Criação de sites: tudo que um site de sucesso precisa ter

Oscar Sigaki

Oscar Sigaki

Engenheiro formado pela FEI, com MBA em Gestão de Negócios pela FGV e Professor de Pós-Graduação no curso de Marketing Digital na UMC. Já foi responsável pelo marketing de performance em projetos como Vivo, Smiles, Kroton, entre outros. Hoje é sócio e COO da Hubify.

11 minutos de leitura

A criação de sites é um problema para você? Saiba que você nem precisa ser um programador para alcançar bons resultados. Veja os fatores de sucesso para alcançar melhores resultados.

Houve um tempo na internet em que “tudo era mato”. Se você tiver por volta dos 30 anos ou mais, vai lembrar que a criação de sites era horrível. Os recursos eram limitados e nem se imaginava que um dia existiria o HTML. Ainda bem que o cenário mudou.

Criar um site é fundamental para qualquer empresa que deseje atrair clientes. Ele é como um cartão de visitas e oferece credibilidade à empresa. Afinal, se sua empresa está presente nos meios online, os clientes conseguem encontrá-la.

No começo, a ideia era a mesma. A diferença é que o processo era muito mais complexo. Hoje, é possível desenvolver um site profissional de modo mais fácil. Aqui, estão contempladas todas as etapas de criação, como:

  • elaboração do layout, para o design de interface;
  • programação de interface, com codificação HTML;
  • construção de arquivos de estilo CSS, para estilizar o conteúdo;
  • programação de sistema;
  • programação de interações client side, por meio do Javascript.

A dúvida é: como ter sucesso ao criar o seu site? É o que vamos explicar neste artigo. Que tal saber mais?

Por que ter um site?

Um site é um lugar na internet que reúne todas as informações da empresa. Por isso, serve para apresentar o negócio, seus produtos, suas notícias e suas informações, além de seu e-commerce. De maneira técnica, é um conjunto de páginas, ou seja, de hipertextos acessíveis que funcionam, geralmente, pelo protocolo HTTP na internet. 

O nome “site” foi criado por Tim Berners-Lee, que fez a comparação a uma teia (web). Cada nó seria um local, ou site. Também foi ele que criou a primeira página desse tipo, em agosto de 1991.

Atualmente, ainda existem cerca de 40% de micro e pequenas empresas sem site no Brasil. Isso é um erro por vários motivos, por exemplo:

  • o número de usuários regulares de internet no Brasil já chega a 126,9 milhões de pessoas. Isso representa 70% dos habitantes, sendo que metade da população rural e das classes D e E têm acesso à rede mundial de computadores;
  • o crescimento do e-commerce deve chegar a 18% em 2020, com movimentação de R$ 106 bilhões. O ticket médio deve ficar em torno de R$ 310 e devem ser feitos 342 milhões de pedidos por 68 milhões de consumidores. Os dados são pesquisa TIC Domicílios.

Além desses dados, existem outros fatores que justificam a criação de sites. Veja alguns dos principais.

Geração de negócios

Um dos principais objetivos do site é gerar negócios. Como você apresenta sua empresa para os consumidores, fica mais fácil de se destacar da concorrência e dar visibilidade aos seus produtos ou serviços.

Relacionamento com a audiência

O contato com as pessoas por meio do seu site pode acontecer de diferentes maneiras. É o caso de ter um chat em tempo real para conversar com o cliente, por exemplo. Você também pode acrescentar um blog com notícias e/ou uma loja virtual para vender produtos ou serviços.

Relevância

A empresa é mais facilmente encontrada no Google. Afinal, é só digitar uma palavra-chave e o nome do negócio pode aparecer. No entanto, é o site que oferece essa possibilidade. Junto a ela, vem o aumento da credibilidade e da confiança, quando a página transmite profissionalismo.

Fortalecimento do marketing digital de performance

O site ajuda as estratégias de marketing digital e traz mais resultados. O custo é menor, quando comparado ao modelo tradicional, além de ser possível mensurar indicadores com precisão, inclusive, o Retorno do Investimento (ROI).

Qual é a estrutura do site?

Existem diferentes modelos a serem adotados para a criação de sites. Sua empresa pode adotar aquele que achar melhor. O foco, aqui, é atender às demandas internas do negócio.

Para definir quais recursos são os mais importantes, pense sobre a necessidade do usuário sobre as informações e se ele acharia interessante conhecer mais a empresa. Dentro desse conceito, existem alguns elementos estruturais que ajudam a definir o site. Veja:

Cabeçalho

Aparece na parte superior das páginas do site. Geralmente, têm o título do site, o logo e o menu.

Corpo

É a página. O conteúdo muda conforme a URL. Por exemplo, a home será diferente do “Sobre”, que será diverso da área de “Produtos”. Aqui, existem vários elementos a analisar:

  • página inicial: é a home, que recebe a maioria dos visitantes. O importante é saber se os usuários conseguem encontrar o que buscam. Isso significa que há usabilidade;
  • categorias: refere-se à estrutura de páginas, isto é, a forma como as classificações estão organizadas e como facilitam a busca do usuário. É preciso pensar na arquitetura das informações e na usabilidade;
  • conteúdos: contemplam a descrição dos produtos ou serviços e dos negócios da empresa. É importante para mostrar ao cliente o que ele precisa saber e tomar a decisão de compra.

É importante que o sistema de navegação siga a ordem: página inicial – categorias – conteúdos.

Rodapé

Fica localizado na parte inferior do site e vai de um lado a outro da página. Oferece informações de contato, ícones de redes sociais, dados de direitos autorais e outros.

Quais são os principais tipos de sites?

Há vários tipos de sites que podem ser criados para sua empresa. Tudo depende do que você deseja oferecer aos clientes e quais objetivos pretende alcançar. Por isso, considere o que é importante para o seu negócio nesse momento.

Entre as alternativas estão as opções a seguir. Confira!

Blog

Oferece o compartilhamento de conteúdo para educar a persona e ajudá-la a passar pela jornada de compras. Além disso, os blogs são ferramentas de marketing e divulgação. Por meio de artigos relevantes e do trabalho de SEO, é possível atrair visitantes, fortalecer o relacionamento com eles e gerar vendas.

O blog pode ser diferente do site ou estar hospedado dentro dele. De qualquer forma, um dos propósitos é se tornar referência na área para auxiliar nas tomadas de decisão. Tanto é que uma pesquisa da Smart Insights demonstrou que 53% das empresas consideram importante a criação de conteúdo para blogs. 

E-commerce

É direcionado para a venda de produtos ou serviços pela internet. Consiste em processos digitais para comercializar itens. Por isso, abrange mais que a loja virtual. É fácil de configurar, mas pode ser complicado levar os usuários até a página para comprar.

Pode ter apenas um produto ou vários. Em alguns casos, nem precisa vender algo. Apenas a oferta de um catálogo para selecionar os itens desejados e fazer um orçamento é o suficiente.

Institucional

Foca a oferta de informações sobre o negócio. Contém 3 elementos: home, produto/serviço e contatos. Ainda permitem o contato por meio de chats ou formulários, apresenta notícias e eventos relacionados, disponibiliza o download de documentos e facilita as inscrições ou registros.

Portfólio

Apresenta trabalhos desenvolvidos por negócio ou pessoa física. Assim, os projetos são conferidos por potenciais clientes. É importante destacar que as empresas costumam disponibilizar essas situações nos sites institucionais. No entanto, nada impede de criar o seu.  

Portal

É uma associação de conteúdo voltado a determinado público. Oferece diretórios para buscadores, sites, citações, salas de bate-papo, fóruns etc. Era mais comum antigamente. Um exemplo é o Yahoo! Respostas.

Landing page

Tem como objetivo coletar dados dos potenciais consumidores. Por isso, oferece elementos estratégicos e atraentes para converter os visitantes em leads, clientes ou oportunidades. A captura das informações depende de um formulário, por exemplo. Com acesso aos dados, você pode contatar as pessoas com a autorização delas e fazer negócios.

Hotsite

É um micro site, ou seja, uma página temporária destinada para o lançamento de um produto ou um serviço. Costuma ter uma data específica para entrar e sair do ar.

Marketplace

É como uma loja virtual, mas você oferece seus produtos na página de um parceiro e ali são comercializados itens de outras pessoas. O marketplace é uma plataforma única, em que vários lojistas se cadastram e vendem mercadorias. Um exemplo é o Mercado Livre.

O que é necessário para criar um site?

A criação de sites depende de alguns elementos específicos que viabilizam a sua construção e disponibilização na internet. Não é preciso ser um profissional ou ter conhecimentos avançados em programação. Ser bastante curioso e pesquisa já ajuda a ter um bom resultado.

Ainda assim, você pode contar com experts no assunto. A decisão depende daquilo que você deseja ter na plataforma e do que é capaz de fazer. Conheça, agora, os principais elementos para criar seu site.

Domínio

O endereço do seu site é o domínio. Ele tem uma extensão, sendo que as mais comuns são “.com.br” e “.com”. No entanto, existem outras. 

Para saber o que está disponível para o seu negócio, é preciso conferir a disponibilidade no Registro.br. Lá, você também verá as possibilidades de extensão. Depois de comprar seu domínio, seu site será o “www.nomedoseusite.com.br”, por exemplo.

O registro pode ser realizado de forma independente ou junto à contratação da hospedagem. Tudo depende do que você acha melhor e do serviço de host que vai escolher.

Hospedagem

O host é o que vai armazenar as informações do seu site, como conteúdos, vídeos, fotos etc. A hospedagem é como o aluguel do espaço no servidor. Por isso, existem diferentes planos. Os principais são:

E-book ferramentas para site
  • hospedagem compartilhada: é mais barata, mas vários sites dividem o espaço disponível no servidor;
  • hospedagem dedicada: custa mais, mas você tem um ambiente único para sua empresa;
  • hospedagem na nuvem: armazena as informações em servidores externos, que compartilham os recursos e fazem várias cópias para evitar a perda de dados.

De todas as opções, a hospedagem em nuvem costuma ser mais indicada, porque você deixa de ter problemas com defeitos em máquinas. Além disso, existe a escalabilidade, ou seja, é mais fácil aumentar a capacidade do site receber visitas.

Você pode contratar aquilo que está dentro do seu orçamento. Porém, nunca observe apenas o preço. Isso pode levar a problemas graves, como indisponibilidades, que impedem o acesso dos clientes e as compras, por consequência.

Layout

A identidade visual do seu site está aqui. O layout não é um fator de ranqueamento, mas é importante para a navegação do usuário e sua impressão sobre o negócio.

Por isso, busque um template fácil de usar e coloque as cores que marcam sua identidade. As marcas sempre devem servir como referência, desde que não interfira na usabilidade e na leitura das páginas. Tenha em mente que é preciso aliar personalização, funcionalidade e usabilidade.

Programação

O elemento ajuda a instalar os sistemas e as aplicações no site para garantir o acesso fácil dos usuários. É importante ter uma boa programação para facilitar o ranqueamento nos buscadores.

O principal construtor de sites é o WordPress. Esse sistema de gerenciamento de conteúdo (CMS) é o mais usado, com participação em 35,8% de todos os existentes no mundo e 62,6%, quando são considerados apenas os CMS.

Como montar um site?

A criação de sites depende de algumas etapas. Além do domínio, da hospedagem e dos outros tópicos já citados, é preciso colocar a mão na massa. Veja o que é necessário fazer.

Instale o WordPress

A versão atual precisa ser baixada, porque o WP é um sistema de código aberto. Você pode fazer isso da seguinte forma:

  • faça o download da versão mais recente e descompacte o arquivo “.zip” em uma pasta;
  • crie um banco de dados no servidor para o seu site. O painel administrativo costuma ser o cPanel. Ali, você pode usar o MySQL Database Wizard;
  • suba os arquivos do WP descompactados para o diretório onde o site vai funcionar;
  • vá ao arquivo do “install.php” para rodar o setup. Em seguida, uma tela de boas-vindas aparecerá para preencher o título do site, o usuário, a senha e o e-mail.

Para criar o banco de dados, acesse o cPanel e clique em “create a database”. Depois, selecione ““create database users” e, então, “add user to database”. Anote o que foi preenchido para consultar em seguida. 

Caso não tenha o cPanel, use o phpMyAdmin ou o MySQL Client. Essas opções são mais trabalhosas. Por isso, vale a pena contratar um servidor que tenha o cPanel.

Configure o WordPress

Os dados de acesso permitirão entrar no painel de administração do WP. Geralmente, o endereço é “nomedoseusite.com.br/wp-admin”. Coloque seu login e senha criados no momento da instalação e instale um novo tema.

A ideia é ter um site personalizado. Para isso, basta acessar “Aparência – Temas”. Depois clique em “Adicionar novo”. Escolha a alternativa e clique em “Instalar”. Ao final do processo, selecione “Ativar”.

Em seguida, aparecerá a opção de importar conteúdo de marcação. Essa é uma alternativa para iniciar a personalização do template, ainda mais estiver construindo seu site do zero. Caso aceite, você será redirecionado para uma página de opções de importação.

Alguns campos aparecem marcados, inclusive plugins. Mantenha como está e clique em “Import“. Quando terminar, você pode clicar em “View Website” para visualizar o resultado da página.

Escolha um template

As opções de template são variadas. O ideal é escolher uma responsiva, ou seja, que se adapte à tela de dispositivos móveis. Entre as alternativas, existem algumas gratuitas e outras pagas. Tudo depende do que você deseja.

O próprio WordPress já oferece vários temas que podem ser consultadas em uma área específica. Na hora de escolher o seu, confira aqueles modelos que atendem às suas demandas. Além disso, evite pegar um template já bastante utilizado, a fim de diferenciar seu site.

Adicione plugins

Os plugins oferecem recursos extras para o WP, que melhoram seu desempenho. Existem mais de 30 mil opções, que permitem criar formulários de contato, instalação de filtros antispam e mais.

Para ver quais são elas, escolha o botão “Adicionar novo” e instale os plugins que deseja. Você também pode conferir os já implementados na seção “Plugins instalados”. Algumas das melhores opções são:

  • Yoast SEO: oferece informações sobre SEO, a fim de melhorar os ranqueamento nos buscadores;
  • All-in-One WP Migration: realiza backups, restaura versões anterior e ajuda na transferência do site;
  • WooCommerce: ajuda a transformar o site em uma loja virtual;
  • Really Simple SSL: redireciona solicitações de HTTP para HTTPS, atualiza URLs e corrige avisos de conteúdos inseguros.

Quais são as principais ferramentas para construir um site?

Chegou até aqui e a criação do seu site já está avançada? Então, é a hora de ver quais ferramentas ajudam a construí-lo. Elas facilitam o seu trabalho, especialmente se não tem conhecimentos em programação HTML.

Para facilitar sua vida, a seguir, listamos as 5 melhores ferramentas para criação de sites. Confira todas elas!

Nuvemshop

É uma plataforma de e-commerce com mais de 40 modelos de layout personalizáveis. Além disso, é associado ao Google Analytics e ferramentas de gestão, como Contabilizei, Tiny e Bling. Ainda permite integração a:

  • meios de envio, como transportadoras e Correios;
  • meios de pagamento, por exemplo, Cielo, PagSeguro, Mercado Pago etc.;
  • ferramentas de marketing, a exemplo de Instagram Shopping e Mercado Livre.

Oferece vários conteúdos e materiais sobre comércio eletrônico e empreendedorismo na Universidade do E-commerce.

Wix

Permite criar sites de forma fácil. É uma plataforma intuitiva e simplificada. Basta usar o arrasta e solta para atingir o resultado esperado. Uma das vantagens é a hospedagem gratuita com domínio personalizado e próprio.

Webnode

Ajuda na criação de sites e permite chegar ao resultado com rapidez. Oferece banco de imagens e modelos prontos para formar capas e banners. Também tem templates específicos para negócios e e-commerces.

BigCommerce

Atende pessoas que desejam criar uma loja virtual. Integra os produtos em sites maiores, como Amazon e eBay. Oferece várias ferramentas para e-commerces, desde a hospedagem até o pagamento pelos produtos e serviços.

Duda

Cria sites para promover o seu negócio. Eles já são responsivos e fáceis de manipular por usar um editor arrasta e solta. Oferece alta velocidade de carregamento — um diferencial competitivo em relação às outras ferramentas.

Quais ferramentas ajudam no site?

A criação de sites também depende de ferramentas extras. Mais que as já apresentadas, que auxiliam na construção, é necessário usar algumas para trabalhar com imagens, verificar a otimização das páginas e outros fatores que contribuem para o alcance de bons resultados.

Para entender melhor, trazemos algumas opções a seguir. Conheça as principais!

PIXLR

O foco é a criação e o ajuste de imagens. Uma vantagem é que seu funcionamento é direto pelo navegador. Com isso, você não precisa fazer instalação e pode utilizá-lo sempre que quiser.

Coolors

O gerador de esquemas de cores contribui para reforçar a identidade visual do site. Impacta a impressão dos visitantes, mesmo com funcionalidades gratuitas. A solução oferece uma sugestão aleatória ao clicar em “Generate“. Caso prefira, use uma imagem ou uma cor específica como referência.

Yoast SEO

O plugin é indispensável para auxiliar na análise da otimização do site para os motores de busca. Ele avalia os elementos principais para o algoritmo do Google e é um auxílio grande para quem deseja alcançar melhores resultados. Por outro lado, é importante ter um profissional, já que a ferramenta nem sempre está 100% certa. Ainda assim, é um bom indicador.

Google Analytics

A ferramenta oferece informações para melhorar os resultados. Para isso, fornece dados sobre tráfego, de onde partem as visitas, as páginas mais visualizadas, o tempo que os visitantes permanecem no site e mais. Tudo é apresentado em um dashboard fácil de usar. Assim, você consegue fazer o aprimoramento constante.

Bônus: seja responsivo!

Trabalhar com um site responsivo é obrigação. A pesquisa TIC Domicílios, já citada, mostrou que o celular já é o meio preferencial de acesso à internet no Brasil. Do total de usuários, 97% utilizaram o smartphone para essa finalidade.

Além disso, 56% são pessoas que usam apenas esse dispositivo para conectar a internet. Portanto, se você ignorar a responsividade, terá problemas ao atrair clientes. Isso porque muitas pessoas desistiram de acessar o site e vão preferir a concorrência.

Por isso, o site responsivo já deixou de ser um diferencial competitivo. Além disso, esse é um critério exigido pelo algoritmo do Google. Portanto, é um fator de ranqueamento.

Em resumo, a responsividade oferece uma melhor experiência do usuário e facilita a visualização de produtos, serviços e informações. Como consequência, todo o site alcança melhores resultados.

Assim, fica claro que a criação de sites depende de uma série de fatores para ter sucesso. Todos eles estão relacionados à experiência do usuário. É assim que você atingirá um patamar mais elevado, conforme deseja para o seu negócio.

E você, gostou de entender como a criação dos sites é importante? Veja mais dicas assinando a nossa newsletter. Assim, você vai receber os conteúdos mais relevantes direto no seu e-mail.

Posts Relacionados