Diferença de Site, Landing Page e hotsite, você conhece?

Rock Content

6 minutos de leitura

Se você já trabalha com Inbound Marketing, ter um site para a sua empresa já deve estar dentro das suas estratégias. Afinal, geralmente ele é o principal canal de uma marca na internet. Mas a questão é: você sabe a diferença de site, landing page e hotsite?

Se você tem um pouco mais de experiência na área, deve ter se deparado também com o termo landing page, que representa mais uma opção para a sua presença online, ou ainda com o conceito de hotsite, para embaralhar ainda mais a definição de mídia utilizada para cada estratégia.

E aí começam as dúvidas: o que é isso, para que serve, será que vale a pena investir? Qual a diferença entre site e hotsite e em que situação um é mais vantajoso que o outro?

Então, criamos este post para resolver essas dúvidas. Você vai entender as diferenças entre as plataformas, quando cada uma delas deve ser utilizada e como obter os melhores resultados com a opção escolhida. Acompanhe!

O que é um site?

Pode parecer estranho fazer essa pergunta, pois acessamos sites o tempo inteiro na internet. Neste momento, você mesmo está dentro de um site!

Mas, apesar de já estar habituado com sites, você sabe dizer o que eles são? É mais simples do que parece: um site é um conjunto de páginas na web sobre determinado assunto, reunidas em um mesmo domínio por meio de hiperlinks e identificado por uma URL.

Para as empresas, o site geralmente representa o centro da sua presença online. Lá, concentram-se todas as informações da marca e seus produtos ou serviços, bem como as conexões para outros canais, como o blog, as redes sociais e a newsletter.

Para transmitir todas essas informações, as páginas do site precisam ser organizadas numa hierarquia que o visitante compreenda facilmente e pela qual consiga navegar sem dificuldade.

Essa estrutura é essencial para proporcionar uma boa experiência ao usuário, que o faça encontrar o que deseja e ter uma boa percepção sobre a empresa.

Leia também: Tudo o que você precisa saber para criar um site para o seu negócio.

O que é uma landing page?

A grande diferença para o site é que a landing page tem um objetivo claro e específico de conversão. Por isso, ela é uma importante ferramenta do marketing digital.

Sua tradução para o português seria “página de aterrissagem”, porque é o local em que o usuário chega após clicar em um anúncio ou em um link de divulgação da empresa.

Ela não quer apresentar a empresa com informações abrangentes, nem direcionar o visitante para outros canais — a landing page quer transformar o visitante em uma oportunidade de negócio, ou seja, em um lead.

A intenção é fazer valer o investimento na divulgação. Já pensou se esse lead cai em uma página dentro do site que não tem esse objetivo específico? Um potencial cliente pode ser perdido.

Então, para convertê-lo de uma vez, a landing page é uma página única que motiva o preenchimento de um formulário. Nele, o usuário insere seus dados de contato (geralmente e-mail e nome) e, em troca, recebe algum benefício, como o download de um material ou um cupom de desconto.

Mas existe um importante ponto em comum entre os dois conceitos: a experiência do usuário. Assim como o site, uma landing page também deve ser um ambiente em que o visitante se sinta seguro e informado para realizar a ação que você deseja.

Como criar uma landing page que converte?

Tudo o que você quer em uma landing page é que o usuário realize logo a ação, certo? Por isso, existem alguns cuidados para que ele não desista e vá embora da sua página. Confira agora as nossas dicas:

Evite distrações

A landing page deve ser simplificada e focada no seu objetivo. Se você não quer de jeito algum perder um potencial cliente, não o faça perder o foco.

Por isso, todos os elementos da página devem ser pensados para a conversão. Faz sentido, por exemplo, incluir um link para o seu site? Se ajudar o usuário a tomar a decisão, tudo bem, mas talvez esse seja um empecilho que o faça abandonar a landing page.

Então, tenha atenção para os links, menus, imagens e textos que você incluirá na página. Eles só devem estar lá se motivarem a conversão.

Atenha-se às informações essenciais

Você também não deve fazer o visitante perder tempo. Quanto mais ele demorar a preencher o formulário, mais chances você tem de perdê-lo.

Então, na hora de criar a landing page, perceba quais informações o usuário realmente precisa saber e quais motivam ação. E, ao redigir, pense no papel de cada palavra para não tornar o texto prolixo.

A dica vale também ao criar o formulário. Você precisa saber qual o telefone da pessoa se pretende apenas enviar e-mail marketing? Solicite apenas as informações essenciais para agilizar o preenchimento. Quanto mais dados você solicitar, maior é a barreira do lead para tomar a ação que você deseja.

Pense no mobile

Design responsivo é uma regra para qualquer página da web. Afinal, cada vez mais as pessoas realizam suas atividades no aparelho que está sempre junto delas, inclusive suas ações de compra.

E, para garantir que todos os visitantes consigam concluir a ação dentro da landing page, você precisa oferecer uma boa experiência independentemente do dispositivo que eles usem.

Portanto, invista em um layout que se adapte a qualquer tela. Pense também que o usuário de smartphone quer mais agilidade, o que significa que a objetividade é ainda mais importante.

Crie um bom CTA

Um call to action é imprescindível para promover a oferta da landing page. Ele resume o que exatamente você quer do usuário: “inscreva-se”, “faça o download gratuito”, “compre agora”, “solicite um orçamento”.

Perceba, nesses exemplos, como o CTA é objetivo ao fazer apenas um pedido ao usuário, em poucas palavras. E o verbo está sempre no imperativo, para não deixá-lo em dúvida sobre o que fazer.

Para ser mais eficiente, escolha um botão de call to action que seja chamativo, para atrair o olhar do visitante rapidamente.

Faça testes A/B

Quem produz uma landing page deve buscar sempre as opções que mais gerem conversões. Se o vermelho no botão de CTA gera mais cadastros que o amarelo, então ele deve ser usado. Se um gráfico gera mais leads que uma fotografia, é preferível escolher o primeiro.

Mas como saber o que funciona melhor? É para isso que servem os testes A/B.

Você publica duas páginas iguais, apenas com uma diferença: aquilo que você quer testar, que pode ser uma cor, um texto, uma imagem ou um posicionamento. Então, será vencedora a página que tiver melhor desempenho em vendas, cadastros e inscritos, por exemplo. Assim, as mudanças acontecem com base no comportamento da sua persona.

O que é um hotsite?

Um hotsite é um microsite provisório vinculado ao site da empresa e criado para destacar ofertas e promoções sazonais de novos produtos ou serviços.

Na sua tradução literal, hotsite significa “site quente”. Isso já dá uma ideia da sua principal função: servir como uma ferramenta de marketing para promover algo por tempo específico.

Além disso, um dos objetivos de focar uma campanha temporária em um hotsite é para que o site principal da marca não fique fora do ar devido ao aumento no número de acessos.

Por exemplo, imagine que você tem uma empresa de produtos de informática. No seu site você disponibiliza informações do seu negócio, das peças que vende, formas de contato, horário de funcionamento etc. E, para divulgar uma promoção que oferece descontos para pedidos acima de determinado valor, você cria um hotsite.

Essa página (que normalmente utiliza um domínio adicional ou um subdomínio) será destinada apenas para informar os clientes sobre a promoção e vai existir somente enquanto a ação estiver em andamento. Quando terminar o período da campanha, o hotsite sai do ar, mas seu site não.

Quais as diferenças entre site e hotsite?

Em questões de criação, um hotsite não se diferencia tanto de um site comum. A grande distinção está no objetivo da comunicação, já que o primeiro tem um curto período de duração e o segundo serve como portal da marca.

O design de um hotsite pode ser voltado para a meta específica daquela campanha, podendo ser diferente da identidade visual da empresa. De qualquer maneira, um hotsite precisa ter uma comunicação clara e direta, fazendo com que o visitante entenda o conteúdo de forma rápida, sem se dispersar.

Além disso, é importante contar com formulários para a conversão do visitante em lead. Para tanto, assim como nas landing pages, é fundamental que os CTAs sejam chamativos e que as ofertas sejam objetivas.

Os hotsites podem ser destinados para diferentes utilizações, tais como:

  • lançamento de produto ou serviço;
  • promoções relâmpago (como a Black Friday, por exemplo);
  • divulgação de determinado evento ou seminário;
  • recolhimento de informações sobre o público-alvo por meio de pesquisas;
  • captação de e-mails para aumento do mailing.

Portanto, de maneira simplificada, pode-se dizer que uma landing page converte o lead em potencial cliente, o site oferece ao visitante conteúdo relevante e explica o posicionamento da sua marca e o hotsite ameniza o volume do site da empresa em períodos específicos de grandes promoções.

Enfim, cada canal e formato do marketing digital têm o seu papel na estratégia. É importante entender os conceitos e as boas práticas de cada um para fazer as escolhas certas, de acordo com os objetivos da marca no momento.

Leia também: 7 principais canais de marketing digital e a importância de cada um deles.

Agora que você conhece a diferença entre site e hotsite e sabe tudo sobre as funcionalidades de uma landing page, pode definir qual plataforma é a mais adequada para as suas campanhas de marketing!

Gostou desse conteúdo? Confira agora nosso post sobre marketing de performance e descubra como otimizar o crescimento da sua empresa!

Esse post foi produzido pela equipe da Rock Content.

Posts Relacionados