Marketing de produto: o que é e como aplicar?

Fabio Duran

Cofundador e CEO da Hubify. GDista, apaixonado por economia comportamental e vendas. Advogado formado pelo Mackenzie e pós-graduado em Administração de Empresas e Gestão de Projetos pela Universidade da Califórnia.

8 minutos de leitura

Apesar do mercado oferecer diversas oportunidades, qualquer lançamento pode ser desafiador, seja de um produto ou empresa, com proposta inovadora. Por isso, o Marketing de Produto surge como peça-chave nesse processo.

Afinal, você sabia que 90% dos consumidores pesquisam a respeito de uma marca no Google, antes da decisão de compra? Levando esse dado em consideração, fica nítida a importância de apostar nessa estratégia.

Mas, você sabe, realmente, como ela funciona? E como colocar em prática? Em caso negativo, tenha calma, pois essas e outras perguntas serão respondidas neste artigo. Continue a leitura!

O que é marketing de produto e qual sua importância? 

Aqui, o produto em si faz parte de uma metodologia conhecida como 4Ps, isto é, além dele temos o preço, promoção e praça. Ele atua em todas essas áreas, para criar a estratégia ideal de atração que a empresa tem a oferecer.

É um segmento que desenvolve o lançamento, posicionamento, alinhamento e diferencial no mercado, ou seja, a identidade do produto.

Também vale ressaltar que o Marketing de Produto foca no entendimento e nas necessidades do mercado, mas com ênfase no consumidor. Dessa forma, essa estratégia é responsável por garantir que as áreas de Marketing e Vendas estejam alinhadas, para gerar mais oportunidades

Quais são as diferenças entre Marketing de Produto e Gestão de Produtos?

Geralmente, quando os termos são abordados é comum que haja dúvida em relação aos significados de cada um. Por isso, devem ser esclarecidos e aplicados da maneira correta.

A Gestão de Produtos é responsável por cuidar do desenvolvimento dos mesmos, seguindo os interesses do público-alvo e as necessidades do mercado. Também conduz toda a fase de concepção para gerenciar a alocação de recursos e otimizar os resultados.

Já o Marketing de Produto elabora o lançamento e oferta de um cliente no momento em que tudo está pronto. Resumidamente, ele cuida da chegada ao mercado, gerindo a disponibilização e distribuição para as pessoas. 

O cenário ideal é que a empresa conte com essas duas áreas operando em conjunto. Enquanto a gestão transforma a ideia em algo concreto, o marketing se encarrega de ajudar o produto ser lucrativo. 

Os tipos de um produto

Dentre as características de cada produto, podemos classificar os principais tipos como:

  • consumo: útil para consumidores finais com uso próprio, e fáceis de serem encontrados. Exemplo: lâminas de barbear;
  • conveniência: comprado com frequência, rapidez e esforços mínimos, além de terem um preço menor. Exemplo: chocolate;
  • comparação: menor frequência de compra e cujas características de preço, qualidade e estilo são comparadas pelo consumidor. Exemplo: sapato; 
  • especialidade: o consumidor adquire sem comparações, ele sabe o que precisa e são geralmente mais caros. Exemplo: imóveis ou automóveis;
  • não procurados: aqueles que o público não conhece, ou ainda não quer adquirir. Exemplo: seguro de vida e exames de rotina;
  • acessórios: são utilizados no processo produtivo de alguma atividade. Exemplo: calculadora;
  • serviços: auxiliam nas ações da sociedade, a terceirização é forte aqui. Exemplo: agências de marketing e contabilidade.

 O ciclo de vida de um produto
Além do tipo de produto, as fases do seu lançamento também merecem destaque. São elas:

  • introdução: é a fase inicial, onde ocorre a elaboração do material, a parte produtiva do procedimento;
  • crescimento: aqui, o produto começa a atender a demanda e as vendas aumentam, assim como a concorrência;
  • maturidade: é uma longa fase, relata a estabilidade do produto. O lucro pode estar presente, mas não é uma garantia;
  • declínio: é o momento de diminuição nas vendas. Nessa fase são exigidas novas medidas para se reinventar e não perder seu espaço no mercado.

Assim, ele é responsável por gerar demanda de um produto, fazendo com que os clientes tenham interesse por ele. Portanto, uma de suas ações é testar o impacto do seu produto com um grupo de consumidores, antes de lançar para o público geral.

Com isso, é possível avaliar se o preço definido condiz com a realidade do mercado e público-alvo, a utilidade do produto, alinhamento da sua equipe com o que está sendo ofertado, entre outros. 

Quais são as etapas do Marketing de Produto?

Assim como todo produto tem um ciclo de vida, como visto anteriormente, o marketing também dispõe de diferentes estágios.

Quer descobrir quais são as atividades desenvolvidas em cada uma das etapas? Então, continue a leitura! 

Desenvolvimento do perfil dos consumidores

O objetivo do primeiro estágio é definir o público-alvo e criar uma visão estratégica completa do potencial cliente da empresa.

Posicionamento e mensagem

Aqui, é fundamental responder três perguntas: o que o produto faz, quem vai usá-lo e por que esse ele é diferente dos seus concorrentes?

Assim, será possível montar um documento que posiciona o produto dentro do mercado

Processo de educação da empresa em relação a posicionamento e mensagem 

De nada vai adiantar a etapa anterior se os profissionais da empresa não souberem o essencial sobre o produto, não é mesmo?

Esse processo é importante para manter o alinhamento nas informações que serão passadas ao cliente. É preciso que todos os envolvidos estejam de acordo com a ideia do novo produto. 

Criação de um plano de lançamento

Essa parte abrange diversos colaboradores de diferentes áreas da empresa, mas sempre sendo liderada pelo setor de marketing. Nesse ponto, também é imprescindível ter atenção redobrada nos prazos e divisão de atividades.

Elaboração de conteúdo para lançamento

É nesse estágio que o marketing de produto se une com o marketing de conteúdo, criando press releases, manuais, demonstrações e páginas web.

O conteúdo trará mais impacto e visibilidade ao produto. Sem contar que será possível obter melhores resultados em vendas

Preparação da equipe

Antes do grande dia do lançamento é preciso que todos os profissionais, sem exceção, estejam preparados para lidar com as demandas que vão surgir a partir dessa data. 

Lançamento

Não, o trabalho não acaba após o lançamento. A equipe de Marketing de Produto precisa estar a postos para realizar ajustes conforme o retorno obtido junto ao mercado e consumidores.

O passo a passo para criar uma estratégia de Marketing de Produto

O funcionamento do Marketing de Produto conta com algumas etapas, acompanhe quais são elas a seguir!

1. Considere o fluxo de caixa

Esse é o momento crucial para dar início, pois o planejamento financeiro é essencial para saber se você vai conseguir arcar com as despesas ou não. Por isso, faça um relatório de todos os gastos, e descubra se você tem o necessário para investir.

Aqui, o ROI é um grande aliado e você pode entender mais sobre a importância de controlar o dinheiro, além de saber se a ação está dando certo ou não.

2. A concepção do consumidor

A segunda etapa não poderia ser outra. Definir para quem você deseja ofertar o produto é a base para o processo. Aqui, vale a pena optar por uma persona, ou seja, uma concepção personalizada e semi-fictícia do seu cliente ideal.

Com isso, ocorre a segmentação do mercado e economia de esforços, já que é difícil atender um público-alvo amplo, além de gerar custos excessivos. A partir de formulários e pesquisas, é possível filtrar o público para encontrar aquele que mais se identifica com o seu propósito.

3. Defina o conteúdo

Por ser algo novo, você precisa investir pesado no conteúdo — quanto mais informações, melhor. A partir daqui, as estratégias são elaboradas e começam os estudos sobre onde atuar. Essa etapa é essencial, pois é ela que vai atrair seu cliente. Alguns exemplos de como expor seus materiais são artigos, e-mails, e-books e anúncios, entre outros.

Os recursos visuais também são grandes aliados. Eles garantem à marca notoriedade e identidade, sendo um gatilho de memória que faz com que o consumidor associe uma cor ou logo com a empresa.

4. Saiba onde aplicar

Hoje, existem vários canais para atuar, principalmente com a internet. Dessa forma, entenda a sua persona e onde ela está presente. Existem as redes sociais de nicho que são mais específicas, ou então as mais famosas que são de relacionamento.

Outro exemplo são os sites ou blogs, que permitem apresentar o produto de forma detalhada, com as informações necessárias e materiais que sirvam para solucionar uma demanda com a sua oferta, dependendo do estágio de venda.

5. Promova o atendimento ao cliente

Essa etapa é essencial para garantir a satisfação do cliente. Um bom atendimento precisa ser praticado tanto no pré, quanto pós-venda, sendo solícito a quaisquer dúvidas do consumidor. Uma dica é utilizar recursos mecanizados com assistência de conversação digital para interagir com o público.

6. Seja transparente

Ter a missão e os valores bem definidos é essencial para o lado operacional, com os funcionários. Ao alinhar os seus objetivos e ser transparente, procure oferecer treinamentos e uma equipe preparada.

Além disso, também é vital ser sincero com o consumidor, pois ele precisa confiar na sua oferta. Deixe claro suas intenções, a descrição do produto, o que ele oferece e seus diferenciais.

7. Estude sua concorrência

Pode não parecer, mas conhecer sua concorrência é vital para entender se o seu produto está de acordo com o segmento de mercado, e em quais detalhes ele pode superar seus rivais. Hoje, é difícil ver um produto original de fato, já que novos empreendimentos surgem diariamente, porém a criatividade está em como você vai abordar esse produto e apresentar a oferta.

Esse processo é chamado de benchmarking, e ele pode ser útil para se inspirar em outros negócios bem sucedidos e nas práticas utilizadas. Existem várias formas de aplicação como:

  • eventos;
  • mentorias;
  • consultorias.

8. Escolha os fornecedores ideais

Conheça bem os fornecedores e veja se eles atendem as suas necessidades. Esse passo é determinante no procedimento, visto que os prazos de entrega são desafiadores nos dias atuais. Tudo precisa estar alinhado para não atrasar as etapas seguintes e, assim, prejudicar sua estratégia.

9. Priorize a logística

Nesse caso, é um procedimento que merece atenção, já que de nada vai adiantar ter uma boa oferta e demanda, se não houver eficiência na entrega. Aqui, determinamos questões relacionadas às formas de transporte, estoque e pagamento. 

Podemos citar como exemplo a Coca-Cola, gigante e consolidada no mercado. Ela pode se reinventar, buscando novos produtos e ainda falhar no mercado, pois seu principal feito é o carro-chefe da marca e não será abalado. Em contrapartida, não existe margem para erros na logística, essa questão precisa ser impecável devido à força de alcance que o seu produto principal tem, ao redor do país.

10. Acompanhe os resultados

Vale a pena estar atento ao pós-venda, assim, você terá insights sobre o que deu certo ou não com os resultados. Isso também ajuda no futuro das novas estratégias, definindo o que deve continuar e o que carece de mudanças.

Também, invista bastante nas redes sociais para divulgar o lançamento, busque parcerias com outras marcas, ou até mesmo com digital influencers. Esse é o momento em que o marketing precisa ser mais forte do que nunca, afinal, a primeira impressão influencia no futuro.

Como uma empresa pode revolucionar o mercado com o Marketing de produto?

Separamos algumas dicas de como sua empresa pode utilizar o marketing de produto para se destacar no mercado, confira!

Design Thinking

Essa prática diz respeito ao pensamento crítico na organização de ideias, ao estabelecer suas metas e tomada de decisões. A concorrência exige inovação, e muitas vezes as empresas esquecem do fator decisivo: os consumidores. Eles precisam ser o foco sempre. Assim, podemos listar três pilares desse pensamento:

  • empatia: é o momento de enxergar a necessidade de alguém com os seus olhos, de fato, “se colocar no lugar do outro”. Portanto, busque criar produtos que realmente sejam a solução para a dor da sua persona;
  • colaboração: conte com uma equipe colaborativa, onde todos podem contribuir e evoluir em prol de um mesmo objetivo;
  • experimentação: essa é uma forma de prever o erro e aprimorar o produto se necessário. 

Esteja aberto às críticas

Sabemos que o cliente é prioridade máxima na empresa, portanto, receber feedbacks positivos ou construtivos é importante. O site Reclame Aqui é um exemplo de relatos que envolvem insatisfação do cliente, ela pode ajudar você a entender o que precisa melhorar e como será sua criação de novos conteúdos.

Sua presença nas redes sociais tem impacto nesse caso, já que é uma forma de se aproximar do cliente e evitar a exposição negativa da marca, com o público sentindo confiança no seu atendimento. Entenda que o consumidor tem o direito de fazer exigências, conforme o que foi oferecido, então, tenha paciência e busque ser o mais solícito possível.

Pratique a inovação

Com o marketing de produto é possível utilizar ferramentas para criar um novo segmento de vendas, ou então reinventar um produto já existente. Um exemplo é quando uma marca estrangeira vem para o Brasil, se ela retornar para o país de origem significa que o marketing de produto, provavelmente, foi mal sucedido.

Vale ressaltar que ele não é semelhante ao conceito de gestão de produtos, que atua no equilíbrio dos produtos, enquanto o marketing de produto é direcionado ao modo como a oferta será apresentada.

Certamente, agora ficou mais fácil entender a temática, não é mesmo? Avalie seus recursos e traga o marketing de produto para sua marca, seja na criação de um novo produto, ou para impulsionar outro já existente!

Se você gostou de conhecer o Marketing de Produto, assine a nossa newsletter e receba diretamente em seu e-mail mais conteúdos sobre marketing e suas vertentes!

Posts Relacionados