O guia completo sobre produção de vídeo para o YouTube

Rubens Netto

11 minutos de leitura

A produção de vídeo para YouTube requer algumas boas práticas para trazer os resultados esperados. Veja o que fazer para atrair usuários e alcançar o sucesso!

 

Você sabe que a produção de vídeo é a tendência para o futuro? Pesquisa da Small Business Trends mostra que 80% dos consumidores alternam pesquisas de texto com vídeos antes de decidir o que comprar. Além disso, a Gartner previu que as marcas que adaptarem seus sites para pesquisa visual devem crescer suas vendas online em 30% até 2021.

Tudo isso é proporcionado, em boa parte, pelo YouTube. Com 2 bilhões de usuários ativos por mês, ele se tornou um meio importante para marcas e influenciadores digitais. Ambos vendem produtos ou serviços e podem atrair muitos clientes e seguidores com os conteúdos visuais.

A pergunta que fica é: como produzir vídeos de forma correta, a fim de se destacar da concorrência? Esse é o foco deste artigo, que vai explicar os principais detalhes para você alcançar o sucesso. Vamos lá?

Que tipo de equipamento utilizar?

O primeiro passo para a produção de vídeos é definir um equipamento para fazer as gravações. Tudo depende do seu orçamento. Se você tiver pouco dinheiro, pode usar um smartphone com câmera de boa qualidade. Acredite: muitos aparelhos desse tipo geram um resultado excelente.

Caso possa investir um pouco, existem 2 principais tipos de câmeras: reflex e evil, csc ou sem espelho. Muito confuso? Vamos explicar melhor. As primeiras são sem espelho e atuam como equipamentos fotográficos que também gravam vídeos.

Por fazerem parte dessa categoria, elas têm uma limitação de 29 minutos de gravação contínua. Depois disso, é preciso encerrar e começar uma nova. Alguns modelos desse tipo são:

  • Canon g7x;
  • Canon 4000D;
  • Sony a6000;
  • Nikon D5500.

Dentre esses modelos, alguns são compactos e outros têm até uma tela dobrável. A desvantagem são as lentes que vêm no kit. Elas costumam ser básicas. Por isso, nem sempre permitem aproveitar os sensores da câmera ao máximo.

Por sua vez, as câmeras evil são compactas, mas têm um resultado mais profissional. Elas têm lentes intercambiáveis e visor eletrônico. Por isso, tendem a oferecer um resultado melhor, mas exigem um investimento maior.

O importante, aqui, é entender que você não precisa começar com um equipamento top. Comece da melhor maneira possível, porque existem outros fatores que interferem no resultado.

Como fazer um bom roteiro?

O ideal é que os vídeos sejam curtos e atrativos, exceto se você tiver um objetivo diferente, como ministrar um curso, fazer um webinar etc. De toda forma, o roteiro precisa ser bem consistente e elaborado.

Ele é o que vai guiar a produção do conteúdo e direcionará as próximas produções. Assim, todas têm um encadeamento. Por esse motivo, é importante sinalizar no roteiro:

  • os tópicos a serem abordados;
  • as cenas a serem gravadas;
  • as características dos cenários;
  • os participantes.

Perceba que o ideal é ser específico e organizado. Desse modo, você pode até treinar as falas antes de gravar para evitar erros e a necessidade de regravação.

Aqui, você também deve definir o conteúdo e o formato do vídeo. Se tiver dificuldade para criar as falas, liste no papel todas as ideias que considera fundamentais, classifique-as por ordem de importância e, então, gere o conteúdo a ser falado.

Lembre-se de que a oratória é importante para transmitir autoridade — e ela também depende de um bom roteiro. Essa é uma forma de agregar valor ao material e garantir sua qualidade. Por isso, busque uma pessoa que repasse as informações com clareza e precisão.

Como se preparar para gravar?

Na hora de pensar na produção de vídeos, você deve considerar alguns fatores para garantir o máximo de qualidade. Entre os principais estão:

  • duração do vídeo: é importante passar a sua ideia e reforçar sua estratégia sem alongar demais a gravação. Não existe uma fórmula certa. Depende do conteúdo, dos seus objetivos e dos conteúdos consumidos pela persona;
  • poluição visual: evite ter muitas informações visuais na gravação. O efeito em quem assiste é ruim, porque distrai a atenção;
  • isca: consiste em elementos que atraem o público. Ajudam a atrair as pessoas, especialmente se você colocar alguma informação curiosa ou atraente nos primeiros 10 segundos. Com isso, há mais chances da pessoa assistir até o final;
  • emoção: é preciso passar sentimentos para se conectar com os espectadores. Portanto, utilize a raiva, a alegria, o medo, a inveja etc. para passar aquilo que deseja e aumentar o reconhecimento.

Junto a esses fatores, é preciso adotar algumas boas práticas, que levam a uma produção de vídeo mais atrativa para os usuários. Quer saber quais são elas? Confira as dicas que apresentamos abaixo!

Cuide com o áudio

A produção do vídeo também depende do áudio. Afinal, o que adianta ter cenas maravilhosas e um som ensurdecedor? Por isso, grave em um local sem barulhos intensos e com bons microfones. Invista na edição de áudio e, se possível, coloque uma trilha sonora de qualidade.

Controle sua imagem pessoal

A visão que as outras pessoas têm de você é importante para a gravação do vídeo. Essa é uma forma de estabelecer uma ligação pessoal mais rápida. Como a pessoa que assiste à produção pode não te conhecer, uma ideia é mostrar rapidamente quem é.

Além disso, projete a voz e coloque um tom adequado para aumentar sua reputação. Foque a dicção para facilitar a compreensão do usuário. Para facilitar, vale a pena fazer treinamentos para tornar o processo de gravação mais rápido e exigir menos edição.

Invista na pós-produção

O vídeo pode estar bom, mas sempre vai ter algum defeito. Para resolver esse problema, existe a pós-produção. O foco é editar o material e garantir o máximo de qualidade. Tenha em mente que é impossível fazer um milagre, mas o resultado será o melhor quando a gravação bruta já estiver adequada. 

Como criar um canal no YouTube?

Agora que você sabe o que precisa fazer para começar a gravar, está na hora de criar um canal no YouTube. Essa é a melhor plataforma para divulgar seus vídeos e facilitar o acesso dos internautas — lembra do total de usuários ativos por mês?

Para confirmar esse dado, ainda existem outros. Os usuários no mundo assistem a mais de 46 mil anos de vídeo a cada 12 meses. Somente nas telas de smart TVs são 180 milhões de horas de conteúdo todos os dias. E a cada minuto são enviadas 400 horas. Por isso, o YouTube é o segundo maior motor de buscas.

Agora vamos à parte prática: como criar um canal no YouTube? 

O que precisa para ter um canal completo?

Começar na produção de vídeos implica abrir uma conta em alguma plataforma de distribuição orgânica. A mais utilizada e com o maior número de usuários é o YouTube. Por isso, vamos focar a criação de um canal completo nessa rede social.

Para isso, é preciso entrar no YouTube e fazer o login com o Gmail, clicando no menu correspondente no canto superior direito da tela. Em seguida, também na parte de cima, existirá um ícone com a sua foto, o logo da sua empresa ou as primeiras letras do seu nome, conforme estiver definido seu perfil.

Clique neste símbolo e selecione “Meu canal”. Coloque o nome e clique em “Criar canal”. Pronto! O processo já está pronto, mas ainda é preciso fazer as customizações. Selecione “Personalizar canal” e edite as imagens como quiser. 

O ideal é que exista uma arte para o canal, com tamanho recomendado de 2.560 x 1.414 pixels e até 6 Mb. Troque a foto de perfil, adicione os canais em destaque, ative e desative os populares e crie uma seção, se quiser fazer vídeos com temas diversos. Nessas configurações, você também pode:

  • modificar o idioma;
  • ajustar o local do conteúdo;
  • definir se quer que o canal esteja em modo restrito, a fim de ocultar os vídeos com conteúdo inadequado.

O resultado pode ser visto no menu esquerdo, clicando em “Meu canal”. Para postar um vídeo já pronto, basta pressionar o ícone em formato de câmera no canto superior direito e selecionar “Enviar vídeo”. Em seguida, escolha “Selecione arquivos para enviar” e defina qual será postado.

Aqui, também é possível importar vídeos do Google Fotos e fazer uma transmissão ao vivo. No entanto, existe uma limitação. Por padrão, o YouTube permite gravações de até 15 minutos. Mais que isso, é necessário checar sua conta pelo telefone e clicar em “Aumentar limite”, que está abaixo de “Ajuda e sugestões”.

Escolheu o vídeo? Então, insira as informações básicas e defina como ele aparecerá, ou seja, se será:

  • público: há acesso ilimitado para qualquer pessoa;
  • não listado: aparece apenas para quem tem o link;
  • privado: oferece visualização apenas para você;
  • programada: é possível escolher um dia e um horário de postagem.

Em “Configurações avançadas”, ainda é determinado se serão permitidos comentários, qual é o tipo de licença (padrão ou Creative commons), categoria, idioma e mais. Por último, é só clicar em “Concluído” e seu vídeo está postado.

Apesar do processo ser simples, existem várias etapas a considerar. Um canal completo depende de várias informações. Veja quais são as principais!

Banner

É a arte do canal. Deve ser adicionado conforme as recomendações repassadas, ou seja, 2.560 x 1.414 pixels e até 6 Mb. Para reforçar a visibilidade, é importante que essa imagem esteja alinhada à identidade visual da marca. Lembre-se de que esse é o primeiro elemento visualizado pelo usuário. Por isso, deve ser condizente com as expectativas.

Descrição

Consiste em um texto que vai mostrar para que serve o canal. É inserida com o botão “Adicionar descrição”. Aqui, o objetivo é apresentar um resumo do que será postado. O espaço disponível é de mil caracteres, inclusive links. Para ter concisão, foque:

  • o tipo de conteúdo;
  • a frequência de envio;
  • as redes sociais da empresa;
  • a história do seu negócio, se quiser e houver espaço.

Nome do canal

Deve estar relacionado à sua marca. Se você for um influenciador, precisa pensar em algo fácil de ser lembrado e digitado, e inteligente. Afinal, é por meio do nome que o usuário vai buscar o seu canal.

Com essas informações básicas, seu canal já está completo. Agora, de nada adianta tê-lo, se você não puder ganhar dinheiro com ele, certo? É por isso que vamos falar da monetização.

Como funciona a monetização do YouTube?

É possível ganhar dinheiro com o YouTube? Tanto é, que muitas pessoas vivem disso. Para ter uma ideia, um estudo da Forbes apontou que um influenciador com mais de 7 milhões de seguidores consegue receber um retorno de até 300 mil dólares.

O mesmo levantamento apontou que o YouTube é a rede social mais lucrativa para os influenciadores. Comparando com o exemplo anterior, o Facebook traria um retorno de 187 mil dólares e o Instagram de 150 mil dólares. 

No Brasil, os influenciadores ganham entre R$ 50 mil e R$ 150 mil por campanha no YouTube. Canais menores recebem de R$ 1 mil a R$ 5 mil. A diferença acontece, porque os fatores que levam à formação do preço são variados.

Além disso, existem regras a serem seguidas para aumentar as chances de você monetizar com a produção de vídeo. A principal é fazer parte do Programa de Parcerias do YouTube. Ele determina que as maneiras de ganhar dinheiro são:

  • receita de publicidade: é direcionado para a veiculação de sobreposição em vídeo e anúncios gráficos;
  • clubes dos canais: são realizados pagamentos mensais pelos integrantes do canal em troca de benefícios que você oferece;
  • estante de produtos do canal: consiste na compra de mercadorias oficiais da marca, que são divulgadas nas suas páginas de exibição para os seguidores;
  • superchat e superstickers: há o pagamento dos fãs para que suas mensagens sejam destacadas no chat das transmissões ao vivo;
  • receita do YouTube Premium: e o recebimento de parte da taxa de assinatura do usuário quando ele assistir ao seu conteúdo.

Diante das diferentes possibilidades, parece que é fácil monetizar no YouTube. A questão é cumprir os requisitos para fazer parte do Programa de Parcerias. Cada tipo de recurso depende tem critérios diferentes. Veja:

  • receita de publicidade: é preciso ter, pelo menos, 18 anos ou um responsável legal para gerenciar os pagamentos pelo Google AdSense. Além disso, é importante criar conteúdos alinhados às diretrizes da plataforma;
  • clubes dos canais: é preciso ter 18 anos e mais de 30 mil inscritos no canal;
  • estante de produtos do canal: é necessário ter 18 anos e mais de 10 mil inscritos;
  • superchat e superstickers: é necessário ter 18 anos e ser residente em um país em que o recurso está disponível;
  • receita do YouTube Premium: é importante criar um conteúdo assistido por assinantes da versão premium.

É importante destacar que esses requisitos são apenas critérios a serem cumpridos. No entanto, é preciso fazer mais para ganhar dinheiro com a produção de vídeo pelo YouTube. Por quê?

Um dos principais motivos foi o escândalo com o youtuber Logan Paul, em 2018. Ele monetizou com um vídeo em que aparecia uma vítima de suicídio. Como o assunto ganhou o mundo, a plataforma optou por mudar as regras e agora faz uma análise mais criteriosa.

Nesse processo, são considerados o número de visualizações, o tipo de conteúdo, o engajamento dos usuários e mais. Da mesma forma, são acompanhadas as possíveis violações de regras da plataforma, spam e denúncias. Por isso, é importante seguir as diretrizes para ingressar no Programa de Parcerias e permanece nele.

Como divulgar o canal?

A produção de vídeo depende também de divulgação. Fazer uma gravação tecnicamente adequada, com qualidade e que segue as diretrizes do YouTube é importante. No entanto, sem difundir a ideia, os usuários não vão ficar sabendo dele e você perderá a chance de fazer seu canal crescer e monetizar com ele.

Por isso, existem dicas práticas que ajudam na hora de fazer uma divulgação adequada. Todas elas passam, primeiro, pelo conhecimento do público. É fundamental entender quem consome seus conteúdos e, então, identificar aspectos relevantes, como:

  • idade média do público;
  • redes sociais utilizadas;
  • hábitos na internet;
  • formas de comunicação e interação no ambiente digital.

Por isso, se você acha que a divulgação requer apenas dinheiro para fazer anúncios, saiba que isso está longe de ser verdade. Outras recomendações ajudam a alcançar o sucesso — e nem precisam de investimento.

Quer saber quais são elas? Confira abaixo!

Invista no SEO

As práticas de SEO também são válidas para a produção de vídeos. Porém, existem algumas diferenças quando o assunto é o YouTube. Ainda assim, é bastante fácil. Basta seguir as recomendações abaixo:

Encontre palavras-chave para vídeo 

O Google deve ser usado para pesquisá-las e veja se aparecem resultados do YouTube. Geralmente, elas vêm acompanhadas de “como fazer” ou alguma expressão similar. Além disso, aproveite o Google Keyword Planner para visualizar o total de buscas mensais.

Otimize o título do vídeo

A palavra-chave deve ser incluída no título do vídeo. Também é importante que ele resolva um problema. Por exemplo, o título deste post, se fosse para o YouTube, poderia ser: “Como focar a produção de vídeo para o YouTube para monetizar mais”.

Otimize as tags

A inserção de palavras-chave relevantes pode ser feita com a ajuda das tags. Elas contribuem para o aumento das visualizações no YouTube. Aproveite e trabalho o LSI, ou seja, o campo semântico. É recomendado incluir entre 10 e 12 palavras secundárias.

Solicite comentários

A interação dos usuários mostra ao YouTube que o seu vídeo é popular. Por isso, sempre que possível peça comentários e termine a gravação com uma pergunta, a fim de fomentar uma discussão.

Incentive o usuário a se inscrever no canal

A prática é positiva, porque mostra à plataforma que o usuário vai acessar o seu canal de forma regular. Por isso, sempre incentive a inscrição — ela é mais importante que os comentários e as curtidas.

Adicione legendas

A ativação desse recurso, já disponível no YouTube, torna o conteúdo acessível às pessoas com dificuldades de audição. Por isso, o SEO aumenta a divulgação para esse público. O cuidado é com a garantia de que as legendas estão corretas.

Edite o nome do arquivo

O ideal é usar a palavra-chave e indicar o que é o tema do vídeo, em vez de deixar o padrão. Por exemplo, este post, se fosse transformado em vídeo, poderia ficar como: “guia_completo_producao_video_youtube”.

Faça links para o canal e para os vídeos

Os dois tipos de linkagens precisam ser trabalhadas para melhorar a autoridade dos seus vídeos. Dessa forma, a divulgação tem mais sucesso.

Use CTAs nos vídeos

O ideal é sempre ter uma chamada para ação, que pode ser uma pergunta, o link de um conteúdo, o convite para se inscrever no canal etc. Explore as oportunidades.

Divulgue os vídeos no seu site ou no blog

A produção de vídeo deve ser recomendada no blog e no site, porque aumenta a visibilidade das gravações. Ao mesmo tempo, há uma chance maior de formar um público fiel, os conteúdos se tornam mais ricos e o site tem mais relevância.

Use as redes sociais

Seu perfil nas redes sociais deve linkar os vídeos do YouTube para encaminhar os seguidores à outra rede social e aumentar a chance de monetização. Para trabalhar melhor as produções, use os teasers. Eles ajudam a apresentar o conteúdo de modo breve para encaminhar o usuário à página. 

Envie o conteúdo por e-mail

A inserção da palavra “vídeo” no assunto de um e-mail eleva a taxa de abertura da mensagem em 19% e a de cliques em 65%. Além disso, o índice de cancelamento da inscrição é reduzido em 26%. Acredita?

Esses dados já mostram por que você deve enviar o conteúdo por e-mail. Essa é uma forma de aumentar a sua lista de seguidores. O cuidado é com a formação de uma lista qualificada para receber a autorização do usuário.

Faça parcerias para divulgação

A estratégia é fortalecida com essa medida. Entre em contato com bons profissionais ou influenciadores. Assim, há uma chance maior das pessoas assinarem seu canal e acompanharem seus vídeos. Além disso, essa parceria ajuda a outra parte, já que vocês podem compartilhar a audiência e aumentar o alcance de ambos os canais.

Perceba que todas essas atitudes contribuem para a divulgação do vídeo de forma gratuita. Afinal, para ter resultados, é preciso implementar o marketing digital de performance. Por isso, vale a pena contar com agências especializadas, que vão ajudar na gravação e alcance do seu canal e de outros meios, como seu site, seu blog e seus perfis nas redes sociais.

Agora você já sabe tudo que precisa sobre produção de vídeo e pode colocar em prática as dicas apresentadas. A partir disso, é só investir em conteúdos de qualidade, que vão atrair seguidores e agregar valor à sua estratégia.

O que acha de ver mais formas de aprimorar sua estratégia? Veja tudo o que você precisa saber sobre vídeo marketing.

Posts Relacionados