Remarketing e retargeting: qual a diferença e em que caso usar cada um?

Oscar Sigaki

11 minutos de leitura

Diferenciar Remarketing e Retargeting é essencial para que as aplicações de marketing tenham o alcance ideal conforme o público e o momento em que ele se encontra no funil de vendas. O planejamento das ações ajuda na execução das estratégias e contribui para melhores resultados.

 

Falamos tanto na importância das conversões no marketing digital que pode parecer uma questão de vida ou morte conquistar o cliente logo na primeira visita.

E esse é um dos maiores motivos para tantas estratégias falharem miseravelmente: a pressa por resultados rápidos.

A verdade é que apenas 2% das pessoas se tornam clientes na primeira vez que visitam o site de uma empresa.

Isso quer dizer que não se trata de acertar de primeira, mas de saber como fazer a pessoa voltar a ter contato com a sua marca, de novo e de novo, quantas vezes for preciso, até o negócio ser fechado.

Duas das principais ferramentas para realizar esse trabalho são remarketing e retargeting. Sim, se você achou que era tudo a mesma coisa, se enganou.

Veja agora as diferenças entre cada um, como usá-los e, se não conhece os dois, a hora é agora!

Saiba antes o que você verá neste conteúdo para não perder nenhum tópico:

  • O que é remarketing?
  • Benefícios do remarketing
  • Engajar novamente os clientes
  • Mudar a percepção de marca
  • Alto índice de conversão
  • Aumento do tráfego
  • Segmentação da estratégia
  • Formas eficientes de aplicar o remarketing
  • Liquidações
  • Abandono de carrinho
  • Tratamento VIP
  • O que é retargeting?
  • Benefícios do retargeting
  • Aumento das vendas
  • Consciência de marca mais forte
  • Redução do custo de aquisição
  • Conheça 7 tipos eficientes de retargeting
  • Remarketing e retargeting: quando usar cada um?
  • O uso conjunto de remarketing e retargeting
  • Erros que podem prejudicar sua campanha de remarketing
  • Falta de planejamento
  • Anúncios não relevantes
  • Não definir metas
  • Anúncios desatualizados
  • Exageros
  • Dicas avançadas para obter bons resultados
  • Foque em quem passa mais tempo no seu site
  • Ofereça descontos para quem desistiu da compra
  • Invista nos visitantes certos

O que é remarketing?

Remarketing se refere a tentar reengajar pessoas interessadas na sua marca, mas principalmente com o uso de e-mail, e não com anúncios. O usuário cadastrado anteriormente receberá um contato, com um alerta de que há produtos disponíveis dentre aqueles em que ele se mostrou interessado.

Vamos usar um exemplo parecido ao de quando explicamos o que é retargeting: a pessoa entra no seu site, analisa um produto e chega até a colocá-lo no carrinho, mas o abandona.

Mais tarde, ele recebe um e-mail relembrando que a compra não foi finalizada, e um convite para fazer isso sem demora. Esse é um caso clássico de remarketing, ou seja, uma estratégia para fazer marketing novamente para a mesma pessoa.

Obviamente, uma diferença entre remarketing e retargeting é que o primeiro exige que você já tenha o e-mail dos usuários, ou seja, eles já têm uma relação com a sua empresa, não são estranhos.

Benefícios do remarketing

Eu sei que ainda resta uma pergunta na sua mente, uma muito importante: “o que o remarketing traz de bom para a minha empresa?”. Felizmente, a resposta é animadora, até porque, o remarketing pode gerar um aumento de até 11,3 vezes nas visitas da página da sua empresa, além de gerar 3x mais vendas (Ecommerce Trends 2017)

Veja os principais benefícios de usar o remarketing como parte da sua estratégia de marketing digital:

Engajar novamente os clientes

As técnicas de remarketing são muito importantes para reengajar clientes para que eles mantenham-se ativos e lembrem-se dos motivos que os fizeram se interessar pela sua empresa, realizar a primeira compra e desejem voltar ao site.

E não pense que o remarketing se aplica só ao e-commerce, mas a todo tipo de negócio. Afinal, você não quer vender uma vez só para cada pessoa, certo?

A fidelização de clientes é uma das bases para o sucesso de qualquer empresa, e o remarketing é uma ferramenta extraordinária para alcançá-la.

Mudar a percepção de marca

A percepção da marca depende da importância que ela dá para quem já comprou algum de seus produtos ou mostrou interesse em comprar, mas não se decidiu efetivamente sobre a aquisição.

Uma empresa que pratica o remarketing mostra que deseja manter um relacionamento duradouro com os clientes e, acima de tudo, quer fazer isso gerando valor para eles, não apenas vendendo de qualquer forma.

Pode ser que o consumidor esteja em dúvida sobre uma compra e quando receber um e-mail lembrando das especificidades ou características de um produto, se convença de que aquele é o melhor momento para finalizar a procura.

Alto índice de conversão

O email marketing é uma das ferramentas que apresentam maior índice de conversão no marketing digital. Logo, o remarketing também tem um retorno positivo por usar esse canal.

É fácil enviar emails altamente segmentados, que conversem diretamente com as necessidades de cada um dos seus clientes, não importa quanto elas sejam diferentes. Não é à toa que 96,7% das empresas que usam email marketing acreditam na sua eficácia.

Geração de tráfego

Antes de desejar o aumento no faturamento, você deve atrair cada vez mais público para o seu site e intensificar o tráfego para estimular os consumidores a conhecer mais o negócio e  buscar informações sobre cada produto.

Quanto mais visitas no site, mais chances de apresentar o que a empresa tem de bom e que pode ser útil aos usuários, considerando suas pesquisas e conteúdo consumido em casa visita.

A abordagem no remarketing gera um convite personalizado, que leva o usuário, diretamente ao produto ou serviço pesquisado antes, com possibilidades reais de ele optar no próximo acesso, por efetivar a compra.

Segmentação da estratégia

Cada usuário que entra no site de uma empresa, tem uma perspectiva e uma necessidade diferentes, demonstradas pelas suas buscas e pelos links mais acessados. Com essas informações em mãos, é possível segmentar a estratégia e aplicar o remarketing conforme o tipo de usuário.

Isso faz com que as ações tenham mais chances de sucesso, direcionadas por um diálogo personalizado. A segmentação determina o contato com o consumidor, que é convidado a retornar no site e assim, ter ainda mais acesso a conteúdo e informações relevantes sobre o que precisa.

3 formas eficientes de aplicar o remarketing

Se o remarketing tem por objetivo reengajar a persona, quais são algumas das principais oportunidades de fazer isso? Lembre-se que o email é uma ferramenta muito eficiente, mas só quando usada de forma a gerar valor para quem o recebe.

Então, nada de mandar mensagens com tanta frequência a ponto de inundar a caixa de entrada da sua persona e criar um problema para ela. Antes, vale mais a pena escolher algumas situações específicas, como as escolhidas abaixo:

1. Liquidações

Liquidações são ótimas oportunidades de engajar os clientes existentes e convencê-los a comprar mais uma vez. Sempre que decidir programar uma liquidação, aproveite para planejar também uma campanha específica de remarketing que ajude a aumentar as conversões.

Se a estratégia de remarketing é usada para chamar o usuário de volta à loja, certamente ele não viu que há promoção e ficará surpreendido, positivamente, ao receber uma mensagem informando que há produtos com descontos atraentes.

2. Abandono de carrinho

Abandono de carrinho, como já dito, é um dos principais casos em que se usa o remarketing como tática de venda, afinal, essa é uma prática muito comum — muitos usuários se empolgam enchendo o carrinho, mas acabam desistindo no meio do caminho, seja por arrependimento, distração ou adiamento da compra.

Segundo a E-commerce Trends 2017, o impressionante número de 97,9% dos consumidores já afirmou ter abandonado o carrinho de compras. Deixar de relembrar os possíveis clientes de voltar e finalizar a operação é o mesmo que jogar (muito!) dinheiro fora.

3. Tratamento VIP

Quem não gosta de receber tratamento VIP, não é mesmo? Não é preciso esperar uma ocasião especial ou um problema em potencial. É sempre bom relembrar os clientes o quanto eles são especiais.

Isso pode ser feito de várias formas, mas não se esqueça de gerar mais valor do que pede. Oferecer benefícios exclusivos, como frete grátis, cupons de desconto e acesso antecipado a lançamentos são boas maneiras de oferecer esse tipo de tratamento.

O que é retargeting?

O retargeting é usado principalmente para mostrar anúncios segmentados de acordo com as interações anteriores de uma pessoa com a sua marca, seja no seu site ou em outros canais.

Por exemplo, um possível cliente acessa seu site, passa alguns minutos analisando um produto, mas não fecha a compra.

Com base nos dados de navegação coletados, é possível mostrar um anúncio desse exato produto em outros sites e redes sociais que ele visitar, através de serviços como Google Ads ou Facebook Ads e também pelo LinkedIn Ads.

Isso permite mostrar anúncios altamente segmentados, para pessoas que já mostraram interesse no que você vende, e criar oportunidades para que elas reconsiderem a compra.

Se esse usuário demonstrou interesse, em algum momento ele sentirá a necessidade de voltar ao site e efetivar a compra. Quanto mais ele for lembrado, mais possibilidades a empresa terá de conversão ao usar o retargeting.

Benefícios do retargeting

Novamente, a pergunta “o que essa estratégia traz de bom para a minha empresa?” pode ser respondida com tranquilidade. 

Veja 3 benefícios do retargeting que mostram porque você deve usá-lo o quanto antes na sua empresa:

Aumento das vendas

O princípio do retargeting é simples: abordar pessoas que já demonstraram intenção real de compra, e convencê-las a não deixar a decisão para depois.

Com anúncios bem elaborados, é possível aumentar as vendas por abocanhar uma boa parte dessas pessoas, que estão esperando para serem convencidas.

Consciência de marca mais forte

Quanto maior o contato de uma pessoa com a sua marca, mais forte será a impressão deixada na mente dela. Considerando a máxima de “o que não é visto, não é desejado”, não deixe que a memória visual se perca em meio ao esquecimento.

Além disso, o retargeting tem aquele ar de “essa marca está em todo lugar” que pode impactar o modo como os clientes enxergam a sua empresa. Trabalhar o retargeting é um bom modo de aumentar o Brand Awareness do seu negócio em pouco tempo.

Redução do custo de aquisição

Por mirar apenas em quem já está pensando na compra, é natural que o retargeting acabe representando uma diminuição no seu custo de aquisição por cliente.

Levando em conta o funil de vendas, por exemplo, você tem a oportunidade de inserir alguém diretamente no fundo e fechar a venda sem demora.

Conheça 7 tipos eficientes de retargeting

Podemos dividir o retargeting em dois grupos principais: eventos no site e fora dele (conhecidos como eventos “On e Off-site”). Qual a diferença entre cada um?

Ao abordar as pessoas que interagiram com o seu site, o retargeting tem um papel mais parecido com o do remarketing, de reengajar o público. Além disso, também pode ser usado para fazer Upsell, ou seja, vender produtos mais caros ou planos maiores de um serviço.

Por outro lado, quando aborda pessoas que interagiram com a marca em outros canais, o retargeting passa a servir mais como uma ferramenta de prospecção.

Conheça os 7 tipos de retargeting que envolvem esses dois grupos:

  1. Buscas: segmenta os usuários com base nas buscas que fizeram online, quer tenha sido no seu site, quer em mecanismos de pesquisa, como o Google.
  2. Site: foco nos usuários que viram determinado conteúdo ou completaram uma ação específica no seu site.
  3. SEO/SEM: mira nos usuários que chegaram ao seu site por meio de buscas online (SEO) ou anúncios patrocinados (SEM).
  4. E-mail: usuários que interagem com seus programas de e-mail, como alguém que assina e abre a sua newsletter.
  5. Contextual: se baseia no tipo de conteúdo que a pessoa consome. Por exemplo, se ela acessa um site parceiro com um tópico similar ao seu.
  6. Engajamento: foco em usuários que interagiram com conteúdo específico fora do seu site, como um vídeo, página do Facebook, etc.
  7. Social: aborda pessoas que consomem o mesmo tipo de conteúdo que os seus clientes atuais.

Remarketing e retargeting: quando usar cada um?

Remarketing e retargeting não são estratégias concorrentes. Pelo contrário, é perfeitamente possível usar as duas de forma equilibrada e bem-sucedida.

Enquanto o retargeting é focado na exibição de anúncios segmentados de acordo com uma série de fatores, o remarketing tem o email como canal de contato principal.

Por isso, vale a pena usar o retargeting para atrair novos clientes que já tiveram algum contato com a sua marca, mas nunca compraram, e aplicar o remarketing para fidelizar quem já comprou de você.

Remarketing e retargeting não são a mesma coisa, mas os dois têm alguns objetivos em comum: engajar melhor as pessoas com a sua marca e aumentar suas conversões.

Por isso, não precisa ter dúvida de qual dos dois é melhor ou qual vale a pena usar. Ambos merecem fazer parte do seu planejamento, atuar em conjunto, segmentando o público para abranger um volume ainda maior de potenciais compradores.

O uso conjunto de remarketing e retargeting

Se o remarketing envolve o disparo de e-mails como tentativa de fazer um consumidor voltar ao site e comprar novamente e o retargeting abrange as mídias pagas com anúncios estratégicos nas campanhas em sites alheios, elas podem atuar juntas, mesmo com uma perspectiva tão diferente de abordagem.

As confusões conceituais presenciadas no Google, devem ser processadas para facilitar a diferenciação e a aplicação das duas estratégias sem causar equívoco ou até prejuízo em investimento de campanha.

Um mesmo site, com conteúdos, produtos ou serviços diversos, pode atrair públicos diferentes, por isso, tanto o remarketing, quanto o retargeting devem compor o planejamento base de interação com um determinado.

A ação combinada tende a dar bons resultados, mas é essencial utilizar critérios de abordagem que não sejam invasivos ou causem o afastamento do alvo, em vez de retorno ao site.

É preciso ter o cuidado com o envio de emails e assegurar que estejam em quantidade adequada para não “espantar” o usuário. Pode ser que o usuário a receber uma mensagem por email, seja o mesmo que visualizará uma campanha nas redes sociais.

Ser repetitivo e aparecer muitas vezes pode causar uma sensação de desconforto no usuário se ele passar a ver a marca da empresa com muita frequência. Falamos mais acima sobre a segmentação e o quanto é importante atentar para o desejo do usuário.

Dar ênfase o que a maioria dos visitante procura, ajuda a criar campanhas mais objetivas e eficientes. A campanha, os anúncios e os conteúdos devem ter qualidade e autoridade para transferir ao usuário a confiabilidade que ele tanto busca para fechar suas compras.

O planejamento é a chave de sucesso, quando o assunto é lançar campanhas de engajamento e reengajamento. Os usuários devem sentir algo diferente quando abordados pela sua empresa.

Erros que podem prejudicar sua campanha de remarketing

Já vimos que o remarketing é uma ótima ferramenta e pode gerar muitos resultados positivos quando bem executado. Porém, você pode estar perdendo oportunidades caso cometa esses erros:

Falta de planejamento

Uma campanha de remarketing tem um tempo útil, não é uma boa ideia achar que a mesma campanha será válida todos os dias do mês. Então, o interessante aqui é planejar a data de início e fim para que você não gaste seu tempo com um planejamento que já perdeu a qualidade.

O tempo de validade de cada ação é relativo, o ideal é fazer testes e acompanhar para analisar por quanto tempo sua campanha se mantém efetiva. O comportamento do usuário ajudará você a ter essa percepção, mas não considere apenas esse fator.

Observe todos os retornos de vendas e analise os prós e contras para identificar o que melhor se aplica ao negócio da sua empresa e o momento ideal para cada interação.

Anúncios não relevantes

Caso sua segmentação não esteja correta, dificilmente seu público-alvo será atingido pelo remarketing. Além disso, as pessoas atingidas podem achar seus anúncios sem relevância e o resultado será mais negativo do que positivo.

O ideal é estudar o perfil da audiência que deseja atingir e oferecer anúncios que realmente interessam às pessoas atingidas, de forma mais específica e certeira. Os anúncios devem chamar a atenção para o que realmente importa, sem criar informações que tirem a concentração do usuário.

Não definir metas

Um dos pontos mais importantes para conseguir bons resultados é definir um propósito. Quando você sabe o que deseja alcançar é muito mais simples gerenciar uma campanha que dê os resultados esperados. A dica é saber qual audiência pretende atingir para que assim você crie estratégias assertivas que façam sentido e seja relevante pro seu público.

Anúncios desatualizados

É muito importante manter sua campanha atualizada. Se o cliente interessado clicar em seu anúncio e o produto estiver indisponível ou com preço diferente do informado, isso pode gerar uma impressão negativa e perda de credibilidade.

A confiabilidade é gerada pelo sentimento de satisfação e vantagem sobre uma compra. O cliente quer se sentir empoderado ao realizar uma compra em que tenha sido beneficiado, por isso, ele espera encontrar de fato, o que foi prometido ao receber a sua mensagem.

Exageros

Você pode acabar afastando conversões se exagerar no aparição para os seus possíveis prospects. Imagina que chato perseguir seu cliente mais de dez vezes ao dia, aparecendo nas campanhas de remarketing. Por isso, é importante manter o equilíbrio nessa repetição.

Reforçando, os consumidores mudaram o comportamento e deixaram de comprar nas lojas físicas para ter maior liberdade de compra e não se sentirem obrigados a realizar uma compra, o que faz total sentido, quando dizemos que você deve ter cuidado com a abordagem e não parecer aquele vendedor que não dá um minuto de trégua dentro da loja.

Dicas avançadas para obter bons resultados

Seguimos com algumas dicas que vão ajudar o seu planejamento e complementar as ações em busca do sucesso de vendas.

Foque em quem passa mais tempo no seu site

Alguém que passa 5 minutos em seu site, com certeza está mais interessado em seus produtos ou serviços do que quem só passa alguns segundos. Você pode criar uma lista específica de visitantes que passam mais tempo em seu site e criar campanhas para reimpactar esse público.

Ofereça descontos para quem desistiu da compra

Sabe aquelas pessoas que abandonam produtos no carrinho? Com certeza, esse elas têm mais probabilidade de finalizar a compra, principalmente se você oferecer condições melhores para isso. O ideal aqui é oferecer cupons de descontos para que essas desistências se transformem em conversões.

Invista nos visitantes certos

É muito provável que as pessoas que exploraram várias páginas do seu site estejam mais interessadas na compra do que quem só visitou sua home. Nesse caso, pode ser mais interessante expor seus anúncios para quem visitou páginas com produtos ao invés de anunciar pra quem só olhou suas informações institucionais, por exemplo.

Finalizamos esse artigo com as definições claras de remarketing e retargeting, assim como o tempo de aplicação de cada uma delas, mostrando que podem atuar em conjunto, mesmo que os objetivos sejam diferentes e ao final, estarem conectadas a um mesmo princípio — engajar mais clientes e alcançar o sucesso nas vendas.

Já que o assunto é a conversão, você já ouviu falar no modelo de atribuição Position Based? Descubra agora o momento exato em que suas conversões estão acontecendo!

Um resumo das principais abordagens desse artigo:

Benefícios do remarketing

  • engajar novamente os clientes;
  • mudar a percepção de marca;
  • alto índice de conversão;
  • aumento do tráfego;
  • segmentação da estratégia.

Benefícios do retargeting

  • Aumento das vendas;
  • Consciência de marca mais forte;
  • Redução do custo de aquisição.

Posts Relacionados