizar os dados de qualidade para só então organizar as informações que se transformarão em relatório e é isso que o Big Data faz, tendo como prática o conceito dos 3Vs:

  • volume — dados quantitativos coletados de todos os canais e fontes utilizados dentro ou fora da empresa;
  • variedade — a estrutura e formato de geração de dados podem acarretar maior complexidade na interpretação e, por isso, produzir melhores informações;
  • velo​cidade — a agilidade na extração, filtragem, interpretação e transmissão dos dados vão determinar a urgência do tratamento para soluções.

Com todas as informações que o Big Data pode produzir a empresa terá condições de acompanhar de perto todos os movimentos numéricos, acompanhando principalmente as tendências e preferências dos usuários em contato com o site.

É uma vantagem, uma vez que em cada etapa do funil há um número considerável de visitantes que podem ser surpreendidos com sugestões ou soluções para seus anseios e necessidades, sem que tenham solicitado — um diferencial que se manterá como um trunfo de encantamento.

Métricas do marketing digital

O marketing digital é mensurável e essa é uma das suas maiores vantagens, pois quantificar e avaliar a performance de mercado, pode colocar a empresa à frente da concorrência se a métricas forem apuradas corretamente.

Toda e qualquer que for possível mensurar — ações, investimentos, comportamentos, campanhas — devem ser de interesse do marketing analisar numericamente. O time de marketing precisa conhecer a fundo as métricas e como aplicá-las de forma contínua para não perder o tempo de análise.

Nem todas as métricas serão aplicáveis ao negócio ou pertinentes no momento, logo, recorrer aos KPIs e identificar as mais importantes em sintonia com os objetivos que a empresa pretende alcançar, ajudam a otimizar os resultados, com base apenas naqueles que merecem ser computados.

Métricas de receita e vendas

Existem alguns tipos de métricas e vamos começar pelas que mensuram os resultados das receitas e vendas.

ROI — Retorno sobre investimento

Return on Investment ou ROI é a comparação entre o dinheiro investido na ações e esforços de marketing e o que foi recebido ou perdido pela empresa ao final de uma campanha, ou seja, é a métrica que mensura se o resultado da empresa é de lucro ou prejuízo.

A fórmula do ROI é simples:

ROI = receita-custo do investimento/custo do investimento

Vamos entender por meio de um exemplo prático. Se a empresa gastou R$5.000,00 na estratégia de marketing e obteve R$7.000,00 de receita, basta calcular para saber o resultado:

ROI = 7.000–5.000/5.000

ROI = 2.000/5.000

ROI = 0,4

O retorno da empresa seria de 0,4, o que corresponde a 40% sobre o valor de investimento.

CAC — Custo de aquisição por cliente

Quanto a empresa gasta para a aquisição de um novo cliente? Mesmo que a campanha seja bem-sucedida de um modo geral é possível que o custo de aquisição individual seja alto, o que sugere revisão das estratégias.

Os resultados ajudam também a definir o orçamento e as estratégias de marketing, se for identificado um resultado não satisfatório.

A fórmula do CAC é definida por:

CAC =  Custo total para aquisição de clientes / Total de novos clientes

Ticket médio

O ticket médio é o valor médio de compras do cliente, calculado ao dividir a receita pelo número de vendas. Assim será possível mensurar a performance de vendas e saber se as ações correspondem ao faturamento previsto.

O cálculo permite utilizar duas fórmulas:

Ticket Médio = faturamento bruto / volume de vendas

Ou

Ticket Médio = total de vendas em R$ / número de clientes

Lifetime Value ou LTV — Valor do tempo de vida do cliente

Uma métrica que calcula o tempo de vida do cliente na empresa e o lucro gerado durante esse período, ou seja, qual a receita resultante do tempo de compra e aquisição desse cliente.

Ela permite que a empresa avalie não só o comportamento de compras do consumidor, como as interações da empresa e como foram trabalhadas as ações de engajamento e vendas efetivas.

Para calcular o LTV é preciso já saber o valor do ticket médio de um cliente e assim utilizar a fórmula:

LTV = (ticket médio × média de compras por cliente a cada ano) × média de tempo de relacionamento

Métricas de campanhas pagas

Para as campanhas pagas existem outras métricas igualmente importantes para um negócio. São elas:

CTR ou Click-through-rate — Taxa de Cliques

A taxa de cliques é medida pelo número de cliques dividido pelo número de visualizações de um anúncio em exibição em mídias pagas como Google Ads, Facebook Ads e LinkedIn Ads e serve para avaliar a performance dos anúncios, pois quando estão baixos geram prejuízo para a empresa, por custarem mais caro.

A fórmula é simples:

CTR = (Número de cliques no anúncio / Número de impressões) x 100

CPC — Custo por clique

Mensurar quantos cliques são obtidos em cada mídia paga vai permitir que o pagamento seja efetuado de acordo com o número de cliques realizados e que se visualize o desempenho das mídias separado para identificar a que melhor atende ao negócio da empresa.

Na fórmula:

CPC = Custo da campanha / Número de cliques obtidos

CPL — Custo por lead

As empresas que têm como objetivo a geração de leads farão bom uso dessa métrica, uma vez que ela permite mensurar como anda a relação dos leads com a empresa. Se o CPL estive alto, a conversões devem superar as expectativas para fazer valer o investimento na campanha.

A fórmula:

CPL = Investimento total na campanha / Número de leads gerados

Bounce Rate — Taxa de rejeição

O ato do visitante entrar e sair do site sem se deter por muito tempo ou interagir com qualquer informação disponibilizada dá base de cálculo para a taxa de rejeição. Pode ser que ele clique e feche rapidamente, volte na aba do navegador ou digite outro endereço.

Para calcular:

Taxa de rejeição = Número total de visitantes de uma única página / Número total de entradas nela

Taxa de conversão para KPIs

Considerando os KPIs referentes a uma campanha, o uso da métrica possibilita o acompanhamento da audiência no site da empresa e se ela está de fato convertendo os leads e resultando em negócios.

Na fórmula:

Taxa de Conversão = Total de conversões / pelo total de visitantes

O resultado permite avaliar se o rendimento de vendas pode ser considerado como bom a julgar pela quantidade de visitantes que chegaram ao fundo do funil e concretizaram uma compra.

Métricas de marketing de conteúdo

Taxa de conversão para CTA

Nessa métrica o foco está na conversão do CTA, que deve ser bem elaborado convidando o lead para uma ação definida que estimule a conversão em vendas e a transformação em cliente. O CTA deve ser objetivo e claro, sem rodeios, com um direcionamento seguro que faça o lead confiar na proposta.

Taxa de conversão do funil

Durante a jornada de compra, o visitante vai se tornar lead e depois cliente. Cada uma das fases apresenta um desempenho que pode ser mensurado por métrica. É uma forma de saber o resultado individual de cada um dos estágios e criar estratégias mais ou menos agressivas, para uma ou todas elas.

Talvez a empresa descubra a potencialidade do fundo do funil, que não chega a se concretizar por ações enfraquecidas no topo ou no meio, dificultando assim, o avanço até a decisão de compra.

Visitas no site

O número de visitas no site diz muito sobre atração e retenção. O conteúdo relevante tem o poder de buscar novos visitantes, sejam os mesmos que voltam ao site mais vezes ou outros visitantes que foram indicados, viram um anúncio ou estão em busca de algo.

Não é uma métrica que sozinha traz grandes resultados, mas serve para compor a base analíticas em conjunto com as diversas outras apresentadas nesse guia.

Visitas únicas

Essa métrica mostra a quantidade de usuários únicos que visitam o site da empresa e com ela é possível saber um percentual estimado de retorno aos conteúdos disponibilizados.

Tempo gasto no site

O tempo de uma pessoa navegando no site é muito importante para a empresa, pois mostra o possível interesse pelos conteúdos. Quanto mais tempo durar o acesso e a permanência, mais sugere o alto índice de aceitação e audiência.

Métricas de e-mail marketing

Vamos agora às métricas que mensuram o desempenho dos e-mails enviados pela empresa nas diversas ações promovidas pelo departamento de marketing.

Taxa de abertura de e-mail

As empresas utilizam uma lista de endereços de interesse comum para enviar um número maior de e-mails com o mesmo conteúdo. A estratégia visa abordar aqueles que inseriram dados e demonstraram querer saber mais sobre a empresa.

Acontece que nem sempre os e-mails enviados são abertos e isso pode gerar frustração, perda de tempo e de investimento. Mesmo que os e-mails sejam automatizados há sempre um custo correspondente que deve ser recuperado durante a ação.

Se a empresa detectar uma taxa alta de não abertura de e-mail é preciso verificar os assuntos, diversificar a abordagem e identificar o tipo de assunto que mais atrair e produz audiência.

Taxa de cliques em e-mail

Quantas pessoas clicam no conteúdo do e-mail? É fundamental saber se o conteúdo disponibilizado dentro do e-mail impactou o leitor a ponto de ele desejar abrir dar sequência na leitura.

Deixar a mensagem criativa, quase lúdicas nos pontos principais para cliques pode estimular o leitor visualmente a abrir e verificar o conteúdo.

Ferramentas do Marketing Digital

Agora veremos as ferramentas que possibilitam colocar as estratégias em prática e que geram tantos resultados positivos para uma empresa.

Ferramentas de SEO

As ferramentas de SEO são imprescindíveis para estabelecer estratégias eficazes e alcançar os objetivos com maior rapidez. Tem se tornado cada vez mais importante para o desenvolvimento de projetos de otimização de sites e produção de conteúdo.

Atualmente, há diversas ferramentas de SEO que podem ser utilizadas para aprimorar a gestão e os resultados, basta escolher uma certa para os serviços desenvolvidos pela equipe.

Para pesquisas de palavras-chave

  • Keyword Planner – planejador de palavras-chave do Google
  • SEMRush
  • Keywordtool.io
  • WordStream
  • Moz Keyword Explorer
  • Google Trends
  • Google Analytics
  • Google AdWords

Para monitorar sites e blogs

  • Google Analytics
  • Google Search Console
  • SEMrush
  • MozBar
  • Screaming Frog SEO Spider
  • Majestic SEO
  • Google Page Speed Insights

Para automação de marketing

  • Customer.io – automatização de e-mails
  • HubSpot – geração de leads e gerenciamento do funil de vendas no piloto automático
  • Pardot – melhoria das análises
  • AdRoll – automatização das campanhas publicitárias
  • Marketo – estímulo natural dos leads
  • Dialog Tech – automatização das análises de ligações
  • Oracle Eloqua – veiculação de campanhas personalizadas em múltiplos canais
  • Bizible. – acompanhamento das interações de marketing em todos os canais
  • Act-On – estimulação transparente de leads de entrada e saída
  • LeadSquared – automatização da trajetória do cliente
  • Bremy – automatização de conteúdos de marketing
  • Infusionsoft – obtenção de ferramentas automatizadas de CRM, vendas e marketing
  • Genoo – crescimento, engajamento e aquisição de clientes
  • Salesfusion – atração, captura e otimização de leads
  • BuzzPortal – automatização e engajamento do cliente
  • iContact – segmentação e automatização das experiências
  • Net-Results – criação de fluxos de trabalho automatizados de marketing
  • GreenRope – simplificação da automação de marketing
  • MailChimp – envio de campanhas automáticas de e-mail
  • Gliffy – automatização dos procedimentos de marketing
  • Jumplead – uso da automação de inbound marketing
  • SharpSpring – integração das estratégias de marketing e vendas

Para e-mail marketing

  • Mailchimp –  criação listas personalizadas, campanhas e mensurar resultados
  • RD Station – automatização completa de marketing
  • Mailify – criação de campanhas automatizadas multicanais
  • Infusion Soft – e-mail marketing completo
  • E-GOI – geração de leads e canais de comunicação integrados
  • Mad Mimi – criação, edição e envio de acompanhamentos de e-mail
  • Litmus  – teste e análise campanhas
  • LeadLovers  – gestão de leads
  • Optin Monster  – gerenciamento de contatos
  • MailJet  – automatização e nutrição no envio e-mails
  • AWeber  – automatização de marketing com melhor custo benefício
  • Zoho – provedor de email personalizado
  • LeadPages  – conversão de visitantes em contatos
  • HelloBar – captação de contatos em sites
  • Vertical Response – envio newsletters, e-mails de resposta e promocionais
  • Active Campaign – criação de fluxos de automação de marketing
  • Visual Web Optimizer – realização de comparativos entre campanhas
  • IsValid.org – comparação de rendimento de campanhas
  • Raven URL Builder – criação de links personalizados e otimizados para o Analytics
  • Button Optimizer  – criação de versões personalizadas para CTA’s
  • Mautic – aplicação de diferentes formas de estratégia de marketing
  • Hemingway App – auxílio na conversão de leads em clientes
  • Act-On – permissão para gerar reconhecimento de marca e aquecer leads e reter clientes
  • Adobe Campaign – automação e gerenciamento de campanhas
  • BombBomb  – criação de campanhas usando vídeo para comunicação com clientes
  • Is Not Spam – inibição do envio de e-mails de marketing para a caixa de spam
  • Mailbiz – ferramenta de disparo e consultoria estratégica para e-commerce
  • Nitronews – e-mail marketing gratuito

Formas de aprender sobre Marketing Digital

Há uma infinidade de materiais sobre o marketing digital em versões impressas e online. Muitos autores que são autoridade no assunto contribuíram e continuam contribuindo para enriquecer o conhecimento dos profissionais que atuam na área.

Nomes como Philip Kotler, Seth Godin, Marc Benioff, Joe Pulizzi, Adele Revela, Neil Patel, Rand Fishkin, Mari Smith, Larry Kim, Flávio Muniz, Gary Vaynerchuk, entre outros, são considerados verdadeiros gurus do Marketing e do Marketing Digital e inspiram milhares de profissionais a seguirem os mesmos passos.

Além disso, muitas empresas que se tornaram também referência ao longo dos anos, mantêm em seus sites e blogs, conteúdos de total relevância para o mercado e disponibilizam, além de cursos e materiais, um arsenal de informações que podem ser utilizadas em diversas estratégias.

Confira alguns dos sites de grande referência no mercado!

Resultados Digitais

Para quem procura resultados reais com marketing digital, o blog da Resultados Digitais é leitura obrigatória. Os posts são diretos e didáticos, com o objetivo de auxiliar na construção de estratégias eficientes voltadas para o marketing digital.

Hubify

A empresa especialista em marketing digital desenvolveu um site interativo que mantém um diálogo dinâmico com seus leitores. Os conteúdos do blog são diversificados e abordam todos os temas relacionados ao marketing e suas estratégias.

A Hubify é uma empresa inovadora, com vasta experiência no uso de estratégias com foco em resultados, que oferece cursos presenciais sobre diferentes temas que englobam o marketing como um todo — um diferencial de quem apresenta cases de sucesso e muitos conteúdos avançados.

Rock Content

No blog da Rock Content é possível encontrar um conteúdo vasto e completo sobre o Marketing e suas aplicações, com referências de livros e cursos para desenvolver todos os tipos de pessoas que se interessem pelo tema.

Agência Mestre

A Agência Mestre é uma das maiores referências em SEO do Brasil e seu blog oferece conteúdos objetivos, sustentados pela relevância e autoridade sobre o assunto — são conteúdos que podem ajudar e agregar mais conhecimentos aos profissionais da área.

Mundo do Marketing

O Mundo do Marketing é um portal informativo que abre discussão sobre as tendências de mercado e aplicações do marketing no Brasil. No site o leitor encontrará artigos, notícias, entrevistas, estudos e todos os tipos de informação aos leitores, profissionais ou não da área de Marketing que se interessam pelo assunto.

HubSpot

A HubSpot é uma das mais importantes empresas de marketing do mundo com papel importante na difusão e propagação do Inbound Marketing. No site são disponibilizados materiais como e-books, cases de sucesso, whitepapers, infográficos e vídeos.

É considerado um dos blogs mais completos da web fornecendo conteúdos relevantes sobre marketing digital, marketing de conteúdo, inbound marketing, ferramentas e estratégias, mídias sociais, entre outros.

Ahrefs

O blog da empresa é voltado para o mercado de SEO e disponibiliza guias completos para quem se interessa pelo assunto. Temas como planejamento de palavras-chave, link building.

Devido à preocupação com a qualidade dos conteúdos que são mais extensos e ricos em detalhes, o volume e frequência de postagens são menores que os outros blogs.

Backlinko

Um blog especializado em SEO, com conteúdos bem elaborados que guiam o conhecimento dos profissionais de marketing ou pessoas interessadas em aprender mais sobre o assunto.

Hootsuite

O Hootsuite é uma plataforma de gerenciamento de redes sociais e seu blog contém diversos conteúdos de marketing digital. O foco maior está em redes sociais, mas também aborda outros assuntos.

Neil Patel

No blog de Neil Patel o leitor vai encontrar artigos bem completos sobre marketing digital e cases de sucesso que referenciam a si mesmo. A abordagem é prática e objetiva, estimulando totalmente o aprendizado.

Content Marketing Institute

Outro site que fornece uma gama de conteúdos sobre o marketing e suas variações. São disponibilizadas pesquisas, estudos e cases para complementar a leitura.

Moz

Especializada em SEO, a Moz disponibiliza conteúdos interessantes e didáticos em seu blog. São artigos que demonstram a autoridade sobre o assunto, produzidos por grandes nomes do mercado de marketing.

Think With Google

Esse é um blog dinâmico que mescla assuntos sobre marketing, tendências, tecnologia e transformação digital. Os conteúdos são ricos em informações relevantes e bem produzidas.

Buffer

Quem deseja aprofundar o conhecimento sobre redes sociais, deve acessar o blog da Buffer Social, pois é um dos melhores a nível internacional. Os artigos ensinam sobre criação de conteúdo análise e monitoramento, ferramentas para ampliar as chances de conversão nas redes sociais.

QuickSprout

Os conteúdos do blog da QuickSprout são guias extensos e de extrema relevância para os amantes do mercado de marketing digital. É um dos blogs que faz uso das ferramentas desenvolvidas por Neil Patel, o que atesta a qualidade e importância das postagens.

NewsCred

Com foco no Marketing de conteúdo, a NewsCred é uma grande plataforma que disponibiliza no blog, diversos artigos direcionados ao mercado de marketing. O objetivo é que os conteúdos agreguem valor e conhecimento a todos os leitores.

Growth Hackers

Mesmo não sendo um blog, vale citara Growth Hackers como referência de bons conteúdos. Há um espaço totalmente dedicado à uma comunidade especifica que se interessa pelo universo do marketing digital.

Contently

Os conteúdos são avançados sobre técnicas e estratégias de marketing, e abordam profundamente as ferramentas e aplicações, preparando diversos profissionais para serem bem-sucedidos na carreira.

Unbounce

Que quiser conhecer mais profundamente sobre os processos de conversão, deve acompanhar os conteúdos disponibilizados no blog da Unbounce. Os conteúdos são didáticos e objetivos para ajudar na obtenção e resultados positivos para as empresas.

Shopify

O site da Shopify traz diversos conteúdos para quem atua ou pretende atuar no comércio online. Além de relevantes, os conteúdos ensinam sobre técnicas e aplicações no marketing para gera melhores oportunidades de vendas.

SalesForce

Apesar de o foco não ser diretamente em marketing digital, a Sales Force é um parceiro das ações de marketing voltadas para vendas. Os conteúdos ajudam a entender sobre a excelência no atendimento ao cliente e técnicas de marketing e vendas.

O que se percebe ao longo do tempo é que as empresas que não aderirem ou se adequarem a esse novo formato de lidar com o consumidor, vão sofrer graves consequência com a perda de eficiência e visibilidade.

Muitos caminhos são específicos para negócios que operam em ambiente online. Os profissionais da área de marketing precisaram se reinventar e aprender a utilizar as ferramentas adequadas e assim engajar não apenas os potenciais clientes, como também os profissionais da própria empresa.

A mudança do mindset foi essencial para promover uma nova cultura organizacional pautada em resultados, mas dentro de um contexto humanizado em que o visitante já não é mais obrigado a consumir um determinado tipo de produto.

A visão de negócio mudou e com ela a relação com o cliente que se tornou bilateral com total autonomia para que ele determine o que precisa ou procura. Cabe à empresa perceberem que devem unir forças com quem tem o poder de decisão em alguns cliques.

O marketing digital assume um protagonismo importante para o mercado online e traz junto consigo diversas estratégias e ferramentas para potencializar negócios e gerar resultados satisfatórios e rentáveis para as empresas.

O conhecimento e domínio das ferramentas e suas aplicabilidades, permitem maior interação no mercado, sendo esse um dos motivos de existência e fortalecimento do marketing digital — a necessidade de aproximação do público-alvo, o que não era possível no marketing tradicional.

Esperamos que você tenha gostado deste guia e que ele sirva de fonte contínua de consulta. Confira nossas agendas sobre cursos de Marketing Digital, acompanhando as nossas redes socais. Estamos no LinkedIn, Facebook e Instagram.

RESUMO

O que é e qual a importância do Marketing Digital?

Marketing digital é um conjunto de muitas ferramentas e soluções, mas pode ser definida na união de marketing e comunicação em um ambiente virtual para interagir com os consumidores. É uma ferramenta importante para potencializar a geração de novos negócios e sucesso profissional.

Quais são as vantagens do Marketing digital?

  • Interatividade
  • Direcionamento
  • Mais Oportunidade
  • Análise e Mensuração
  • Menor Custo
  • Maior Alcance
  • Aumenta ROI
  • Personalização
  • Melhor Conversão

Posts Relacionados