Tudo que você precisa saber sobre marketing educacional

Fabio Duran

6 minutos de leitura

Sabe quando uma instituição educacional (IES) vai começar o ano letivo e faz uma campanha para dizer que está com as vagas abertas? Ou quando um centro universitário busca atrair pessoas interessadas em determinado curso? Esses são apenas alguns exemplos da aplicação do marketing educacional.

Essa proposta inclui estabelecer a comunicação entre a IES e futuros alunos, estudantes atuais e ex-alunos. A ideia é formar pontes no ambiente educacional e fazer com que a mensagem e os valores da instituição se espalhem. O objetivo é trabalhar melhor as oportunidades e o contato com o público antes, durante e após o ano letivo.

Para descobrir todo o potencial sobre esse recurso, veja quais são os principais aspectos e o funcionamento do marketing educacional!

Os 4 benefícios dessa metodologia

Executar as técnicas ligadas a esse marketing é positivo para qualquer empresa do ramo que deseje melhorar sua performance. A estratégia é versátil e aplicável, principalmente, no ambiente digital. Com isso, é possível aproveitar resultados interessantes como o boom custo-benefício e a consolidação de desempenho em longo prazo.

Para saber por que vale a pena colocar esse plano em prática, confira quais são as maiores vantagens de recorrer a essa estratégia e saiba o que ela tem a oferecer!

1. Melhor posicionamento da empresa

A educação é um dos serviços mais importantes quanto à contratação, o que exige um cuidado especial com toda a comunicação. Além de ter qualidade, é válido saber como apresentar os próprios pontos positivos. Somente assim as pessoas terão o nível necessário de confiança para que possam se matricular ou inscrever os filhos, por exemplo.

Graças ao marketing educacional, há a chance de posicionar a empresa dentro da mensagem esperada. Isso transmite os valores certos para o público e demonstra quais são os aspectos positivos do negócio.

Além de tudo, é uma alternativa que permite que a instituição se consolide em determinados nichos. Uma faculdade com as maiores notas da região ou uma escolha com um método diferenciado de ensino precisam saber comunicar isso corretamente.

2. Diferenciação da instituição

Inclusive, isso tem tudo a ver com a questão ligada à diferenciação do negócio em relação aos concorrentes. A princípio, duas faculdades que ofereçam o mesmo curso são, teoricamente, iguais. No entanto, a forma de se comunicar faz a diferença no posicionamento.

Por isso, uma boa estratégia personalizada é capaz de fazer com que o negócio tenha projeção, em relação aos demais. Isso diminui os esforços necessários para atrair e manter a atenção do público.

Ainda é uma maneira de fazer com que a marca seja lembrada com maior facilidade. Isso gera um estímulo importante, já que se a instituição se torna mais conhecida, consegue atingir um desempenho melhor.

3. Aumento no total de matrículas e renovações

E, por falar em marketing digital de performance, essa proposta também tem o objetivo de melhorar o volume de matrículas e de rematrículas. Com uma execução de sucesso, há a oportunidade de alcançar um público maior e, assim, captar leads. Desse modo, a taxa de conversão é ampliada. Na modalidade à distância (EAD), isso é verdadeiro. A UniCesumar se destaca nesse setor: em um só processo seletivo, conseguiu atrair 92 mil estudantes — e tudo graças à execução de uma boa estratégia de marketing.

Também há um aumento no número de rematrículas. Com uma taxa de saída menor, por parte dos estudantes, a instituição aproveita um nível maior de previsibilidade e de controle sobre o desempenho.

Tudo isso faz com que haja uma geração maior de receita, além de ampliar o retorno sobre investimento. Com processos seletivos e turmas mais procuradas, há máximo aproveitamento do potencial de mercado.

4. Construção de uma comunidade

Ao mesmo tempo, o marketing educacional não serve apenas na hora das matrículas. Ele é importante para elaborar e impulsionar as campanhas nesse sentido. No entanto, também deve ser usado de outras maneiras, especialmente por ser tão versátil. Se aplicado corretamente, ajuda na construção de uma comunidade escolar ou educacional.

Um colégio que desenvolva ações do tipo consegue integrar pais e responsáveis à vida escolar dos estudantes com mais eficiência. Também pode obter feedback dos alunos e de suas famílias, com a intenção de construir bons resultados.

Já uma faculdade ou instituição de capacitação adulta faz com que os estudantes e interessados conheçam melhor a história e a proposta de aprendizado. Isso forma e fortalece relacionamentos, consolidando a posição da instituição.

Do planejamento à execução do marketing educacional

Para aproveitar essas vantagens, o marketing educacional precisa ser colocado em prática corretamente. Cada IES tem suas necessidades, então o ideal é desenvolver uma estratégia personalizada. Ainda assim, alguns passos podem ser aplicados e adaptados, conforme as exigências. Na sequência, confira como agir do modo ideal nesse sentido.

Conheça o seu público-alvo

Cada instituição busca alcançar um público. Uma pré-escola, por exemplo, terá que falar com pais e responsáveis que, muitas vezes, não têm muito conhecimento sobre a escolha. Enquanto isso, uma faculdade deve falar tanto com jovens recém-formados na escola quanto com profissionais adultos. Por isso, o ideal é explorar e conhecer a persona que representa seu público.

Encontre quais são as características de quem você deseja alcançar, desde idade ou interesses até a linguagem certa a usar. Isso fará toda a diferença para que a comunicação seja consistente e verdadeira.

Também é indispensável identificar como é a jornada de decisão dessa pessoa. Entenda quais são as etapas pelas quais o seu público passa, desde o conhecimento inicial sobre a marca até a definição de matrícula. Assim, é possível saber como estimular a conversão em cada fase.

Reconheça quais são os objetivos da sua instituição

Outro ponto essencial consiste em compreender o que a instituição espera obter. Ter objetivos claramente definidos ajuda, inclusive, a analisar o retorno sobre investimento de cada ação.

Se o interesse principal for a consolidação, vale definir metas como o reconhecimento de marca e o alcance das mensagens. Já quando o objetivo é melhorar a conversão, o número de matrículas está no foco da atuação.

Portanto, não deixe de documentar esses pontos, para que eles sirvam como uma orientação sobre o que ou como fazer.

Use conteúdo para criar relacionamento verdadeiro

Como dissemos, a proposta do marketing educacional não é (e nem deve ser) focada apenas nas matrículas. A aproximação e até o aprendizado do público são aspectos indispensáveis. Para tanto, é recomendado investir no marketing de conteúdo.

Com a produção de conteúdos úteis, relevantes e de interesse do público, é possível oferecer conhecimentos relevantes para a persona. Isso faz toda a diferença para que as pessoas sejam, realmente, envolvidas na comunicação.

A oferta e a divulgação devem ser orientadas sempre para auxiliar as pessoas e atingir os objetivos. Com a construção e o fortalecimento do relacionamento, os resultados são obtidos de maneira contínua e a longo prazo.

Conte com a participação do seu público

O chamado “user generated content” ou conteúdo gerado pelo usuário é um dos pontos altos do marketing educacional. Além de simplificar a produção, é uma ótima forma de integrar as pessoas. Por isso, invista em estimular a participação do público pela geração de conteúdo.

A criação de hashtags nas redes sociais, por exemplo, é uma maneira de reunir publicações e fotos ligados à instituição. Também é interessante estimular as avaliações nas páginas e no site da web e contar com as sugestões do público já conquistado.

Cada instituição precisará atender a certas necessidades, de acordo com a própria atuação. No entanto, usar esse recurso gera ainda mais aproximação e aumenta a eficiência da proposta.

Utilize diferentes mídias na estratégia

O fato de ser versátil faz com que o marketing educacional esteja ligado ao uso de diferentes soluções para sua aplicação. Nesse sentido, vale a pena recorrer às diversas mídias e suas funções.

É o caso de elaborar um website, com informações institucionais, de processos e de interesse do público geral. Já a presença nas redes sociais ajuda a manter o relacionamento próximo, além de acelerar o atendimento a dúvidas.

Também é interessante pensar em recursos específicos para quem já é aluno ou está ligado à escola. Um portal do estudante e uma central para pais e responsáveis, por exemplo, aproxima o contato. Lembre-se de que o marketing educacional deve ser voltado para o público interno, pois isso ajuda a manter os relacionamentos já construídos.

Conte com uma empresa especializada em performance

O sucesso de uma IES não depende de ter recebido centenas de curtidas em uma postagem engraçada. Também não tem a ver, apenas ou necessariamente, com a quantidade de visualizações em um vídeo. Ela está mais ligada a números de matrículas, satisfação dos estudantes e posicionamento de mercado, por exemplo. A execução do marketing digital de performance, especialmente o digital, deve ser sempre orientada nesse sentido. Por isso, vale a pena contratar uma agência especializada.

Além de ter experiência na aplicação dessa proposta, o time deve saber como gerar resultados acionáveis. Dessa maneira, a estratégia personalizada se torna realmente efetiva e faz a diferença para consolidar a instituição no mercado.

O marketing educacional de trás para frente

O marketing educacional é voltado para a diferenciação e construção de uma comunidade — inclusive, com o aumento de matrículas. A aplicação deve ser estratégica, personalizada e voltada para um desempenho acionável.

Colocar o marketing educacional em prática é uma das bases para alcançar o sucesso com a instituição de ensino. Com uma atuação profissional e eficiente, há a oportunidade de aproveitar todos os benefícios.

Quer acompanhar as novidades e ter outras dicas? Assine a nossa newsletter e fique sempre por dentro!

Posts Relacionados