8 dicas para aplicar uma cultura de execução em sua empresa

Fabio Duran

Fabio Duran

Cofundador e CEO da Hubify. GDista, apaixonado por economia comportamental e vendas. Advogado formado pelo Mackenzie e pós-graduado em Administração de Empresas e Gestão de Projetos pela Universidade da Califórnia.

6 minutos de leitura

Você já pensou em implementar uma cultura de execução no seu negócio? Ela envolve definir como será o posicionamento do negócio, com seus valores, hábitos e crenças, pois é com base nisso que os colaboradores alinham a sua forma de trabalho e o comportamento no dia a dia da empresa.

A verdade é que existem diversos tipos de cultura organizacional, principalmente relacionada ao RH, mas incluir a execução como foco do trabalho é essencial para obter os melhores resultados no negócio.

Exatamente por isso, elaboramos este post para esclarecer o que é cultura de execução e os seus benefícios, além de explicar as principais dicas para implementá-la na sua empresa. Vamos lá?

O conceito e os benefícios da cultura de execução

A cultura de execução é focada em concluir os projetos desenvolvidos com mais agilidade e eficiência. Exatamente por isso, ela é incluída na chamada “cultura de alta performance”, para as empresas que procuram melhorar o desempenho humano e organizacional.

Ela trata sobre a forma como a empresa, os líderes e os colaboradores cumprem as tarefas do trabalho, pois isso determina como será a evolução de cada projeto. As falhas nesse processo podem causar problemas como desmotivação de funcionários, atrasos nas tarefas ou baixo desempenho.

Contudo, quando o foco é a execução, o trabalho começa a demonstrar mais resultados, o que aumenta a motivação da equipe ao perceber os efeitos da dedicação no dia a dia. Como consequência, é possível observar diversos benefícios, como aumento da produtividade, melhoria do clima organizacional e impactos positivos na lucratividade do negócio. A cultura baseia-se em 4 disciplinas de execução criadas pela Franklin Covey Consulting:

  1. foque no crucialmente necessário;
  2. atue nas medidas de direção;
  3. mantenha um placar envolvente;
  4. crie uma cadência de responsabilidade.

Na prática, a implementação dessa metodologia já beneficiou diversas empresas por todo o mundo, como a LATAM Airlines, a Faber-Castell, a Sicredi, o Sicoob, a Renault e o Marriott Hotels.

8 dicas para implementar a cultura de execução

Se depois de entender como funciona e conhecer os benefícios da cultura de execução para a empresa, você tem dúvidas sobre como implementá-la, confira as dicas que separamos para isso!

1. Investir em lideranças

Um dos pontos fundamentais para engajar a equipe é ter líderes que inspirem e incentivem os colaboradores. Aqui, o realismo ao definir metas e as tarefas envolvidas, se torna essencial para que eles mantenham a motivação.

Para tanto, vale a pena investir em treinamentos de liderança para que os responsáveis consigam enxergar todos os detalhes envolvidos na definição de uma meta. Se o objetivo é aumentar as vendas, por exemplo, não basta que o líder repasse essa informação à equipe e aguarde os resultados. Ele também deve avaliar questões como:

  • como é possível obter esse aumento;
  • quais mudanças devem ser implementadas na empresa;
  • qual o discurso que será adotado;
  • quais as possíveis reações da concorrência e como lidar com isso.

É com esse detalhamento que todos conseguirão alinhar as estratégias e colocar em prática. Caso os resultados não sejam os esperados, é essencial que o líder saiba como reavaliar a estratégia, verificando quais foram os pontos que resultaram na falha para fazer as alterações.

2. Definir as metas crucialmente importantes

Depois de compreender a importância da liderança para a cultura de execução, é hora de entender como colocá-la em prática. Se executar significa fazer alguma coisa, a empresa deve determinar qual é esse projeto com a definição das metas crucialmente importantes — o objetivo que trará maiores impactos para a empresa.

Nesse momento, um erro comum é não saber diferenciar meta de tarefa. Enquanto a primeira é o objetivo, a segunda engloba os meios para atingi-lo. Quer ver um exemplo? Se você planeja reformular o site da empresa e criar um blog corporativo, esse não é o objetivo, mas uma tarefa necessária.

A meta é aumentar a taxa de conversão e conseguir mais leads, ou seja, o resultado obtido pelas mudanças no site. Compreender essa diferença é essencial para conseguir formular um planejamento correto e medir o desempenho da equipe na hora de buscar o cumprimento das metas.

3. Discutir as medidas de direção

As medidas de direção são as atitudes que você deve tomar para cumprir as metas. Para isso, é preciso verificar quais tarefas a equipe deve realizar para conquistar o objetivo desejado pela empresa. Basicamente, o desenvolvimento de um bom planejamento tático, definindo as diferentes etapas que deverão ser cumpridas para o seu objetivo.

Essa discussão deve ser feita com o suporte dos colaboradores, pois isso resulta em objetivos baseados na opinião geral e contará com a concordância da equipe sobre a possibilidade de atingi-la. Assim, a empresa cria um acordo claro, resultado da comunicação com o time, e aumenta a responsabilidade e o empenho deles para atingir o objetivo traçado

E-book BI

4. Ter atenção ao detalhamento

É preciso ter atenção para não investir em tantos detalhes. Muitas vezes, ao pensar em um bom planejamento as pessoas se preocupam em incluir informações como dias e horários fixos para cada demanda a longo prazo. Contudo, isso demanda mais tempo e é comum que os planos exijam revisões frequentes.

Ao colocar os planos em prática e analisar a sua evolução, a empresa consegue identificar questões que precisam de mudanças ou que podem ser melhoradas. Assim, o excesso de detalhes acaba gerando mais frustrações e reagendamentos devido à impossibilidade de cumprir o que foi proposto.

O ideal é sempre definir as medidas necessárias, mas deixar para fazer os detalhamentos quando chegar a hora de colocar cada ação em prática.

5. Deixar as metas e resultados visíveis

Para manter a equipe focada e engajada, deixe as metas visíveis para todos os colaboradores de cada área. Esse é o direcionamento que eles precisam para saber onde a empresa deseja chegar e como eles são importantes para esse resultado.

Os avanços também devem ser divulgados: as tarefas cumpridas e o andamento da estratégia devem ser repassados para que eles acompanhem a evolução. Esse é um ponto crucial para que eles se sintam parte da organização, demonstrando o que eles devem fazer e o motivo.

6. Empoderar a equipe de trabalho

O empoderamento da equipe de trabalho exige atenção a dois pontos. O primeiro é a oferta de treinamentos e capacitações para que os colaboradores aprendam a cumprir todas as etapas do processo corretamente. Um erro comum cometido pelas empresas é delegar tarefas, sem garantir que todos tenham condições de cumprir o esperado.

Mesmo que o processo de contratação busque pessoas qualificadas para a função, as mudanças na tecnologia e no mercado tornam as capacitações essenciais para manter a equipe alinhada.

Além disso, todos do time devem ser incentivados a crescer. Muitas vezes, o medo de ser ultrapassado por outros colaboradores faz com que os líderes tenham uma atuação mais individualista. Porém, quando o líder não trabalha para desenvolver as pessoas do time, ele e a empresa deixam de aproveitar as oportunidades de crescimento.

Outra questão importante para o sucesso da cultura de execução é fazer com que os colaboradores se sintam donos do projeto: o objetivo e os resultados não são apenas da empresa, mas de todo o time. A dica que demos sobre aproveitar a participação de todos na definição de metas é crucial para isso, pois eles terão a percepção de que fazem parte de todas as etapas.

7. Acompanhar a execução

Sem dúvidas, o acompanhamento das estratégias pelos líderes é essencial para uma boa execução. Nesse caso, é preciso verificar e controlar a evolução das ações que foram planejadas para determinar se elas são efetivas ou se é necessário fazer correções, afinal, podem surgir dificuldades que não foram previstas.

De nada adianta criar diversas metas e medidas de direção, se os líderes não observarem a evolução para ver se é possível alcançar os resultados esperados. Como já dissemos, na prática é normal que alguns pontos não saiam como programado, seja por problemas no planejamento, seja por questões que precisam ser alinhadas com a equipe.

8. Dar feedbacks

Finalmente, chegamos aos feedbacks. Eles são importantes em qualquer cultura, mas quando o foco é execução se torna ainda mais importante. Apresentar um retorno para os colaboradores é essencial para que eles conheçam os seus acertos e erros, e entendam como é possível melhorar.

Ademais, as conquistas obtidas são recompensadas para que os colaboradores envolvidos se sintam valorizados e mantenham o foco. Por outro lado, as falhas devem ser trabalhadas com novas orientações ou troca de tarefas, sem se esquecer de reconhecer o esforço empregado por todos, mesmo que não tenham os resultados desejados. Essa é uma ferramenta para desenvolver a motivação e o engajamento.

Pronto! Agora que você já sabe o que é cultura de execução e como implementá-la, esperamos que essas dicas auxiliem a sua empresa no desenvolvimento dessa estratégia, sempre com foco em se comprometer e entregar o que foi planejado.

PARA RELEMBRAR!

O que é a cultura de execução?

Essa cultura é implementada para que a empresa, os líderes e os colaboradores trabalhem com disciplina e comprometimento com o desenvolvimento de projetos de forma ágil e eficiente.

Como implementar a cultura de execução na empresa?

O passo a passo para implementar as 4 disciplinas de execução envolve as seguintes etapas:

  • investir nas lideranças da empresa;
  • definir metas cruciais e medidas de direção, com atenção ao detalhamento;
  • expor as metas e resultados aos colaboradores;
  • acompanhar a execução e dar feedback.

Se você gostou do conteúdo e quer acompanhar outras dicas para sucesso do seu negócio, assine a nossa newsletter!

Ouça nosso Podcast!

Posts Relacionados