Você sabe o que é live marketing? Conheça essa estratégia

Fabio Duran

Fabio Duran

Cofundador e CEO da Hubify. GDista, apaixonado por economia comportamental e vendas. Advogado formado pelo Mackenzie e pós-graduado em Administração de Empresas e Gestão de Projetos pela Universidade da Califórnia.

5 minutos de leitura

Para ter os resultados esperados, você precisa adotar as estratégias certas. Uma delas é o live marketing, também chamado de marketing de experiência.

A proposta dessa empreitada é garantir uma interação ao vivo entre sua empresa e os clientes. Por esse motivo, impacta as pessoas de forma diferente e assegura um relacionamento melhor com o público-alvo. Porém, como toda ação de marketing, é preciso saber mais que o conceito para obter os resultados esperados.

É por isso que, neste post, vamos desvendar o que é o live marketing, quais são suas diferenças para o modelo promocional, quais benefícios você alcança com essa estratégia e como aplicar no seu negócio.

Achou interessante? Leia o conteúdo e saiba mais!

Afinal, qual o conceito de live marketing?

O live marketing é composto por diferentes atividades que facilitam a interlocução entre marcas e pessoas, com o objetivo de aumentar a aceitação do consumidor e a compreensão dos seus produtos e serviços. Assim, o propósito é aperfeiçoar a experiência da marca

Na prática, é um tipo de ação promocional que incentiva e gera experiências sensoriais. Isso porque coloca o consumidor como protagonista da estratégia. Como consequência, há mais motivação, envolvimento e engajamento.

Para comprovar essas afirmações, basta ver os resultados de uma pesquisa da Associação de Marketing Promocional (Ampro). Segundo o levantamento, existem 3 mil agências que atuam com live marketing no Brasil, sendo 65% na região Sudeste. Elas apresentam os seguintes dados:

  • 50% das agências têm faturamento de até R$ 5 milhões por ano;
  • R$ 500 mil de ticket médio por job;
  • 54% insere plataformas digitais e mobile;
  • 25% do faturamento vêm de eventos, 15% de promoções e ativações, e 10% de incentivo, trade e digital;
  • 76% das empresas que atuam em trade marketing têm ações no ponto de venda (PDV);
  • 25% investe em serviços de Business Intelligence (BI);
  • 64% do atendimento é para grandes negócios, 23% para médios e 13% para pequenos, o que evidencia a possibilidade de crescimento para os próximos anos.

A pesquisa ainda destaca que o desafio é a compreensão do live marketing e de seus benefícios — por isso, criamos este post! Além disso: 

  • o valor do mercado é baixo, o que significa que as agências precisam valorizar seus trabalhos;
  • os clientes optam por preços baixos e isso leva a entregas ruins.

Por esse motivo, é importante investir em uma agência de qualidade, que atua com data-driven marketing e focada em resultados. Afinal, a estratégia é válida, desde que implementada do jeito correto.

Origem do live marketing

O começo dessa estratégia foi os anos 1980, mas ainda de forma pouco estruturada e sem esse nome. Era chamado de no mídia. Nos anos 1990, tornou-se o bellow the line, um pouco mais aperfeiçoado. No entanto, foi nos anos 2000 que ganhou o título de marketing promocional.

Nos últimos anos, evoluiu para o modelo de experiência devido à conectividade e mobilidade, especialmente. Assim, atendeu à demanda dos novos consumidores e cria contatos relevantes e diretos. Assim, é possível encontrar, mostrar, ativar, atrair, fidelizar e experimentar.

Live marketing x marketing promocional: quais são as diferenças?

O marketing promocional, como vimos, é uma etapa anterior ao de experiência. Ele consiste em uma maneira diferenciada de oferecer um produto ou serviço, com o objetivo de melhorar o posicionamento da companhia no mercado e elevar seu interesse.

Apesar de serem similares, a diferença principal está na interação ao vivo proporcionada pelo live marketing. Assim, se uma empresa de calçados quer fazer uma campanha para aumentar suas vendas, ela adota ações diferenciadas, a depender da estratégia escolhida.

Se for o marketing promocional, elabora panfletos para explicar os produtos e os distribui em lojas próximas para oferecer desconto a quem apresenta o folder no momento da compra.

Caso seja o live marketing, pode criar uma ação que permite aos clientes experimentar os calçados para testar sua qualidade. Isso porque a ideia é oferecer uma experiência diferenciada para aumentar as chances de conversão.

Assim, o marketing de experiência é mais dinâmico, ainda que permita o uso de ações do modelo anterior, o promocional, como no caso das iniciativas que focam a experimentação.

Quais cases de sucesso podem ser citados?

O Brasil já conta com muitas empresas que usaram ações do marketing de experiência. Confira alguns exemplos que chamaram a atenção nos últimos anos.

E-book marketing digital

Easy Taxi

O app conecta passageiros e taxistas. A ação de live marketing foi a criação de 10 mil porta-copos para chopp, que foram distribuídos em bares de São Paulo. Neles, estava escrita a frase: “beba sem moderação, só com a Easy Taxi”.

O sucesso da iniciativa fez a campanha ser melhorada e relançada. Dessa vez, tinha ímãs nos copos, que tinham o logo da empresa, e nos porta-copos. Quando a pessoa tentava apoiar o vidro sobre a bolacha de chopp, sentia uma repulsão e aparecia a frase: “bebida e direção: não combinam”. Do outro lado, havia uma atração e o cliente recebia um código de desconto para usar o app.

Kibon

A ideia do palito premiado foi revista e contou com iPods em alguns dos picolés. O produto tinha o mesmo peso e aparência. Assim, era impossível saber quem ganharia o dispositivo. Com isso, houve um aumento de 31% nas vendas.

Heineken

O Beco das Garrafas, um dos bares de bossa-nova mais importantes e icônicos do Rio de Janeiro, foi revitalizado pela marca de cerveja. Em um minidocumentário, foi apresentado o processo e divulgado pelo YouTube. Mais de 40 matérias foram escritas sobre a iniciativa e o retorno foi R$ 6,3 milhões de investimentos em mídia.

Volvo

O lançamento do XC60 foi diferenciado. Pelo projeto Live Reviews, a ideia era mostrar a impressão dos motoristas ao fazer um test drive no novo modelo. Para isso, foram usadas micro câmeras para captar as reações. As frases mais impactantes foram colocadas no anúncio.

A ação durou apenas dois dias e 23 test drives. A mídia exterior foi gerada em mais de mil pontos da cidade de São Paulo, o que levou a mais de 40 milhões de impressões nas diferentes plataformas.

Quais são os benefícios de investir nesse conceito?

Ao investir no live marketing, a marca alcança um patamar diferenciado por estimular sensações e experiências. Entre as vantagens da campanha estão:

  • lembrança da marca, porque mostra ao consumidor as vantagens que ele terá ao comprar o produto ou o serviço;
  • aproximação com o público, porque os clientes experimentam e obtêm mais informações antes de adquirir o item. Com isso, o relacionamento com a marca é fortalecido;
  • incentivo à interação entre diferentes plataformas, já que o marketing de experiência deve ser complementado a outras estratégias, a fim de potencializar os resultados.

É por esses motivos que o live marketing movimenta R$ 44 bilhões por ano. Segundo pesquisa da Ampro, 93% das empresas pretendem investir no setor. Além disso, nos Estados Unidos, 97% das marcas que usam essa estratégia relatam ter aumento significativo de serviços ou produtos.

Como aplicar a estratégia no seu negócio?

O marketing de experiência precisa ser aplicado da forma correta no negócio para surtir o efeito esperado. Quais etapas devem ser efetivadas? Confira!

Planejamento

Essa etapa abrange algumas atividades. A primeira delas é o re. Defina qual o propósito da campanha de maneira simples e clara. Lembre-se de que esse é o ponto de partida para as próximas ações.

Em seguida, determine a persona, ou seja, o perfil ideal de cliente que sua campanha pretende atingir.  Para verificar qual é o correto, faça uma pesquisa com os compradores e pergunte sobre seus hábitos, desejos e vontades. Tenha em mente que é preciso ser específico.

O público-alvo também deve ser verificado nesse momento. Aqui, você deve ter uma descrição mais ampla do tipo de pessoa que poderia se interessar pelo seu produto ou serviço.

Por fim, analise seu orçamento e as limitações. Primeiro, veja quanto você tem disponível de dinheiro para determinar os melhores canais e quais alternativas estão abertas. Em relação ao segundo aspecto, pense sobre possíveis questionamentos legais, como questões de saúde ou segurança, permissões, alvarás, direitos autorais etc.

Ações

O foco, nesse momento, é ver quais medidas podem ser adotadas para atingir o objetivo da campanha. O propósito é saber o que será feito. Você pode escolher mais de uma ação, por exemplo, redes sociais, campanhas no Google, participação em eventos, ambientação em pontos de venda e mais.

Ferramentas

As opções disponíveis são variadas, mas você precisa ver aquelas que mais se encaixam ao perfil do seu cliente. Aqui, execute os passos definidos e acompanhe os resultados da campanha. Se necessário, faça ajustes.

Ao seguir essas dicas, você implementa uma ação de live marketing de sucesso. A consequência é um relacionamento melhor e mais próximo com o cliente, que trará melhorias para o seu negócio.

E você, gostou de entender mais sobre essa estratégia? Se quiser ver outras dicas relevantes para ter um marketing digital de performance, siga nossos perfis no Facebook, Instagram e LinkedIn.

Posts Relacionados