O guia completo de mídia paga

Oscar Sigaki

15 minutos de leitura

Para promover melhor seus negócios e aumentar as chances de vendas, as empresas, cada vez mais, têm investido em mídias pagas, ou seja, pagando para veicular anúncios em canais com maior potencial alcance e audiência, visando  o impulsionamento da marca — utilizar a mídia paga é uma estratégia mensurável que pode gerar um bom lucro!

 

A mídia é uma das grandes aliadas da empresa que deseja tornar visível o seu negócio e alavancar boas vendas, pois, quanto maior a visibilidade, maiores as chances de alcançar o público-alvo e atraí-lo.

São muitos os canais já utilizados como rádio, televisão, revistas, mas depois de uma mudança significativa no comportamento do consumidor e sua migração para os meios digitais, tornou-se necessário recorrer a um caminho mais eficiente — o da mídia paga.

Neste post trazemos um guia completo de mídia paga para você conhecer todas as possibilidades de divulgar o seu negócio e obter resultados de sucesso. O objetivo deste guia é nortear suas ações e servir de fonte de consulta sempre que for necessário!

Quer saber o que você verá neste guia?

  • Conceito é origem da Mídia paga
  • Vantagens da Mídia paga
    • Aumento de tráfego e visibilidade
    • Investimentos flexíveis
    • Formatos variáveis
    • Resultados rápidos
    • Resultados mensuráveis
    • Identificar e segmentar seu público
  • Principais canais da Mídia paga
    • Google Ads
    • Facebook Ads
    • Instagram Ads
    • LinkedIn
  • Como obter sucesso com a Mídia Paga
    • Leilão do Google
    • Mídia programática
  • Principais métricas para análise
    • Custo por clique (CPC)
    • Taxa de cliques (CTR)
    • Custo por 1.000 impressões (CPM)
    • Custo por lead (CPL)
    • Custo por aquisição (CPA)
  • Principais métricas das mídias sociais
    • Facebook Ads
    • Instagram
    • Stories
    • LinkedIn
    • Twitter Analytics
    • Youtube Analytics

Conceito é origem da Mídia paga

Para alcançar maior audiência e aumentar as chances de um resultado mais rápido, as empresas podem recorrer às mídias pagas, ou seja, pagar para promover seu negócio em plataformas e redes sociais com alcance mais amplo.

Todas as estratégias são pensadas e elaboradas com foco voltado para uma exposição com maior evidência, o que pode acelerar a visibilidade e o interesse do público-alvo em conhecer a marca e adquirir produtos ou serviços da empresa anunciante.

A mídia paga nasceu de uma necessidade maior das empresas impulsionarem suas vendas na internet. Embora as mídias convencionais surtissem efeito, o alcance era menor e mais lento.

As ferramentas de grande impacto como Google Ads e o Facebook Ads são algumas das mais eficientes e utilizadas por empresas do mundo inteiro. Com elas é possível desenvolver um relacionamento mais profundo e próximo com o visitante, objetivando que ele se torne um lead, um consumidor e um cliente no futuro.

A relevância do conteúdo nas mídias pagas faz toda  diferença e deve ser capaz de gerar maior tráfego, atrair, reter e nutrir os leads para aumentar seu interesse de permanecerem conectados e conhecer mais do que a empresa tem a ofertar.

Vantagens da Mídia paga

Nunca a expressão “o que não é visto, não é desejado” fez tanto sentido para o marketing digital quanto na atualidade, em que a disputa pela vantagem competitiva anda acirrada no ambiente virtual.

É fundamental recorrer a estratégias com retorno rápido e de ampla abrangência. No entanto, a atenção à relevância do conteúdo é essencial para garantir uma boa visibilidade, considerando que há uma infinidade de concorrentes utilizando os mesmos recursos.

O consumidor da nova geração é apressado e não se detém em algo que não seja útil ou apresente custo-benefício diferenciado. A mídia paga é efetiva e extremamente necessária para as ações desenvolvidas no outbound marketing.

Vejamos algumas das vantagens que a mídia paga pode oferecer à empresa!

Aumento de tráfego e visibilidade

Há um volume imenso e contínuo de usuários na internet. Muitos realizam buscas aleatórias e despretensiosas, sem uma motivação de compra eminente. Outros chegam ao site impulsionados por um anúncio de mídia convencional ou indicação de parentes e amigos.

O investimento em mídia paga, no entanto, agrupa diversos tipos de ações para garantir a visibilidade e aumentar o tráfego orgânico. Quanto mais visitantes se interessarem em acessar alguma mídia em que a marca estiver inserida, mais possibilidades a empresa terá de aplicar estratégias para conversão.

O ideal é que a empresa crie anúncios segmentados, ou seja, preparar cada anúncio conforme as características da mídia e do potencial público. Dessa forma, a empresa poderá nutrir e gerar leads mais qualificados, baseado em sua jornada de compras.

Uma empresa em início das atividades, ao adotar a mídia paga como estratégia, estimulará um tráfego mais intenso, ainda que não tenha um bom posicionamento ou quantidade elevada de conteúdos relevantes — mesmo os resultados não sendo tão rápidos, será uma aplicação efetiva.

Entender o mecanismo da mídia paga — direcionamento para o site da empresa, conteúdo do blog, Landing Page — é importante para definir o modo de abordagem para início do relacionamento com o potencial cliente.

Investimentos flexíveis

Com a mídia paga a empresa não precisa de um investimento alto logo no início. É possível realizar experimentos e testes, avaliando a reação e a resposta do público-alvo, sem contar no tempo de ocorrência dessas respostas.

Claro que é imprescindível determinar as ações, considerando os objetivos e a urgência da empresa por resultados. Conforme uma mídia for proporcionando retorno, a empresa pode aumentar o investimento sem, contudo, se esquecer de verificar o alcance esperado do ROIRetorno sobre o Investimento.

A flexibilidade de investimento é uma das maiores vantagens da mídia paga. Ter o poder de escolha sobre os valores a investir em cada tipo de estratégia auxilia a gestão da empresa e permite uma análise progressiva para tomar decisões mais acertadas.

Formatos variáveis

A diversidade de formatos é outro fator vantajoso das mídias pagas, pois a empresa não precisa se deter em apenas um tipo de canal, mas utilizar tanto as mídias convencionais, quanto as atuais, essencialmente, do ambiente virtual — redes sociais e site com conteúdo relevante.

Cada formato oferece uma particularidade diferenciada e cabe à empresa analisar aquelas que mais bem traduzirem a essência do negócio e alcançarem melhores resultados. Valerá a pena investir nas mídias com retornos substanciais de tráfego, engajamento e conversão de leads.

Resultados rápidos

Quando a empresa paga pelos anúncios e divulgação de estratégias, os resultados serão percebidos mais facilmente. Há uma previsibilidade e identificação do tipo de mídia com aceitação do público-alvo em um tempo mais curto e diferente das mídias convencionais.

A estimativa do resultado pode ser definida de acordo com o que é investindo e em que tipo de mídia será investido. São situações distintas que, quando aglutinadas podem apresentar um número expressivo e eficiente, contando com os dados que a mídia paga fornece durante o período.

Resultados mensuráveis

Por falar em dados, nada melhor do que ter a condição de quantificar o retorno de um investimento com dados reais para gerar informações consistentes de auxílio e suporte à gestão, principalmente, no que se refere à tomada de decisão.

O surgimento da cultura data-driven e uso de ferramentas como Business Intelligence e Big Data, permitem filtrar e utilizar os dados de acessos de visitantes, leads, consumidores e clientes para produzir informações reais sobre o comportamento do consumidor na internet.

Com os dados em mãos, além das informações gerais é possível aplicar diversas métricas específicas de avaliação e monitoramento, para identificar no desempenho onde e quando a equipe de marketing e vendas pode atuar mais estratégica ou agressivamente.

Identificar e segmentar seu público

É fundamental que a empresa conheça bem o seu público-alvo para direcionar suas ações adequadamente. Sem a identificação e segmentação do público, o risco de gastos desnecessários é grande, assim como a falta do retorno esperado.

Se ainda assim, perceber que é preciso realizar alguma ação para, exatamente, identificar o público, o ideal é fazer um investimento modesto para realizar alguns testes e validações sem comprometer o orçamento.

É essencial pensar que a mídia paga deve ter um direcionamento e uma personificação do público que a empresa deseja atingir. Algumas informações e características podem ser apontadas, mesmo sem a certeza de que se trata do público correto.

Principais canais da Mídia paga

Os canais da mídia paga que vamos explorar neste guia são os principais e com maior índice de retornos satisfatórios. São aplicáveis em diversos tipos de empresas, independentemente do porte ou segmento.

A efetividade de uma ação está em como ela é estruturada e incorporada ao negócio. Saber quais são os objetivos e aonde se pretende chegar com uma estratégia de marketing são os pontos mais importantes da utilização da mídia paga como veículo de divulgação empresarial.

Vamos conhecer agora esses canais e como eles funcionam!

Google Ads

A gigante das buscas virtuais ocupa o topo das mídias pagas. O Google Ads, antes conhecido como Google Adwords, é uma plataforma para criação de anúncios pagos, lançada em Outubro de 2000.

A ideia de investir em uma plataforma como o Google Ads é a de ranquear nas primeiras posições de busca, considerando as estratégias de SEO — Search Engine Optimization ou otimização para mecanismos de buscas, valendo-se do uso de palavras-chave específicas e estratégicas.

Se você decidir pela utilização do Google Ads, esteja pronto para mensurar todo o desempenho dos buscadores. Será primordial acompanhar os indicadores e as oscilações que sempre deixam dados e informações com dicas que podem ser úteis para o seu negócio.

Cada palavra-chave desempenha um papel de extrema importância para o ranqueamento. O bom ranqueamento depende de seu uso adequado e acompanhar a performance nos conteúdos fará com que o investimento seja válido.

O Google Ads disponibiliza 5 tipos diferentes de anúncios:

  • Rede de pesquisa – a campanha da sua empresa terá exibição bem próxima aos resultados da pesquisa realizada por um usuário de qualquer termo relacionado às palavras-chave presentes nos conteúdos desenvolvidos;
  • Rede de display – se você deseja que seus anúncios sejam vinculados a sites de notícias e blogs em geral esse é um excelente recurso;
  • Google shopping – esse tipo de anúncio possibilita ao usuário pesquisar e encontrar produtos relacionados e fazer comparativos de preços entre os fornecedores;
  • Vídeo – ideal para atingir um público interativo que tem preferência por tutoriais ou explicações práticas sobre as funcionalidades ou uso de um determinado produto;
  • Universal para apps – apenas uma campanha serve de base para criação e distribuição de diversas campanhas para formatos e redes diversificados.

Como a ferramenta permite uma definição diária de investimento, faça um acompanhamento rigoroso, conforme o tipo de anúncio escolhido, para evitar perder o posicionamento ou investir um valor desnecessário.

Facebook Ads

Quanto Mark Zuckerberg criou o Facebook em 2004, talvez ele ambicionava, mas não dimensionava que se tornaria uma enorme rede de relacionamentos e também de negócios.

Com uma marca assustadora que ultrapassa os 2 bilhões de usuários ativos, somente no Brasil é possível identificar 102 milhões de usuários conectados diariamente. O Facebook é hoje um dos canais mais importantes para oportunizar negócios e visibilidade a uma empresa.

O Facebook Ads disponibiliza diversos formatos de anúncios para a sua campanha de marketing. Em cada uma delas é possível ir além do conteúdo textual para alcançar um volume maior de audiência.

O mais interessante do Facebook Ads é que você pode segmentar o público e direcionar os anúncios conforme os perfis que sua empresa deseja alcançar. Com o entendimento correto das características de perfil, você terá condições de desenvolver um público ideal para cada anúncio. Vamos entender!

  • Audiência principal – para que seu anúncio seja efetivo considere na audiência principal os dados demográficos como localização, estilo e estágio de vida, detalhes e características de compra, dentre outros;
  • Audiência personalizada – é possível encontrar uma audiência dentro daquelas que já existem entre os usuários ativos do Facebook;
  • Audiência similar – alguns consumidores e usuários apresentam características já conhecidas e se eles forem importantes para o seu negócio, será fácil criar uma audiência similar a uma já personalizada, por exemplo;
  • Facebook exchange – as plataformas externas de publicidade como a demand-side platform (DPS), por exemplo, ajudam a entender o comportamento do usuário e criar anúncios tomando como base as informações coletadas;
  • Partner categories – os parceiros externos disponibilizam dados das atividades realizadas fora do Facebook e que podem ser usadas para criar os anúncios baseados em segmentos.

Instagram Ads

Até bem pouco tempo o Instagram era apenas um redes social de postagens de fotos e vídeos que compartilhavam a vida pessoal, com gostos e preferências das pessoas. São cerca de 800 milhões de usuários ativos mensalmente com alcance de uma visibilidade incrível.

A versão para anúncio já figura como uma das principais estratégias do marketing digital, proporcionando bons negócios a empresas que decidiram utilizar a rede para vender produtos e serviços.

O objetivo do Instagram Ads é criar mídia de performance, com maior ênfase ao campo visual, promovendo compartilhamento de imagens e alta definição e vídeos dinâmicos de curta duração.

O valor pago para anunciar na plataforma varia entre os objetivos e o tempo que a empresa deseja se manter exposta, ou seja, o ideal é planejar a campanha antecipadamente e criar anúncios dinâmicos e visuais, considerando que esse é a essência maior do Instagram.

O Instagram dispõe de 5 modalidades de anúncio:

  • carrossel – permite o uso de duas ou mais fotos e/ou vídeos com limite máximo de 10 cartões por anúncio;
  • imagem única – apenas uma foto é permitida no anúncio;
  • vídeo único – para a empresa que optar por um anúncio em vídeo ele deverá ser único em formato .mp4, .mov ou .gif  com duração de até 60 segundos;
  • apresentação multimídia – você pode criar uma apresentação multimídia para exibição automática de slides. Essa versão não está disponível para os stories;
  • coleção  – essa é uma versão com diversos itens em movimento de uma tela cheia, ideal para quem pretende vender produtos, mas também não está disponível para os stories.

LinkedIn

A rede social mundial de relacionamento profissional LinkedIn está crescendo cada vez mais e já alcança mais de 500 milhões de usuários no mundo inteiro, mas não se limita à divulgação e troca de currículos.

As empresas também estão interessadas em trabalhar as estratégias de branding para atrair os profissionais mais talentosos, pois sabem, que um time competente é capaz de elevar o potencial de atuação no mercado.

Como obter sucesso com a Mídia Paga

Embora em muitos tipos de negócios o pagamento de um serviço seja garantia de bons resultados, no marketing digital não funciona da mesma forma.

Os anúncios realizados utilizando a mídia paga devem ter um acompanhamento sistemático do desempenho para mensurar a audiência, a atração e retenção de potenciais clientes, além do engajamento daqueles que já foram convertidos.

Há um desafio diário em vencer a concorrência e criar anúncios que despertem o interesse de visitantes e leads e que apresentem uma proposta de valor para os clientes que se encontram vinculados à marca e esperam sempre por novidades.

Para ter sucesso é essencial desenvolver com excelência as campanhas de mídia paga alguns passos são importantes e você deve se atentar a eles!

Leilão do Google

Assim como o leilão tradicional, em que um cidadão oferece lances para ter a preferência sobre a compra de um objeto leiloado, também o leilão do Google abre a possibilidade dos anunciantes oferecerem lances sobre algumas palavras-chave que estejam vinculadas a seus conteúdos para que apareçam nos resultados de pesquisa do buscador.

Com isso, como os cliques são pagos, toda vez que uma palavra-chave “leiloada” é acionada, o Google capitaliza mais um pouco. Funcionando na Rede de Display, os lances são enviados para exibição nos anúncios de sites do AdSense.

Os anunciantes têm o direito de definir o valor que desejam desembolsar por cada clique nos anúncios. O leilão de anúncios é quem classifica os anunciantes, considerando os lances e a qualidade, além de considerar aqueles que estão dispostos a pagar um preço mais elevado.

Antes de promover o leilão de anúncios, o Google, por meio de um sistema interno, faz a restrição dos anúncios do Google Ads, para filtrar e determinar quais anunciantes estão aptos e qualificados a entrar na concorrência pela exibição em suas páginas.

A escolha se dá por segmentação, considerando os anúncios relevantes tanto para o conteúdo, quanto para os usuários do site ou de acordo com o formato do anúncio, em que os anunciantes podem criar anúncios gráficos ou textuais e segmentar por canal.

O número de anunciantes define os lances para a exibição de anúncios em suas páginas, ou seja, quanto maior o número de lances, maior também será a concorrência e a arrancada para os blocos de anúncios, resultando em um lucro considerável.

Mídia programática

Pensar as estratégias de marketing digital utilizar o melhor que a tecnologia pode oferecer é correr o risco de ficar de fora na corrida por um lugar de relevância no mercado. Os melhores espaços publicitários da atualidade são pagos e acontecem permeados pelas plataformas tecnológicas.

A mídia programática se refere à automação de processamento de compra de mídia e otimização desses espaços para alcançar excelentes resultados. Isso quer dizer que não há interação ou intervenção de pessoas e sim, uma negociação de compra de um perfil público que atenda aos interesses da empresa para veicular os anúncios.

Depois da compra, um painel de controle é disponibilizado permitindo o controle do processo por parte do anunciante, onde se poderá realizar uploads de imagens, oferta de lances no leilão de anúncios do Google como uma finalização automática e eficiente própria ferramenta.

Apesar dos grandes avanços da Inteligência Artificial e do uso da automação para definir a maior parte das negociações entre anunciantes e os chamados publishers é notório que sem participação humana as definições de campanhas serão perdidas em meio aos mecanismos inanimados.

A mídia programática traz vantagens e otimização ao negócio considerando alguns fatores de resultados altamente relevantes para a empresa que deseja resultados expressivos.

  • eficiência
  • maior precisão
  • possibilidade de monitoramento
  • redução de custo
  • retargeting – possibilidade de mostrar anúncios segmentados a usuários que já conhecem a marca.

Principais métricas para análise

As métricas são como termômetro e bússola ao mesmo tempo, ou seja, mensuram algo e apontam um melhor direcionamento para o que foi apurado. No caso da mídia paga, algumas são necessárias e devem ser aplicadas de forma contínua.

Dissemos no início deste guia, o quanto os dados favorecem o trabalho da gestão e dos times envolvidos. São eles que, quando coletados, filtrados adequadamente e transformações em informações, fornecem um material rico para auxiliar as decisões de mudanças ou melhorias.

Veja as métricas mais importantes para análise e verificação os resultados de utilização das mídias pagas.

Custo por clique (CPC)

Qual é a média do valor pago por cada clique? É uma métrica que serve para avaliar quais são os melhores canais e palavras-chave estão proporcionando melhores resultados, assim como aquelas que devem ser melhoradas.

O cálculo é simples, bastando dividir o valor de cada campanha ou anúncio pelo número de cliques gerados

Taxa de cliques (CTR)

A taxa de cliques analisa as chamadas, as segmentações e as palavras-chave utilizadas. Por ela é possível identificar a porcentagem de cliques que o anúncio teve comparado com o número de vezes que ele foi exibido.

Dessa forma é possível, inclusive, avaliar o percentual da taxa, considerando o horário de exibição, o que possibilita a otimização de um anúncio direcionado para um público específico.

Custo por 1.000 impressões (CPM)

A cada mil impressões do seu anúncio, qual é o custo da sua empresa? Cada uma impressão corresponde a uma das vezes que o Ad foi mostrado, com ou sem interação de um usuário.

O cálculo é feito utilizando a fórmula custo total do ad dividido pelo total de impressões vezes mil.

Custo por Lead (CPL)

Já sabemos que o Lead é aquele visitante que demonstrou algum interesse pela marca, mas ainda não se decidiu pela venda. O custo por lead tem o objetivo de apurar o valor por cada um desses leads na torcida para que ele entre em conversão e se torne um cliente.

O cálculo é realizado tomando como base o valor total da campanha dividido pelo número de leads convertidos. Quanto mais baixo, mais será possível afirmar que as campanhas e anúncios estão sendo eficientes.

Custo por aquisição (CPA)

Como o próprio nome diz, essa é a métrica responsável por compreender o quanto a empresa está investindo para a conversão em vendas. Investir em campanhas onerosas ou realizar novas campanhas para garantir a qualificação dos leads vai aumentar o custo por aquisição, o que pode não ser um benefício para o orçamento da empresa.

O ideal é trabalhar efetivamente sobre uma campanha na tentativa de atrair a atenção de um número grande de visitante, oferecendo conteúdos relevantes na esperança que se tornem leads bem nutridos e se decidam pela compra dos produtos da sua empresa.

O cálculo é determinado pelo total de investimento dividido pelo número de conversões.

Principais métricas das mídias sociais

Facebook Ads

Dentro do processo de mídia paga utilizando um canal como o Facebook, você pode ainda recorrer ao Facebook Insights que disponibiliza diversas informações importantes sobre o desempenho da página da sua empresa.

A relevância das informações será atribuída ao contexto do que você deseja mensurar e analisar posteriormente, mas os dados estarão disponíveis para consulta sempre que necessário. São eles:

  • Curtidas: quantas pessoas curtiram a página da sua empresa em um determinado período? O mesmo vale para mensurar o número de descurtidas, que é ainda mais importante;
  • Alcance: o número de pessoas que visualizaram qualquer tipo de publicação na sua página demonstra o potencial de alcance de cada postagem, seja de promoções ou busca orgânica;
  • Publicações: se a empresa publicar algo em um determinado período, será possível verificar como foi a audiência e como os usuários se comportaram, selecionando, inclusive por dias e horários;
  • Pessoas: talvez esse seja o tópico de análise que mais importe à sua análise. Identificar pessoas através dos dados demográficos tem uma grande importância para o negócio. Conhecer a idade, o gênero, a localidade, possibilita a criação de uma persona mais próxima do seu negócio.

Instagram

O Instagram permite uma mediação bem definida de algumas das suas principais interações  o público visitante. Vejamos suas métricas:

  • seguidores: além do número de usuários seguidores de um perfil, a métrica permite analisar informações como: gênero, idade, localização, seguidores por hora e dia;
  • impressões: toda visualização é contabilizada como uma impressão e a métrica apura o número total de vezes que a sua publicação foi vista, independentemente de ser ou não a primeira visualização de um usuário;
  • alcance: quantas pessoas únicas visualizaram a sua publicação;
  • engajamento: o número de curtidas e de comentários que a sua publicação recebeu;
  • interações: total de ações e interações ocorridas em um perfil – visitas ao perfil e cliques no link da bio e cliques no call-to-action do perfil.

Stories

Para os stories também é possível estabelecer algumas métricas que servem de base para entender como os visitantes e usuários reagem a determinadas postagens.

  • interações: quantos toques uma história recebeu, incluindo cliques no link;
  • descoberta: qual o total de contas que foram alcançadas com a história publicada;
  • toques para voltar: o número de pessoas que voltaram para ver uma foto ou vídeo que publicados nos stories;
  • toques para avançar: o número de pessoas que clicaram para ver a próxima foto ou vídeo das histórias publicadas;
  • saídas: o número de vezes que um usuário saiu da história;
  • respostas: o número de respostas que uma foto ou vídeo recebeu dentro do Instagram stories.

LinkedIn

O LinkedIn também possui suas métricas específicas, que dimensionam o poder de alcance da mídia e como o público-alvo da sua empresa se relaciona com ela. Basta clicar no campo “Análise” para obter as informações a seguir:

  • visitantes: são os visitantes únicos e visualizações da página em um período, em dispositivos móveis e computadores. Nesse campo você conseguirá verificar os dados demográficos como função, país, região, nível de experiência, setor e tamanho da empresa;
  • atualizações: qual o número total de pessoas que gostaram, comentaram, compartilharam e passaram a seguir sua empresa nos últimos 30 dias;
  • seguidores: número de usuários que seguiram a página da sua empresa. É possível analisar considerando a demografia: localidade, função, nível de experiência, setor, tamanho de empresa e status no emprego.

Twitter Analytics

Sua empresa também pode usar o Twitter como uma estratégia a mais para impulsionar o negócio e alcançar um potencial grande de  novos clientes além de fortalecer os laços com aqueles já vinculados à sua marca.

Para analisar os dados gerados pelo Twitter Analytics você só precisa ir até o campo estatísticas e obter o resultado que precisa.

Lá você vai encontrar informações sobre o perfil, o número de menções recebidas pela sua empresa, as visitas ao perfil e impressões dos tweets — é possível identificar o seguidor e menção que mais se destacaram em um período.

Se você clicar na aba “Públicos” poderá conferir informações relevantes sobre os seguidores como interesses, sexo, idade, operadora de celular utilizada, sendo possível comparar o perfil do seu público com o de uma empresa da concorrência, por exemplo.  

Youtube Analytics

Embora esteja relacionado na última posição das métricas o YouTube é um dos canais de maior visibilidade e dispõe também de uma ferramenta Analytics para mensurar a performance da mídia.

Nela é possível analisar dados sobre as visualizações, os seguidores, os likes e também o tempo que o usuário passou assistindo aos vídeos. A métrica permite ainda um entendimento sobre as preferências dos usuários considerando os vídeos assistidos e a identificação de um perfil específico para o público da sua empresa.

Como percebemos, a mídia paga tem um alto poder de audiência que deve ser explorado, analisando o custo-benefício de sua utilização. É fundamental segmentar o público e utilizar os canais de forma estratégica para despertar o interesse do visitante, transformá-lo em um lead bem qualificado para aumentar as chances de conversão.

São ações de médio e longo prazo que determinam a capacidade de uma empresa em produzir bons conteúdos, que sejam relevantes para um público ainda em formação. Contar com especialista pode ajudar sua empresa a escolher as melhores mídias pagas para evitar um gasto desnecessário.

Vamos recapitular alguns pontos importantes deste guia?

Quais são os principais canais da Mídia paga?

  • Google Ads
  • Facebook Ads
  • Instagram Ads
  • LinkedIn

Quais são as principais métricas para análise?

  • Custo por clique (CPC)
  • Taxa de cliques (CTR)
  • Custo por 1.000 impressões (CPM)
  • Custo por lead (CPL)
  • Custo por aquisição (CPA)

Se você curtiu este guia e percebeu que pode aprender muito mais sobre o uso das mídias para converter as vendas em sua empresa, que tal assinar a nossa newsletter e receber conteúdos sobre diversos assuntos relacionados, direto na sua caixa de entrada!

Posts Relacionados