Descubra o que é campo semântico e sua importância em uma estratégia de marketing de conteúdo

Rubens Netto

Rubens Netto

4 minutos de leitura

O termo campo semântico traz alguma lembrança das aulas de português? É possível que sim, já que ele tem tudo a ver com o uso correto das palavras. Agora, você já pensou sobre sua importância para o marketing de conteúdo?

Acredite ou não, semântica também tem relação direta com a sua produção — ou melhor, impacta os resultados dos seus posts nos buscadores. Em outras palavras, se você quer posicionar bem os seus artigos no Google, precisa entender essa técnica e saber como usá-la a seu favor.

Achou interessante? É isso que vamos explicar a partir de agora. Confira!

Afinal, o que é campo semântico?

Na Língua Portuguesa, campo semântico se refere às possíveis relações estabelecidas pelas palavras, de acordo com o contexto em que são inseridas. Assim, o termo indica o conjunto de sentidos que um verbete pode indicar.

Por exemplo, fabricar é sinônimo de montar, construir, edificar, elaborar, fazer, confeccionar, projetar etc. Já cansaço também pode ser entendido como esgotamento, canseira, lombeira, prostração, exaustão, fadiga e mais.

Para entender exatamente o que a outra pessoa diz, precisamos usar o campo semântico. Somente dessa forma, atingimos a melhor interação com interlocutor — e esse é o motivo pelo qual ele é um termo importante para o marketing de conteúdo.

E no marketing digital?

O conceito continua igual, ou seja, o campo da semântica é definido como o conjunto de palavras com sentido similar. Por exemplo, sapato, sapateado, sapateador, sapato feminino, sapato masculino, sapato preto etc. A diferença é que essa técnica ajuda no SEO.

Como a produção dos conteúdos é guiada por palavras-chave, a depender daquela que for utilizada, o artigo será enquadrado em um campo semântico específico. A partir disso, serão calculadas as semelhanças com as buscas feitas no Google.

Para chegar até aqui, a semântica precisou ganhar o status de ciência com Ferdinand de Saussure. No mundo virtual, tudo começou com a atualização de 2013 do Google, chamada de Hummingbird.

A partir desse momento, o algoritmo entendeu que escrever várias vezes a mesma palavra-chave era desnecessário. Nesse momento, começa a ser priorizada a qualidade.

Em 2015, surge o RankBrain, chamado de cérebro do Google. O algoritmo já incorporava os conceitos de campo semântico, e passou a aprender com o uso da linguagem. O resultado foi a compreensão da linguística e de como falamos no dia a dia.

Foi aí que chegamos ao Latent Semantic Indexing (LSI). Esse termo — um tanto complexo — indica que a densidade das palavras-chave pouco importa. O que vale mesmo é o trabalho em cima delas, de forma natural.

Desde então, se a palavra-chave é software de gestão, você pode — e deve — usar diferentes variações, como:

  • software da gestão;
  • solução de gestão;
  • solução para gestão;
  • …o software, para a gestão representa…
  • software para a gestão;
  • sistema de gestão;
  • sistema de gerenciamento.

Essas são apenas algumas variações aceitas. O importante é entender que essas mudanças são bem compreendidas e valorizam o conteúdo.

Quais são os benefícios do campo semântico?

Com a pesquisa no Google embasada nessa técnica, ela se torna mais precisa, o que é uma vantagem para os usuários do buscador. Ele recebe resultados mais adequados e limpos, com menos spam e maior chance de acerto.

Por exemplo, se você digitar um cálculo matemático na pesquisa, ele trará o resultado em destaque. Da mesma forma, se colocar Floripa ou Ilha da Magia na busca, os resultados vão indicar Florianópolis.

Banner Topic Cluster

Para a sua empresa, essa característica permite alcançar o topo do Google, desde que a produção de conteúdo seja de qualidade. Você também pode ser mais criativo na hora de tratar o SEO, e criar um post mais relevante. 

Com isso, a chance de encaminhar a persona pelo funil de vendas é aumentada, e existe maior possibilidade de fechar uma venda. Tudo isso se reflete na experiência do usuário e traz benefícios para o seu negócio nos quesitos reputação e credibilidade.

Além disso, se você prioriza a experiência do usuário, a pesquisa semântica faz toda a diferença. Ela oferece recursos como correção automática e preenchimento automático, para tornar a pesquisa rápida e simples. 

Como aplicar a técnica em um site? Veja 3 dicas

O conhecimento sobre o campo semântico e sua aplicação em um site ou blog passa pela adoção de boas práticas. Assim, você aproveita melhor esse recurso a seu favor. Veja o que fazer para tornar sua estratégia ainda mais acertada!

1. Produza conteúdo de qualidade

Essa dica pode parecer manjada, mas é sempre bom reforçar. Um conteúdo de qualidade é aquele que permite ao Google entender do que se trata, para ser recomendado aos usuários. Tenha em mente as dores da persona e sua experiência de consumo do artigo. Isso ajudará a alcançar bons resultados!

Aqui, o tamanho dos artigos vai depender do seu objetivo, mas a nossa dica é optar pelos mais longos, já que um conteúdo com mais palavras pode abranger uma amplitude maior.

2. Cuidado na escolha de palavras-chave

As variações de keywords existem e são bem-aceitas, mas vale a pena testá-las antes de usar. Além disso, busque a melhor palavra-chave para o conteúdo. Se aquela que você deseja escolher já está com uma concorrência acirrada, pense sobre a possibilidade de complementá-la ou optar por outra.

Dica: o Google ainda tem dificuldades para entender as frases genéricas e simples demais. Por exemplo, “quero um sapato” não representa um desejo para ele, portanto, tenha cuidado na escolha.

3. Aposte na estratégia de Topic Clusters

Sabemos que o algoritmo do Google prioriza a relevância de dados. Portanto, você pode encontrar temas semelhantes ao seu nicho de mercado, e construir artigos completos para vinculá-los internamente uns aos outros, utilizando um texto âncora rico em palavras-chave.

É exatamente assim que o Topic Clusters funciona, a partir de um tópico principal que segmenta outros temas parecidos. Isso também ajuda a implementar mais links internos, que são um ótimo critério no ranqueamento.

4. Responda às perguntas da sua persona

Os conteúdos escritos devem responder a questionamentos comuns da persona. Essa é a maneira mais acertada de atrair tráfego e gerar autoridade. Assim, pense sobre a realidade e aposte em sites como o Answer the Public, para descobrir o que as pessoas querem saber. Com isso em mente, o foco do conteúdo será mais claro.

Agora você já sabe o que é o campo semântico e como usá-lo a seu favor, certo? Perceba que esse recurso fortalece a estratégia do marketing de conteúdo. Por isso, deve ser bem aplicado para evitar penalizações. 

Aqui, vale a pena contar com a ajuda de uma agência focada em performance como a Hubify, que ajudará a obter resultados consistentes e de longo prazo com essa técnica.

Gostou de entender mais sobre a semântica? Saiba como acompanhar seus resultados com o cálculo e otimização das métricas do ROI do conteúdo.

Posts Relacionados