“O medo é a matéria prima da atenção na medida em que nos mantém atentos a qualquer falha, a qualquer detalhe que possa dar errado e que traz nossa atenção para o centro gravitacional, para a hora certa de saltar, para todos os sinais que treinamos”

Luiz Fernando Garcia, Administrador e Terapeuta especialista em donos de negócios.

Há mais de três anos a frente do Departamento de Expansão do Elefante Verde já conversei com centenas de pessoas querendo comprar uma de nossas franquias e uma das perguntas que gosto de fazer é:

Você tem medo de empreender? Do que você tem medo?

Geralmente a resposta é “sim, tenho medo de investir, dar errado e perder o meu dinheiro”, mas eu sempre comento: “Que bom! Pois, eu aprendi que a possibilidade de algo dar errado faz com que exijamos nosso melhor e, dessa forma, você poderá usar o medo que você sente a seu favor”.

E como fazermos isso exatamente? O primeiro passo para termos sucesso é estabelecer um alvo.

Este alvo precisar ser desafiante, ou seja, precisa ser como uma competição, precisamos entender que podemos ser campeões se jogarmos muito bem, mas precisamos entender também que a possibilidade de fracassar é inerente à uma boa competição.

Se não sentirmos medo diante de um objetivo significa que esse objetivo não passa de uma tarefa, não é algo grandioso a ponto de ser um desafio, não é algo que pode dar errado e, portanto, se completado com sucesso não nos dará o prazer da vitória.

A possibilidade de algo dar errado nos faz sentir medo e, portanto, faz com que exijamos nosso melhor, incentivando-nos a dar o máximo e mais um pouco de nós. E, o prazer de um desafio não vem de sua trajetória, mas somente depois da vitória.

Quanto mais nos desafiarmos, mais o nosso cérebro ficará “viciado” no prazer da vitória e, portanto, mais claro será seu caminho, mais atento estaremos aos detalhes fundamentais para o sucesso.

Uma das formas de vencermos o sistema do medo é entender que a ansiedade é nossa aliada, os sintomas que ela gera são como uma linguagem própria de alertas e recomendações. Temos que ouvir o que nossa ansiedade quer nos contar. A ansiedade serve para nos alertar de que precisamos nos preparar.

E a preparação é sempre um alívio para a ansiedade gerada pelo medo de não conseguirmos a vitória diante do novo desafio. Se o medo for grande, não tem segredo, prepare-se o dobro do que é considerado normal e você vai se surpreender com o que é capaz de conquistar.

Então, ao que tudo indica, o medo não é um sinal de fraqueza, mas sim de força mental na medida em que será o nosso guia para que as coisas deem certo.

Portanto, se você quer empreender, saiba que é normal sentir o frio na barriga, afinal de contas, pode ser que dê errado. Mas, use o medo a seu favor, prepare-se o dobro do normal e fique atento a cada detalhe durante a sua jornada. Não deixe que o medo vire pânico e lhe paralise, prepare-se e depois se jogue no novo desafio, afinal de contas, “Só descobrimos se podemos algo quando o fazemos”.

Como diz o Erico Rocha em um de seus vídeos, alguns empreendedores se preparam, apontam, se preparam, apontam, apontam, apontam, mas esquecem de atirar (clique aqui para assistir ao vídeo). Mas o empreendedor só ganha por ação, por realização.

Tentar é não fazer nada, é uma desculpa que serve como premio de consolação. Se ficarmos pensando, pensando, pensando, não faremos nada. Nós fazemos o caminho a partir de ações. Precisamos ter um alvo para nos preparamos, apontarmos e fogo!

Você está pronto para atirar?

Bibliografia: O cérebro de alta performance. Garcia, Luiz Fernando. Gente Editora.