Confira todos os elementos necessários para ter um site seguro!

Rock Content

Rock Content

5 minutos de leitura

Garantir a segurança do site, por meio da adoção de senhas fortes, uso de ferramentas de segurança e a incorporação de um certificado SSL (Secure Socket Layer) à página é uma das boas práticas de SEO (Search Engine Optimization), e a melhor forma de manter a conformidade com a legislação.

Um site seguro é importante para garantir a presença online de empresas e pessoas na Internet. Ter uma página hackeada pode resultar na redução 98% do tráfego.

Isso, porque a segurança na navegação é um dos principais requisitos para a usabilidade na Web e isso também impacta na classificação em motores de pesquisa e, consequentemente, em uma estratégia de Marketing Digital.

Além disso, não ter um site seguro faz com que a sua marca esteja em desacordo com o compliance estabelecido por leis como a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados), que atribui responsabilidade para empresas, órgãos públicos e influenciadores digitais que coletam dados de terceiros em canais de contato com a sua audiência.

Você tem um campo de formulário em sua página como parte da estratégia de CRO (Conversion Rate Optimization)? Então você precisa se preocupar com o vazamento e a violação de dados dos usuários do seu site, pois isso também pode resultar em ações judiciais, sanções penais, multas pesadas e a ruína da reputação da sua empresa. Veja o que fazer para ter um site seguro.

Crie senhas fortes

Ter um site seguro também depende da postura dos usuários e senhas fracas ameaçam a segurança da página.

Por isso, nunca utilize logins e senhas padrão, como admin/admin ou crie combinações fracas, pois o avanço da tecnologia também favorece o surgimento de ferramentas e estratégias de ataque mais eficientes.

Essas ferramentas fazem testagens por meio de Inteligência Artificial e Machine Learning até que a senha esteja correta e o acesso seja autorizado.

As melhores práticas para a criação de senhas fortes abrange a não reutilização de senhas, a escolha de senhas longas — de preferência com mais de 12 caracteres e com letras maiúsculas, minúsculas, números e caracteres — e a adoção de opções aleatórias.

Altere as configurações padrão do CMS

Plataformas de gestão de conteúdo, como o WordPress, embora sejam extremamente funcionais, também podem estar sujeitas a vulnerabilidades de segurança.

Os ataques mais comuns contra sites são totalmente automatizados e as configurações padrão do CMS facilitam esse acesso.

Por isso, confira as permissões de instalação de extensões, mude as configurações para controle de comentários, usuários e a visibilidade de suas informações de usuário. As permissões de arquivo são outro exemplo de configuração que deve ser reforçada.

Faça backups regularmente

Essa já é uma boa prática conhecida, mas não custa reforçar: em casos de incidentes de segurança, os backups do site são cruciais para recuperar as configurações e o conteúdo disponibilizado da Web, ou restabelecer arquivos danificados.

Uma boa solução de backup deve atender aos seguintes requisitos:

  • posicionar fora do ambiente legado, de preferência em uma infraestrutura virtualizada (na nuvem), mas não no servidor do seu site;
  • estar automatizado, para evitar que você esqueça essa rotina e perca a oportunidade de ter uma cópia de segurança a salvo;
  • ser redundante: para isso o processo de backup deve ser programado com a máxima frequência possível, principalmente se o fluxo de acessos do site é grande;
  • ter uma recuperação confiável, que realmente funcione se necessário.

Instale um certificado SSL

Os certificados SSL são usados para criptografar dados em trânsito entre o servidor e o usuário. A criptografia também é realizada entre o host e o firewall, caso essa solução faça parte da infraestrutura de TI. Isso ajuda a garantir que as informações sejam enviadas com integridade, de forma correta e sem interceptação.

Alguns certificados SSL permitem que os usuários reconheçam sinalizadores durante o acesso ao site, o que garante mais confiabilidade uma vez que a legitimidade do site é atestada.

E-book SEO onpage

Use ferramentas de monitoramento e detecção

Monitore cada etapa do acesso para garantir a integridade e a confidencialidade do conteúdo e da infraestrutura. Os mecanismos de alerta podem melhorar o tempo de resposta e o controle de danos em casos de violação.

Sem essas verificações e varreduras não é possível saber que um site foi comprometido. Por isso, avalie os dados coletados sobre a infraestrutura e os registros de possíveis ocorrências. Algumas ferramentas costumam mostrar ataques ao servidor, como o DDoS.

Existem várias opções de ferramentas de segurança, como o SiteCheck, Sucuri WordPress Security Plugin, Google Search Console, Bing Webmaster Tools, Yandex Webmaster, entre outras.

Crie alertas para que você seja informado no caso de um ataque de força bruta ou tentativa de exploração de recursos do site, que não estão relacionados aos sistemas de autenticação porque consiste apenas na instalação de um anúncio, por exemplo.

É importante verificar regularmente se há atualizações e aplicá-las para garantir os patches de segurança mais recentes, principalmente se você não ativar um firewall para bloquear as tentativas de ameaça e exploração de vulnerabilidade.

Instale um firewall

O certificado SSL é importante mas não é suficiente para evitar que um invasor acesse informações confidenciais.

Qualquer vulnerabilidade na infraestrutura pode permitir que o invasor monitore o tráfego, direcione o acesso para sites maliciosos, exiba informações falsas, roube dados ou instale malwares ou ransomwares (que efetiva o sequestro de dados).

Entretanto, um firewall pode impedir essas ocorrências porque inviabiliza a chegada da ameaça à infraestrutura: a ferramenta intercepta as tentativas ainda em tráfego, na rede do usuário.

Evite hospedagens compartilhadas

A hospedagem compartilhada também pode ser crucial para a segurança de sites. Isso, porque quando um site é afetado, os outros que compartilham o servidor ficam vulneráveis e a infecção pode se espalhar facilmente.

Isso significa que a invasão de um site pode incorrer no acesso de todos os demais ao mesmo tempo, o que pode tornar o processo de limpeza muito mais difícil e demorado, principalmente porque a reinfecção também pode ocorrer.

Por isso, a proteção deve abranger bancos de dados do CMS e perfis de usuários para acesso ao FTP para cada um dos sites.

Tenha uma política de permissões e acessos

O humanware também é considerado um componente de infraestruturas de TI porque os usuários são o elo mais fraco da corrente de segurança.

Para garantir confidencialidade e integridade aos arquivos compartilhados, softwares e hardwares acessados, é preciso criar uma política de permissões restritiva para sites que possuem vários usuários ou logins:

  • estabeleça um conjunto mínimo de privilégios que poderá ser incorporado no acesso de todo tipo de usuário;
  • responsabilize uma equipe com profissionais confiáveis que farão as concessões necessárias de privilégio sempre que a execução de uma ação crítica for necessária;
  • conceda privilégios a funções específicas, mas cuide para criar um perfil único com base em outros requisitos dos usuários, tempo como profissional da empresa ou nível de responsabilidade sobre as decisões corporativas, por exemplo.

Mantenha sua infraestrutura sempre atualizada

A desatualização também é um problema de segurança. Por isso, é importante atualizar o site assim que um novo componente (plugin, tema, widget, por exemplo) for instalado ou a versão do CMS estiver disponível.

Um site seguro é resultado de todas essas ações. Por isso, escolha ferramentas de endpoit e um firewall para inibir invasões, use senhas fortes, tenha uma política de acessos restritiva, mantenha sua infraestrutura atualizada, evite o compartilhamento de servidor, tenho um certificado SSL para transparecer confiabilidade para a sua audiência e faça backups regulares caso alguma coisa aconteça.

Veja como o Rock Stage pode ajudar você a manter seu site seguro, com excelentes resultados de visualização e engajamento na Web!

Posts Relacionados